quinta-feira, setembro 24, 2009

Voto de Esperança



Não sou militante de nenhum partido político, e em toda a minha vida, fui apenas 3 vezes a comícios eleitorais, um do PSD em 1991, e dois da CDU em 2001 e 2005.


Não sou daqueles que diz que não tem partido ou que vota consoante o candidato: o meu partido é o PSD e sempre votei em candidatos da chamada Direita nas eleições presidenciais. Apenas e só nas eleições autárquicas é que voto tendo em conta os cabeças de lista, e por isso tenho apoiado a CDU no município de Loures.


Sempre me identifiquei desde pequeno com o PSD, seja por influência familiar, ou simplesmente porque gosto da mensagem e do espírito do partido, espírito esse de cariz reformista, progressista e inovador. Foi assim com Cavaco Silva de 1985 a 1995 e com Durão Barroso de 2002 a 2004.


Posto isto, e sem surpresa, votarei no próximo Domingo novamente no PSD, agora liderado por Manuela Ferreira Leite.


Voto PSD porque acredito que os recursos são escassos e que Portugal, tendo neste momento uma Dívida Pública na ordem dos 74,6% do PIB, uma Dívida Externa na ordem dos 101% do PIB, e segundo consta, uma Deficit Orçamental na ordem dos 8,9% do PIB, não tem condições económicas e financeiras para realizar avultados investimento públicos (a título de exemplo: TGV, 3ª Travessia do Tejo, 3ª Auto-estrada Lisboa Porto, mais SCUTS, etc.).


Voto PSD porque acredito que deve ser feita uma política de apoio às PME, acabando com alguns impostos como o Pagamento Especial por Conta, prevendo a descida de 2% da Taxa Social Única, criando uma conta-corrente entre o Estado e as empresas, possibilitando o pagamento do IVA apenas quando a empresa recebesse as quantias e não a partir da emissão da factura, etc.

Voto PSD porque não quero que Portugal tenha um Primeiro-Ministro que convive mal com a Comunicação Social, Sindicatos e com a independência intelectual dos cidadãos.


Voto PSD porque quero que Portugal olhe para o seu Primeiro-Ministro sentindo que se trata de uma pessoa séria, que subiu a pulso na vida, e não através de se ter tornado profissional da política.


Voto PSD porque o actual partido que sustenta o Governo, o PS, mentiu aos portugueses em todas as matérias essenciais em 2005, fazendo exactamente o contrário do que tinha prometido então.


Voto PSD porque Portugal não estava tão mal economicamente e a nível social há mais de 25 anos.


Voto PSD porque, através do discurso sério e realista de Manuela Ferreira Leite, Paulo Mota Pinto, Paulo Rangel e Rui Rio, Portugal sabe com o que conta e pode ter confiança nestes agentes políticos.


Voto PSD porque acredito que só este partido poderá devolver esperança a Portugal.

4 comentários:

Bruno disse...

O partido da esperança já está registado. É o MEP

filomeno2006 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Sá disse...

Se há coisa que o PSD com esse discurso não dá a ninguém é esperança.

Em rigor, os únicos partidos que apresentam um discurso por um bom futuro e por esperança são o PS, a CDU e o CDS. Ao contrário do PSD e do BE.

Bernardo Rosmaninho disse...

"Voto PSD porque acredito que os recursos são escassos e que Portugal, tendo neste momento uma Dívida Pública na ordem dos 74,6% do PIB, uma Dívida Externa na ordem dos 101% do PIB, e segundo consta, uma Deficit Orçamental na ordem dos 8,9% do PIB, não tem condições económicas e financeiras para realizar avultados investimento públicos (a título de exemplo: TGV, 3ª Travessia do Tejo, 3ª Auto-estrada Lisboa Porto, mais SCUTS, etc.).

Voto PSD porque acredito que deve ser feita uma política de apoio às PME, acabando com alguns impostos como o Pagamento Especial por Conta, prevendo a descida de 2% da Taxa Social Única, criando uma conta-corrente entre o Estado e as empresas, possibilitando o pagamento do IVA apenas quando a empresa recebesse as quantias e não a partir da emissão da factura, etc.

Voto PSD porque não quero que Portugal tenha um Primeiro-Ministro que convive mal com a Comunicação Social, Sindicatos e com a independência intelectual dos cidadãos.

Voto PSD porque quero que Portugal olhe para o seu Primeiro-Ministro sentindo que se trata de uma pessoa séria, que subiu a pulso na vida, e não através de se ter tornado profissional da política.

Voto PSD porque o actual partido que sustenta o Governo, o PS, mentiu aos portugueses em todas as matérias essenciais em 2005, fazendo exactamente o contrário do que tinha prometido então.

Voto PSD porque Portugal não estava tão mal economicamente e a nível social há mais de 25 anos.

Voto PSD porque, através do discurso sério e realista de Manuela Ferreira Leite, Paulo Mota Pinto, Paulo Rangel e Rui Rio, Portugal sabe com o que conta e pode ter confiança nestes agentes políticos."


Meu Caro, com excepção para o último parágrafo, ao qual ponho sérias reservas, concordo, assino por baixo e digo-te sem problemas que gostei muito de ler esta parte do post que transcrevi para o 'comment'.

Fica apenas a ressalva para o facto de considerar que 'Esperança' não é propriamente o melhor termo para colocar ali.

Talvez realismo ou seriedade, agora esperança, com "uma Dívida Pública na ordem dos 74,6% do PIB, uma Dívida Externa na ordem dos 101% do PIB, e segundo consta, uma Deficit Orçamental na ordem dos 8,9% do PIB", só se me disseres que foi descoberto uma jazida enorme por explorar de petróleo junto a Sines ou Leixões, ou caso de repente a cotação do ouro dispare e seja possível pagar tudo com as reservas do Banco de Portugal.

É porque milagres assim, de dar a volta a uma conjuntura destas, que não vi exposta durante a campanha e que aparenta que ninguém queria até agora encarar, não estou a ver a acontecerem. E não sou um sujeito pessimista.

Um abraço,

Bernardo Rosmaninho