segunda-feira, julho 14, 2008

Ciganos, Loures e pouca vergonha - II

Só há uma maneira de acabar com esta pouca vergonha:
1- Os ciganos que andaram aos tiros, vão ter que pagar pelo que fizeram;
2- Os ciganos que queiram mudar de residência, vão ter que começar a trabalhar, juntar dinheiro e investir numa casa, como qualquer outro cidadão;
3- Os ciganos que temam represálias, vão ter que aguardar que a ameaça se concretize como qualquer outro cidadão e caso esta se venha a efectivar, apresentam queixa na esquadra da polícia, como qualquer outro cidadão;
4- Os ciganos que não queiram ter problemas com pretos, devem começar por não se meterem com eles, não lhes venderem droga, nem desatarem aos tiros que nem atrasados mentais;
5- Um Presidente de Câmara que seja ameaçado ou intimidado por ciganos, deve ser escoltado pela polícia e os agentes que praticam o crime devem ser detidos e pagar pelo que fizeram. A coacção, as ameaças, entre outros crimes, ainda são punidas por lei.

Tudo o que desvirtue estas "cinco boas práticas de justiça em Portugal" só irá mostrar que o crime, a intimidação e a vitimização compensam.

3 comentários:

Atever disse...

Mainada! E eu também quero uma casa. Ou o governo me dá uma casa, ou eu vou acampar para os jardins de S. Bento.
Sim, porque isto do governo só dar casa aos da sua etnia, tem de acabar.

Bruno disse...

Mal habituados...
Isto de terem casas com rendas de 4,80€, receberem ordenado minimo garantido,não aceitarem trabalhar,não pagarem água, não pagarem electicidade,roubarem Tv cabo e por ai a fora..!!! Ainda se montam em boas máquinas(pagas a pronto, pois já ninguém fia a ciganos).
Acho que o Estado com estas facilidades para estes senhores(ciganos)nos passa a nós, normais trabalhadores que tem de trabalhar até aos 65 anos para teremos direito a uma migalha após reforma um certificado bem grande de Burriçe.
Está mais que na hora de por essa gente a trabalhar, tenho pena dos pobres ... podemos ajuda-los... mas ajudar para o resto da vida... é um fardo muito dificil de carregar para todo o sector operário deste país.

Oliveira Neves disse...

Mas ó meus caros amigos, a festa ainda agora começou. Os ciganos querem ser considerados como o comum dos cidadãos, muito bem. Nesse caso têm de cumprir como os outros...a bem ou a mal! Mas não são só os ciganos. Há cá mais cavalheiros que se dizem marginalizados,desintagrados,etc...e então vamos lá afanàr,etc...Eu não papo disto e se fôr preciso mais um 24 de Abril, se calhar para casos destes não era má ideia.

ZÉ FERRENHO