segunda-feira, junho 30, 2008

Joss Stone a favor da pirataria

" A cantora britânica Joss Stone considerou, numa entrevista recente, que a pirataria musical na Internet é «brilhante», encorajando os fãs a partilharem as suas músicas."

Fonte: Ciberia

Joss Stone utiliza como argumentos para defender a pirataria, o facto de com a mesma se poder acabar com o negócio por trás da música. Com todo o negócio que envolve o panorama musical, profana-se a verdadeira essência que esta arte tem! A música é uma arte e deve ser difundida universalmente de forma justa. Joss Stone não se importa que partilhem e copiem as suas músicas desde que continue com os espectáculos repletos de multidão. É certo que as editoras também têm o direito ao lucro, mas existe uma diferença enorme entre o direito e o abuso de direito e tal não parece preocupar as editoras.

FARC na Festa do Avante

"José Assis, vereador socialista na Câmara Municipal do Seixal, manifestou hoje o seu descontentamento pela presença de uma delegação da guerrilha colombiana das FARC na Festa do Avante, organizada pelo PCP."

Fonte: Público

Não são a Brigada Vítor Jara, nem os Buena Vista Social Club. São elementos das FARC e têm lugar cativo na Festa do Avante, em plena Atalaia, Amora, concelho do Seixal. Pergunto-me como é possível que uma organização terrorista marque presença em território nacional e ainda tenha direito a apresentar-se numa festa de um partido com assento no Parlamento. Quem serão os próximos convidados? ETA? Hizballah?

Espanha campeã da Europa

Não gosto nem um bocadinho de Espanha e a Alemanha eliminou Portugal do Euro'2008. Não é que quisesse que ontem a Alemanha ganhasse, algo que até poderia querer dado que assim sempre podia dizer que tínhamos perdido com os campeões europeus, mas o que realmente queria era que a Espanha perdesse. Mal o jogo começou comecei a ver que a vitória espanhola era uma questão de tempo e foi assim que ao minuto 33 apaguei a televisão e já não vi o resto do jogo, pois tinha acabado de haver golo dos espanhóis. Agora, bem aqui ao nosso lado, não vão parar os festejos e vamos ter que tolerar as bocas espanholas pelo facto de serem campeões europeus e nós, com o melhor jogador do mundo, termos sido eliminados tão cedo do Campeonato da Europa, aos pés de uma medíocre equipa alemã que teve a sorte de ter o guarda-redes português do seu lado.

sábado, junho 28, 2008

Sócrates e os disparos: algumas considerações

Seis tiros foram ontem disparados contra o pavilhão onde Sócrates havia discursado cerca de meia-hora antes, em Portimão. A governadora civil de Faro já tentou afastar a tese de possível atentado contra o Primeiro-Ministro, alegando que tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto. Possivelmente o grande responsável por tudo isto deverá ser o medronho. Porém, muito me espanto por ainda não ter visto nenhum militante socialista a fazer comparações entre José Sócrates e John Kennedy, comparando Portimão com Dallas. Então a meses das legislativas, caía que nem ginjas! Mas, como qualquer bom algarvio que se preze, o atirador chegou meia-hora mais tarde, falhando nos seus intentos. Nem na perpetração de um atentado os algarvios respeitam horários!
Já agora aproveito e lanço o repto: se José Sócrates tivesse sido atingido pelos disparos, quanto tempo demoraria o INEM a chegar ao local?

Tokio Hotel novamente em Portugal

"Três meses depois do concerto que não chegou a acontecer, o fenómeno repete-se: largas dezenas de fãs dos Tokio Hotel estão a acampar à porta do Pavilhão Atlântico, tentando assegurar um lugar na primeira fila do concerto do próximo Domingo"

Fonte: Blitz

Haviam de ser minhas filhas...

Lá ganhou Mugabe, para não variar...

As eleições decorreram ontem no Zimbabwe. Podemos ver que algo corre mal quando a população local anseia por um pouco de tinta. Não, não é nenhuma tinta milagrosa que sacia a fome. É uma tinta milagrosa que lhes garante a vida. No Zimbabwe, quem vota tem que ter uma tinta no seu dedo, como se pode ver na fotografia, enquanto forma de garantia de terem exercido o seu voto. O facto de terem votado, sobretudo quando quem concorre é o Presidente Mugabe sem opositores que lhe façam frente, significa que compactuam com o regime, independentemente de votarem em branco ou nulo. Tal garante-lhes a vida, ainda que provisoriamente, e a sobrevivência a quaisquer perseguições e torturas feitas pelos "soldados de Robert Mugabe".
Até quando vai aguentar o Zimbabwe esta situação? Até quando persistirá a inércia dos países desenvolvidos? Até quando continuará o apoio dos estados vizinhos do Zimbabwe? Até quando os países desenvolvidos apoiarão esses mesmos estados? Qual é o papel da China? Qual é o papel dos países desenvolvidos face ao papel da China? Aqui estão muitas perguntas às quais muitos não quererão responder. Uma coisa é certa: o Zimbabwe precisa de uma solução... para ontem!
Confesso que nada me daria mais gozo do que ver o actual Zimbabwe ser invadido e Robert Mugabe a ter o mesmo destino que foi reservado a Saddam Hussein: a morte por enforcamento. Também aceito a guilhotina, a cadeira eléctrica e o fuzilamento. A injecção letal não! Acima de tudo gostava de assistir à derrota de Mugabe com Mugabe ainda vivo.

The Times disponibiliza arquivo histórico

Boas notícias para os amantes de história e cultura geral. O jornal britânico The Times acaba de disponibilizar ao público todas as suas edições impressas desde 1 de Janeiro de 1785, através do seu arquivo online. Lá, poderemos ter acesso a relatos publicados momentos depois de acontecimentos históricos como a morte de Maria Antonieta na guilhotina, em 1793, a morte de Lord Nelson, em 1805, a derrota de Napoleão em Waterloo, em 1815, o assassinato de Abraham Lincoln, em 1865, o desastre do Titanic, em 1912, entre muitos outros.
Na minha opinião estamos perante um dos patrimónios mais ricos de parte da história mundial e há que aproveitar enquanto ainda é possível aceder gratuitamente aos seus conteúdos. Da minha parte só posso dizer que vou tentar aproveitar ao máximo esta benesse concedida pelo The Times, dedicando parte da investigação inicial à questão do "mapa cor-de-rosa", para saber o que corria na época relativamente a um Reino de Portugal já bastante fragilizado.

Declarações da DREN: mais uma vez os números

"DREN não quer professores que dão notas "distantes da média" a classificar exames"

Fonte: Público

Estes factos são do mais vergonhoso que há! Aqui está mais uma prova que consubstancia a "teoria dos números". O que volta a estar em causa são números: os números das notas dos professores, os das notas dos alunos e os das médias de ambos. Cada vez mais estão reunidas condições para que os professores sobreavaliem as notas dos seus alunos: se não acompanharem a tendência de sucesso que os alunos e as escolas têm que ter, serão excluídos da lista dos "professores que contribuem para o êxito da educação em Portugal", correm o risco de ter que abandonar os estabelecimentos de ensino onde leccionam, porque para os alunos não terem notas tão boas é porque o professor não está a fazer o seu papel, e deixarão, também, de receber a remuneração devida pela correcção dos exames. Que solução tem o professor senão dar notas brilhantes aos seus alunos e a todos os que passem pelas suas mãos? Nenhuma. Ou acompanha a tendência imposta pela tutela e pelas administrações escolares, ou é dispensado, independentemente de ter competência ou não.
Em Portugal temos um Governo que vive de números, e não é por acaso. Qualquer um sabe que o eleitorado se sensibiliza com... números. Qualidade?! Isso não existe. A qualidade não passa de um conceito demasiado vago tão antigo quanto a língua que lhe deu vida, o latim (através da palavra qualitate). Hoje, quem recorre à qualidade está desactualizado. Interessam factos mensuráveis, por mais discrepantes que possam ser da realidade. Nos tempos que correm, qualidade é sinónimo de suicídio político.

sexta-feira, junho 27, 2008

O toque de Midas

Zico? Rijkaard? Queiroz? Manuel José? Peckerman? Não! Guus Hiddink devia ser a solução. Tudo aquilo em que toca transforma-se em ouro, por mais reles que seja. Como seria na selecção portuguesa? Talvez até o Paulo Ferreira e o Ricardo de repente se fizessem grandes jogadores. E o que dizer de Cristiano Ronaldo, Simão, Quaresma, Ricardo Carvalho e companhia a serem orientados por ele?
A FPF devia fazer um esforço extra para garantir um seleccionador desta categoria, em vez de fazer investimentos arriscados que correm o risco de nos tirar da alta roda do futebol europeu e mundial e voltar a fazer da selecção nacional um clube de Póquer.

Santa Maria de la Feria

Santa Maria da Feira é um concelho problemático. Senão vejamos os acontecimentos mais recentes que trouxeram este concelho nortenho para as luzes da ribalta:
- Tribunais;
- Emprego.

Não podemos fazer uma permuta com os espanhóis, na qual cedemos Santa Maria da Feira e recebemos Sevilha?

Agressões feitas aos juízes em Santa Maria da Feira

"Dois juízes agredidos por dois condenados na sala do tribunal"

Fonte: Público

Não me consigo espantar com esta notícia. Uma vez tive um arguido que disse em plena sala de audiências, após lhe ter sido lida a sentença, que o que lhe apetecia era dar um tiro nos polícias, na juíza e na procuradora. Os detectores de metais existem, mas normalmente estão guardados num canto ou numa arrecadação, perto dos detergentes e das esfregonas. O único segurança de turno normalmente encontra-se na conversa com as funcionárias da secretaria e não os culpo por isso, afinal não lhe é atribuída competência para mais, infelizmente. Este cenário é uma realidade na maior parte dos tribunais!
Pergunto: estas agressões constituem surpresa para alguém? Surpresa é o facto de não existirem mais registos de agressões, sobretudo quando os arguidos se encontram a escassos metros do povo e dos magistrados. Por vezes escreve-se direito por linhas tortas, e espero que os órgãos competentes abram os olhos e passem a desenvolver as acções de vigilância devidas num tribunal. A segurança nos tribunais portugueses é simplesmente inexistente. De juízes, a procuradores, advogados, funcionários e restante população, todos se encontram à mercê de qualquer um a partir do momento em que entram nas instalações do tribunal. Bem sei que nos tribunais se aplica a justiça, mas um pouco de segurança não fazia mal a ninguém.

António Marinho (Injusto) Pinto

"O bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto, disse hoje que há “centenas e talvez milhares de pessoas presas por terem sido mal defendidas”, porque as defesas oficiosas por advogados estagiários são geralmente “mal feitas”."

Fonte: Público

Gosto bastante do Dr. António Marinho Pinto, bastonário da Ordem dos Advogados. Agrada-me o seu estilo directo e frontal e também o facto de não ser o tipo de pessoa que procura aproveitar o seu cargo em benefício do sistema ou para beneficiar quem mais lhe convém. Apesar de tudo isto me agradar em Marinho Pinto, não me agradou nada a forma como responsabilizou os advogados estagiários pelas más defesas que muitas vezes fazem.
As defesas oficiosas não são uma escolha do advogado estagiário. Também não é pelos honorários devidos que os estagiários respondem às nomeações oficiosas, porque se dependessem desses valores, certamente passariam muita fome, porque o Estado não só paga mal, como quando paga é tarde e a más horas. Até hoje, o único motivo para as fazerem, prendeu-se sempre com a obrigação imposta pelo Regulamento de Estágio. Acresce ainda que se as defesas oficiosas feitas por advogados estagiários são mal feitas, a culpa não é dos mesmos, antes da Ordem dos Advogados, que recebe 600 euros com cada nova inscrição de estagiário, mais 75 euros por cada repetição de exame e 400 euros por cada inscrição para as provas de agregação e a partir da segunda fase de estágio os licenciados são atirados à cova dos leões porque a Ordem não dá qualquer formação prática que seja neste aspecto. Tudo o que a OA faz é ensinar os estagiários a fazer petições iniciais, requerimentos, acções de formação em matéria jurídica e não prática e pouco mais do que isto. Nem uma simulação que seja é feita. No fim, ou têm um bom patrono que lhes dá essa formação prática, ou então têm que descobrir por si próprios como é que se devem comportar em tribunal e como melhor defender os interesses dos seus oficiosos. Pergunto: de quem é a culpa? São os advogados estagiários que defendem mal, ou a OA que não os forma devidamente para defenderem os seus oficiosos como deve ser?
Não gostei desta acusação feita pelo Dr. Marinho Pinto. Neste âmbito, mais do que em qualquer outro, as acusações deviam ter tido como destinatários os anteriores bastonários e responsáveis pelos estágios. A única pessoa responsável pelo facto de muitos oficiosos se encontrarem presos não são os advogados estagiários e as suas defesas "mal feitas", mas sim a pessoa colectiva Ordem dos Advogados enquanto associação pública independente, que alegadamente negligenciou quer a formação de estagiários, quer a defesa dos oficiosos.

quinta-feira, junho 26, 2008

Alemanha 3-2 Turquia

A Alemanha fez 3 remates à baliza, contra 11 da Turquia. A Alemanha fez 3 golos e a Turquia 2. A Alemanha levou um banho de bola descomunal dos turcos e acaba por ir à final do Euro'2008. Já dizia Gary Lineker e com razão: "O futebol é um desporto de 11 contra 11 e no fim ganha a Alemanha". Se alguém ainda tinha dúvidas sobre isto, espero que o jogo de ontem as tenha dissipado.

quarta-feira, junho 25, 2008

Morgan Tsvangirai

Eu não sei se todos têm noção do que se passa, mas este homem está a lutar contra o mundo. Ninguém o apoia, ninguém quer saber do que se está a passar, ninguém o protege. Mas mesmo assim está disposto a enfrentar tudo e todos para poder recuperar o Zimbábue da situação catastrófica em que se encontra.
Parece-me ser demasiado atrevido propô-lo para Prémio Nobel da Paz, mas para um prémio qualquer que recompense a coragem, sem dúvida que o proponho. Contra tudo e contra todos, Morgan Tsvangirai tem sido incansável e brilhante a todos os níveis. Se conseguir atingir o seu objectivo, poderá ser para o Zimbábue o que Nelson Mandela ainda hoje é para a África do Sul. Admiro-o, mais não seja pela sua determinação e persistência!

Declarações electrónicas: continuam a passar a mão nos bolsos do povo

Suponhamos que efectuaram o registo no site das Declarações Electrónicas do Ministério das Finanças há mais de dois anos e que por qualquer motivo pretendem voltar a entrar lá. Suponham que já não se lembram da longa e vasta password que vos deram na altura e pretendem recuperá-la. Para isso têm que inserir o vosso número de contribuinte num espaço próprio e dar a resposta a uma pergunta que na altura do registo tiveram que indicar. A pergunta à resposta pode ser "qual é o meu livro preferido?", "qual é o meu filme preferido", enfim, uma pergunta sobre uma qualquer preferência.
Suponham que precisam de se lembrar da resposta a esta pergunta, dado que já a inseriram no sistema do Estado há demasiado tempo e não mais precisaram dela. Procuram uma solução, uma ajuda, uma resposta, e o site nada diz. Que solução vos dá o Estado para estas e muitas outras situações que envolvam os contribuintes? Um número de apoio ao contribuinte, cujo número é 707 206 707, ou seja, uma linha com valor acrescentado. Resumindo: o contribuinte tem que pagar uma chamada mais cara que o habitual, para poder ver se está em condições de entregar dinheiro ao Estado. Já que o Estado vai receber o dinheiro proveniente dos nossos ganhos, não deveria pelo menos facilitar uma linha azul, uma linha verde ou uma rede fixa? Tem mesmo que pôr um número de valor acrescentado?
Continuem a supôr que ligam para essa linha para pedirem a vossa password e que ficam 10 minutos à espera que vos atendam. Suponham que quando são atendidos, depois de seleccionarem a opção correspondente a problemas com o registo no site, a funcionária que vos atende vos diz que tem que transferir a chamada para um colega competente. Suponham que pedem à funcionária que devolva a chamada, dado que já devem ter gasto alguns bons euros só no tempo de espera. Suponham que a funcionária ainda vos responde um "acha que sim?! Eu não posso fazer isso!" como se lhe estivessem a pedir dinheiro emprestado. Suponham que se resignam, ela transfere a chamada para o colega respectivo sem sequer dizer mais nada e que toda a ajuda que o colega deu foi dizer para escreverem um e-mail a pedir o cancelamento da conta. Suponham que esta chamada durou cerca de 13 minutos e acabaram por gastar mais de 4 euros para algo em que vocês nunca vão beneficiar, só o Estado. Faço outra pergunta: a parte onde nos solicitam as respostas às quais não sabemos responder, não poderiam ter um campo imediatamente abaixo a sugerir que endereçássemos um e-mail a solicitar o cancelamento da conta? Com tanto espaço em branco naquele site, não podiam pôr duas linhas a dizer "caso não se recorde, envie um e-mail para xxx@xxx.pt a solicitar o cancelamento da conta e proceda a um novo registo"?! O contribuinte tem mesmo que gastar mais de 4 euros numa chamada?! Terá o cliente que pagar por algo que acabará sempre por resultar no pagamento de mais uma quantia ao Estado?

Em que ficamos, afinal?

"Ministra critica “quem acorda de manhã e diz que o exame foi fácil demais”"

Fonte: Público

Quer dizer, se os alunos acham o exame difícil, é porque a instituição "escola" está a falhar e não se consegue cativar os alunos para a matemática, criando fóruns e comissões de estudo que facilite o ensino desta matéria. Se acham o exame fácil, é injusto porque a prova preenche todos os níveis de rigor e exigência e não se pode tirar a credibilidade à prova e aos órgãos que a elaboraram.
Desculpe, Sr.ª Ministra, mas os nossos estudantes podem ser sinceros e falar a verdade, ou agrada-lhe mais que mintam e confirmem um nível de dificuldade inexistente na prova, para depois a Sr.ª se vangloriar com os melhores resultados de sempre que indicarão que houve muito poucas notas negativas? Quer atirar areia para os olhos de quem?

Nada como celebrações à altura

"China: Pequim executa três traficantes para assinalar Dia Internacional contra a Droga"

Fonte: Sapo

Só faltaram o fogo de artifício, e as tradicionais espetadas de rato frito ou os mini-pratos de chop soi de cão que se vendem habitualmente nas barraquinhas situadas em volta deste tipo de celebrações.
Diz-se ainda que os supostos traficantes eram os principais responsáveis pela circulação das bolachinhas Vieira de Castro nas ruas de Pequim, tendo sido apanhados com vários pacotes desta nova droga.

terça-feira, junho 24, 2008

Zimbábue: alguém se consegue surpreender?

Eu não. Mugabe tentou tratar a questão da forma mais democrática possível: viciou pouco os resultados da primeira volta. As suas verdadeiras armas secretas seriam utilizadas na segunda volta. Está a consegui-lo. Robert Mugabe corre cada vez mais o risco de governar um Zimbábue sem população, mas apenas com as suas polícias. Todos juntos poderão ser felizes para sempre, até porque Mugabe, no alto dos seus 84 anos, não parece vir a governar durante muito mais tempo. Quando Mugabe morrer, já o Zimbábue é uma terra deserta e alvo de disputa por parte dos vizinhos, dos EUA e de Estados europeus. A população do Zimbábue não tem muitas opções: ou apoia e vota em Tsvangirai e é torturada e dizimada, ou vota em Mugabe e morre à fome.
Se a ONU não promover, desde já, fortes sanções contra o Zimbábue, ninguém vai parar a derrocada deste Estado que já foi o mais próspero em África. E olhem que não foi assim há tanto tempo quanto isso...

Onde estão os criadores do PETS?

"O consumo de droga nas prisões portuguesas está a diminuir ligeiramente, bem como o número de reclusos que já alguma vez durante a sua vida consumiu qualquer tipo de estupefacientes, concluiu um estudo que será hoje apresentado em Lisboa."

Fonte: Público

E os criadores do PETS deviam sentir-se envergonhados quando confrontados com estes resultados. O PETS não serviu para rigorosamente nada a não ser potenciar ainda mais o consumo de droga por parte de quem já o faz. Felizmente existem outros agentes da sociedade que desempenham o seu papel e podem impedir projectos desastrosos como este de tomar maiores proporções.

John McCain teve o pássaro na mão...

"Um assessor próximo do candidato republicano à Casa Branca John McCain apresentou as suas desculpas depois de ter dito que o seu chefe poderia sair beneficiado em caso de um ataque terrorista semelhante ao que atingiu os Estados Unidos no dia 11 de Setembro de 2001, antes das eleições de Novembro."

Fonte: Público

... mas continua a deixá-lo voar... para bem longe!

segunda-feira, junho 23, 2008

Exame de Matemática

"Exame de matemática A mais fácil do que o do ano passado "

Fonte: Público

Prometo que este exercício será ainda mais fácil que o exame de matemática. Sim, é possível. Vamos pensar em conjunto nos seguintes factos: Maria de Lurdes Rodrigues é a Ministra da Educação mais contestada de sempre; os exames nacionais de matemática e português todos os anos causam polémica; ano após ano aumenta o número de negativas nestas cadeiras; em 2009 temos eleições. Acrescentamos a isto: o exame de matemática mais fácil de sempre, tal como foi o do 9.º ano. Resultado: nunca a disciplina de matemática teve tantas positivas num exame nacional! Toda a gente se esquece que era o exame mais fácil de sempre, pois subitamente surgirão campanhas pró-Governo negando que o exame fosse fácil, antes os nossos alunos são tão brilhantes que acharam a prova fácil. A matemática deixou de ser um pesadelo para os jovens.
Resumindo: tudo se resume a números e o Governo tem que apresentar os seus. Brevemente assistiremos a mais um discurso da Ministra da Educação, anunciando aos portugueses, com regozijo, os fantásticos resultados dos alunos nos exames nacionais! Afinal, tudo se resume aos números mesmo. "It's the numbers, stupid!"

É uma empresa portuguesa, com certeza...

Mais uma pérola da TMN. Ao contactarmos o serviço de apoio ao cliente somos confrontados com várias publicidades da empresa enquanto esperamos. Uma delas diz qualquer coisa como:
- Adira à factura electrónica e receba as informações detalhadas sobre os seus consumos no seu e-mail. Ajude-nos a melhorar o ambiente, poupando no papel.
Ontem liguei para o serviço de apoio a clientes a TMN e solicitei a factura electrónica. Qual não é o meu espanto quando me dizem que é preciso enviarem para casa um formulário para eu preencher com os meus dados. Ora, se já têm os meus dados, para que é que precisam de me enviar um papel para casa onde eu devo escrever os dados que já constam no sistema?! Fará sentido enviarem um papel (mais envelopes) que tem como função... poupar papel?!

domingo, junho 22, 2008

Porquê?

Porque é que não consigo gramar com os espanhóis nem um bocadinho?

Novo nível na formação de professores

"Eric Debarbieux: “Os professores não são treinados para agir em caso de violência”"

Fonte: Público

É verdade. Alguém tem que treinar os professores! O próprio Governo devia investir em aulas de defesa pessoal ou artes marciais para professores, como o Muay Thai ou Krav Maga.
Outra solução passa por enviar contingentes de professores para o Brasil, tendo em vista uma acção de formação intensiva com o BOPE? Se com os GOE funcionou, a probabilidade de funcionar com os professores é maior ainda.

sexta-feira, junho 20, 2008

Cavaco, Europeu e Portugal

"Cavaco Silva: "Há vida e desafios para lá do futebol""

Fonte: Público

Concordo com o Presidente. Afinal, os portugueses podem acordar do sonho e confrontar-se com desafios como é uma vida com salários miseráveis, repleta de financiamentos com juros usurários, as taxas do BCE para o crédito à habitação, os imparáveis preços dos combustíveis, a inflação, a taxa de desemprego elevada, os patrões exploradores, as crianças que vão à escola e aprendem tudo menos o que deveria ser ensinado numa escola, e os programas do Goucha, do Malato, da Júlia Pinheiro e da Fátima Lopes. De facto, não percebo porque é que os portugueses se preocupam tanto com futebol, quando têm estes estimulantes desafios para enfrentar no dia-a-dia.

Não há diferenças...

Substituir a bandeira italiana pela portuguesa, neste video, era igual. As semelhanças são abissais.

quinta-feira, junho 19, 2008

Vá, parem lá de sonhar!

Quando o guarda-redes decide abrir a capoeira, não há sonho, táctica, treinador ou melhor jogador do mundo que resista. Ricardo voltou a demonstrar esta noite porque é que passou ao lado de uma carreira num "grande" europeu e alinha actualmente no modesto Betis de Sevilha. Renovação na baliza portuguesa é fundamental na Qualificação para 2010. Portugal despede-se sem brilho, porque Ricardo compromete quando a Selecção estava numa fase ascendente do jogo. Adeus e até à próxima!

Estados Vs Pessoas

"O primeiro-ministro irlandês Brian Cowen pediu hoje algum tempo à União Europeia, após a rejeição do Tratado de Lisboa no seu país, considerando que ainda é "muito cedo" para apresentar uma solução para o impasse institucional em que caiu a União Europeia."

Fonte: Público

Este tipo de conversa faz-me lembrar aquelas entre casais em que um decide pedir "um tempo" para pensar na relação e tomar uma decisão sobre o namoro e/ou casamento. Será que se seguirá um "a culpa não é tua, é minha" ou um "não me tens dado muita atenção nos últimos tempos"?

O "Não" irlandês ao Tratado de Lisboa

Continuamos a ser uns verdadeiros capachos nas mãos dos tubarões europeus. Sou europeísta, mas tendo como limite não darmos mais do que recebemos. Portugal nunca teve qualquer influência na União Europeia e cada vez desaparece mais do mapa de Estados-Membros com votos e decisão nas matérias. Somos um número. Somos um dos 27. Apenas e tão-só isso. Espanha, França, Alemanha e Reino Unido fazem o que querem do Estado português e tudo o que recebemos são umas palmadinhas nas costas por sermos uns porreiros e organizarmos uns eventos que acabam por dar mais poderes e protagonismo aos "grandes". Para nosso azar, enquanto uns preferem ver o nome da sua capital na capa de um livro, outros preferem ver o seu despotismo reforçado nas páginas desse mesmo livro.
A única coisa que Portugal ganha com tudo isto é prestígio internacional na organização de eventos. Tivemos a Expo'98, o Euro'2004 e agora o Tratado de Lisboa. Tirando isso, não ganhamos rigorosamente mais nada!

Conselho musical

Para quem não conhece a australiana Gabriella Cilmi, deixo o meu conselho: comprem e oiçam o seu disco Lessons To Be Learned. A música que mais roda por aí é Sweet About Me. Mais um "must hear". Se com 16 anos já canta assim...

quarta-feira, junho 18, 2008

A solução também passa por aqui

"Uma investigadora portuguesa esteve na Antárctida entre Janeiro e Fevereiro deste ano para perfurar o solo sempre gelado (permafrost) e conhecer os efeitos das alterações climáticas. Conseguiu fazer um dos raros furos com mais de 25 metros de profundidade na Antárctida. O projecto, integrado no recente Programa Polar Português, foi o primeiro no continente branco a contar com financiamento português."

Fonte: Público

É através destas pequenas coisas, em que Portugal se torna pioneiro, que se ganha prestígio internacional. Em vez de se investirem milhões de euros na organização de eventos que têm em vista a assinatura de papeis, como é o caso do Tratado de Lisboa, e que só contribuem para que sejamos vistos como um bom país que organiza coisas os outros, dado que Portugal não beneficia em nada com a entrada em vigor deste tipo de Acordos, devíamos canalizar grande parte desses fundos para a investigação científica. Não só dá prestígio internacional, tornando-nos um Estado respeitado em diversas áreas, como pode permitir que se façam descobertas surpreendentes que mais tarde nos coloquem na vanguarda da ciência, da tecnologia e até, quiçá, da economia.

Ahmadinejad recusa aumentar a produção de petróleo

"O presidente iraniano não considera necessário aumentar a produção de petróleo por acreditar que o aumento do preço dos combustíveis resulta da especulação do Ocidente."

Fonte: Público

Sou forçado a apoiar esta medida de Mahmoud Ahmadinejad por um motivo: com o consecutivo aumento dos preços, esta recusa poderá impulsionar o investimento em energias alternativas tão económicas quanto ilimitadas, dado que mais tarde ou mais cedo o petróleo tende a acabar e não interessa ao Médio Oriente esgotar tudo aquilo que ainda o coloca numa posição de vantagem face ao Ocidente. O Império Romano caiu, o Império Otomano caiu, o Império Americano caiu diversas vezes e o III Reich também caiu. O Império petrolífero também vai cair. É uma questão de tempo e nós, portugueses, devemos antecipar-nos à queda, eliminando a dependência do petróleo que actualmente temos e investindo em novos tipos de energia, quer através da investigação, quer através da industrialização.

Está difícil de entender...

"TAP admite suspender voos depois do Verão por causa do preço do combustível"

Fonte: Público

À atenção de Manuela Ferreira Leite: o poder político está com sérias dificuldades em entender que tem que intervir na questão do preço dos combustíveis. Existirá alguém que acredite que a redução do IVA em 1% a partir de Julho vai operar verdadeiros milagres na economia portuguesa e, consequentemente, nos consumo e preço dos combustíveis?

terça-feira, junho 17, 2008

Nem La Palisse diria melhor...

"Beckenbauer: «Se Alemanha eliminar Portugal pode ser campeã»"

Fonte: Record

E se não eliminar? Poderá ainda assim ser campeã? Pasmo-me como é que este tipo de declarações provenientes destes grandes génios enchem as primeiras páginas dos jornais.

Algures no Leste da Europa com uma família norte-americana...

- Lisbon! I like it! - disse o marido.
- Have you guys ever been there? - perguntei eu.
- Oh no! I've never been in South America... - respondeu a mulher.
- But Lisbon is in Europe... - retorqui, estupefacto.
- Oh, yes! Spain! We've never been there too! But one day, perhaps...
- Lisbon is in Portugal... - respondi, já agitando a bandeira branca, implorando por misericórdia.
- We're really sorry. She's always like this... Nevermind! - disse o filho com cerca de 12 anos de idade.

É por estas e por outras que depois surgem coisas deste género:

domingo, junho 08, 2008

Férias...

Voltarei aos "grandes posts" dia 17 de Junho. Peço desculpas pelo incómodo causado.
Apesar de tudo... defendem as nossas cores!
PORTUGAL! PORTUGAL!

Afinal sabem jogar...

Jogadores festejam o 2-0

Sou difícil de surpreender em futebol, mas confesso que ontem fiquei estupefacto com a exibição da selecção portuguesa. Não esperava que fizessem um jogo tão bom como fizeram. Foi uma exibição do colectivo e isso fica patente, por exemplo, nos dois golos marcados. A continuar a jogar assim, Portugal pode ir longe, ainda mais longe do que foi em 2004. Basta não perderem a motivação e chegam lá.
De destacar, pela negativa, três coisas: a primeira prende-se com os verdadeiros "empresários" que são os comentadores de futebol. Creio que não viram o mesmo jogo que eu. Deco fez uma primeira parte positiva, mas a segunda parte foi miserável. Não lhe saía um passe, por mais simples que fosse, uma finta, nada. Assim, não sei como é que os comentadores televisivos elogiam a exibição de Deco, classificando-a de perfeita, completa, etc. Revejam o jogo e digam-me se os seus comentários não têm como único fim contribuírem para a onda de euforia que se verifica no País e que acaba por ser o segundo destaque que quero fazer. É tão ridículo, quanto absurdo, o que vi ontem à noite nas ruas de Lisboa: portugueses em cima de carros com a bandeira portuguesa aos buzinões por toda a cidade, como se tivéssemos sido campeões da Europa. Só ganhámos um jogo, contra uma selecção de qualidade razoável para marcar presença na competição. Os portugueses simplesmente enlouqueceram ontem como se já tivéssemos levantado o caneco, ou como se esta tivesse sido a primeira vitória de sempre numa competição oficial. Não percebi a euforia, juro que não percebi. Por fim, o terceiro destaque negativo: a questão dos estrangeiros naturalizados. Aceito um, não aceito mais nenhum. Não vou ser hipócrita e elogiar o Pepe, apenas pela exibição que fez, mas dou a possibilidade de ficar ele ou Deco na equipa. Só deve haver espaço para um. Ainda assim, entre os dois, vejo Pepe muito mais motivado em representar Portugal, do que Deco.
E porque o tempo é de alegria... FORÇA RAPAZES!

sábado, junho 07, 2008

Portugal resume-se ao continente?

Portugal faz hoje a sua estreia no Euro'2008 contra a Turquia. Todos os portugueses espalhados pelo mundo terão oportunidade de ver o jogo. O que me faz confusão com tudo isto à volta de Portugal no Europeu prende-se com o facto de açorianos e madeirenses serem discriminados e tratados como se fossem emigrantes, dado que se quiserem ver os jogos de Portugal, ou têm televisão por cabo, ou não têm o mesmo acesso que os portugueses do continente têm. Este episódio tem tanto de incrível como de absurdo, sobretudo se considerarmos que muitos portugueses espalhados pelo mundo podem ver os jogos de Portugal nos canais estatais dos respectivos países onde se encontram, mas os portugueses que se encontram em Portugal, ou se encontram no continente e podem ver os jogos em canal aberto, ou então têm que pagar uma mensalidade a uma empresa de televisão por cabo. Tudo isto toma proporções ainda maiores se considerarmos que, por exemplo, o nível de vida nos Açores não permite que a maioria deste povo se dedique a este tipo de luxos.
Pergunto: onde está a RTP? Onde está o verdadeiro serviço público? E desde quando os interesses económicos da TVI e da Sporttv se sobrepõem aos interesses nacionais? Ambos os canais podem passar os jogos que quiserem, mas a RTP está mais que obrigada a dar os jogos de Portugal. Afinal, no Europeu está Portugal ou um conjunto de portugueses, brasileiros e congoleses a representar Portugal? Decidam-se.

sexta-feira, junho 06, 2008

Carla Bruni

"“Compreendi que era um encontro às cegas. Não esperava alguém tão divertido, tão vivo. O seu físico, o seu charme e a sua inteligência seduziram-me”, afirmou (Carla Bruni sobre Nicolas Sarkozy)"

Fonte: Record

Se Bruni está embevecida com Sarkozy, imagino então como estará ele relativamente ao físico, ao charme e à inteligência da mulher. Carla Bruni tem muitos argumentos... mas mesmo muitos!

quinta-feira, junho 05, 2008

Educação Vs Formação

Hoje fui a uma conhecida loja de electrodomésticos. Subitamente depara-se diante de mim uma funcionária muito prestável e educada, que após me questionar sobre se me poderia ajudar e tendo eu requisitado a sua ajuda, me responde da seguinte maneira:
- Fique descansado que quando hajem metemos logo à venda.
Bloqueei e pedi-lhe para repetir porque não tinha percebido. Respondeu-me:
- Estava a dizer-lhe que quando hajem metemos logo à venda.
Hajem... Hajem... Hajem... não, não hajem memórias de tal palavra no meu dicionário. Descobri a que a senhora queria dizer "existem", tentou ser eloquente e saiu-lhe o tiro pela culatra. O atendimento estava a correr tão bem: a funcionária bastante educada e prestável, manda todo o seu esforço por água abaixo quando se sai com esta do "hajem". Porque é que normalmente com os funcionários das lojas temos que enfrentar o dilema que é escolher entre um funcionário bem educado e prestável mas que não saiba falar e um que se saiba expressar e é eficiente mas com modos duvidosos?

quarta-feira, junho 04, 2008

Em terra de loucos...

"A fusão dos hospitais Miguel Bombarda e Júlio de Matos (ambos em Lisboa) lançou o caos nos serviços psiquiátricos e levou a directora clínica deste último a apresentar demissão, dizem vários médicos, afirmando que as urgências estão "em ruptura"."

Fonte: Público

Está tudo louco, doido varrido...

FC Porto Vs AC Milan

A todos os iluminados que insistem em comparar a situação do FC Porto com a do Milan:
1- O FC Porto consentiu as acusações que resultaram no castigo interno que lhe foi aplicado da retirada de pontos, não apresentando recurso da decisão. O Milan recorreu e obteve uma redução do castigo interno;
2- O castigo da UEFA ao Milan só foi retirado por uma questão de coerência: se recorre internamente, também recorre externamente. O FC Porto não tem essa coerência ao nem sequer recorrer internamente, logo porque pretende recorrer na UEFA? Sente-se culpado em Portugal e inocente na Europa?
3- O FC Porto é uma equipa portuguesa. O Milan é uma equipa italiana.

Também tem o nome de Liga...

... mas não é a dos Campeões, nem tão pouco lhe conheço qualquer hino. Boa sorte, FC Porto!

Ainda Barack Obama: os exemplos vêm de onde menos se espera

Muito se fala mal dos portugueses, mas é de Portugal que vem um grande exemplo para o exterior, acabando o PSD por ser um género de herói acidental: ninguém ouviu, uma vez que fosse, qualquer referência ao facto de Manuela Ferreira Leite ser mulher. Para o bem ou para o mal, pela primeira vez tivemos eleições onde não importou se estavam brancos, pretos, homens ou mulheres a concorrer, mas sim qual seria o mais capaz para determinado cargo. Que se siga este exemplo mais vezes.

FC Porto suspenso pela UEFA

Sou benfiquista. Muito benfiquista. Super benfiquista. Mas pensando enquanto português, acho que esta sanção que a UEFA impôs ao FC Porto prejudica mais o futebol português do que uma ausência do SL Benfica da Liga dos Campeões. O FC Porto é uma equipa muito forte, pratica um futebol de qualidade elevada e Portugal precisa deste tipo de equipas em sua representação lá fora, em vez de um inconstante e triste SL Benfica, um Sporting, ou até um Guimarães.
Bem, já pensei demasiado enquanto português. Vou voltar a ser benfiquista: que se lixe o Porto! Vamos à Champions, vamos fazer dinheiro, com sorte uma boa campanha, e isso é que interessa! A lei é para cumprir!

terça-feira, junho 03, 2008

Mourinho no Inter

Fico contente por ter um treinador português a treinar um dos melhores e mais místicos clubes do mundo. Estamos bem representados. Mas fico extremamente aborrecido por saber que Mourinho recusou prestar declarações em português para os jornalistas lusos, alegando que "arriscava esquecer o italiano". Na primeira oportunidade que tem, José Mourinho abnega às suas ligações a Portugal. De "special one", passa a "superior one". Esperemos que um dia Portugal não rejeite Mourinho, alegando que assim arrisca a esquecer os brasileiros que passaram pela Selecção Nacional.

Preço do petróleo cai

"O preço do barril de crude vendido nos EUA caía hoje às 15h02 em torno de dois dólares (1,29 euros), para 125,98 dólares (81,59 euros), reagindo ao aviso da Reserva Federal norte-americana em relação aos efeitos dos riscos inflacionistas que pode colocar a manutenção do dólar fraco."

Fonte: Público

Então e agora?! O preço dos combustíveis não descem porquê? Só se mexe no preço quando o petróleo sobe?

Rock In Rio com mais de 200.000 pessoas

"A edição de 2008 do festival Rock in Rio Lisboa soma já 209 mil espectadores, apenas nos três primeiros dias, de acordo com os dados divulgados hoje pela organização. O cartaz dos dias 30 e 31 de Maio e 1 de Junho incluiu nomes como Amy Winehouse, Bon Jovi, Lenny Kravitz, Xutos & Pontapés, Tokio Hotel, Joss Stone e Rod Stewart no palco do mundo."

Fonte: Público

Muitos olham para estes números como sinónimos de ausência de crise em Portugal. Eu insisto que a crise está bem presente em Portugal, mas que estes números manifestam uma deficiente gestão de recursos por parte dos portugueses. O português médio que não tem condições para pagar estes bilhetes, é o mesmo português que não tem condições para pedir o empréstimo, para comprar o Plasma a prestações, o telemóvel topo de gama, o portátil, o automóvel de 25.000 euros e o T1 de 150.000.

TGV passar pela Ponte 25 de Abril?

Antes de se lançarem em loucuras como fazer o TGV passar pela Ponte 25 de Abril, pensem antes em resolver problemas como este, antes que uma nova tragédia como a de Entre-os-Rios se repita, desta vez em proporções bem maiores.

TGV a 100 euros

O TGV não serve para mais do que os interesses comerciais espanhóis em Portugal. Portugal não precisa do TGV para nada e uma das provas disso mesmo é o preço dos bilhetes para o percurso Lisboa-Madrid: 100 euros, com paragens pelo meio e para um percurso que demorará muito mais do que os 45 minutos de vôo com que os aviões nos brindam, sem escalas, e que facilmente se encontram a preços que rondam os 60/70 euros ida e volta.
Volto a perguntar: compensa o TGV? Não me parece.

Fisco vai telefonar aos contribuintes para cobrar dívidas em atraso

Segundo consta, o fisco vai contactar os contribuintes com dívidas fiscais através de telefone e e-mail. Já estou a ver uma conversa entre o devedor e o funcionário:
- Bom dia. Estou a falar com o senhor João Silva?
- Sim, quem fala?
- Olhe, estou a ligar-lhe do fisco...
- Quem? Desculpe, estou a ficar sem rede... Estou? Estou?
(chamada desligada)

Vejo ainda novas formas de burla. Afinal, existe sempre o portuga que gosta de ser cumpridor. Estou a ver um daqueles e-mails que recebemos habitualmente com o logotipo do Millennium BCP, ou da CGD, a dizerem que temos que fornecer os dados pessoais e os códigos todos, mas desta feita com o logotipo do fisco, a exigir que as pessoas paguem um montante exorbitante (tem que ser), acabando alguns por cair na esparrela e por aparecer na TVI semanas mais tarde a queixarem-se do barrete que lhes deram. Também começo a ver devedores a ignorarem por completo os e-mails oficiais recebidos, justificando-se mais tarde que não responderam por julgarem estar a ser alvo de uma burla.
Na minha modesta opinião, o garantia do pagamento de dívidas só conhece duas formas, ambas eficazes:
- utilização de mulheres em biquini para baterem à porta do devedor, hipnotizando-o;
- chamar os cobradores do fraque. Estes têm 100% de eficácia: o devedor escolhe sempre entre o dinheiro ou a sua integridade física e da sua família.
Tirando estas duas vias, ou acreditam na boa vontade do devedor, ou então não há dinheiro para ninguém.

O emigrante merece mesmo isto?

Emigrantes portugueses na Suiça assistem ao treino de Portugal

Portugal é a única selecção do Euro'2008 que exige que os adeptos paguem bilhete para assistirem aos seus treinos. O preço original é de 15 euros, mas no mercado negro já se vendem a 60. À FPF pouco importa. Interessa é garantir o seu dinheiro que, a fazer contas pelo número de adeptos presentes, 12.000, dão qualquer coisa como 180.000 euros por treino. Os bilhetes esgotaram num ápice para os dois treinos abertos ao público que Portugal realizou.
A justificação para se exigir o pagamento de um bilhete prende-se com o facto de a FPF ter dispendido de 215.000 euros para um relvado novo num estádio que pudesse receber tantos emigrantes portugueses.
A minha questão é:
1- Com tanto dinheiro proveniente de patrocínios e de acções de marketing, etc, porque é que a factura sobra sempre para o mais fraco, leia-se "o povo"?
2- Depois da recepção apoteótica que tiveram na chegada à Suiça, com mais de 10.000 emigrantes a esperarem a Selecção, será que a comitiva não podia ter, no mínimo, ido cumprimentar, agradecer e presentear com autógrafos todos aqueles que só de verem a bandeira portuguesa no país para onde emigraram, choram? Será que ter um técnico e dois jogadores a acenarem ao longe, durante dois segundos, manifesta um mínimo de apreço pelos emigrantes?! Não será o pagamento do relvado por parte dos emigrantes uma manifesta falta de respeito e de desprezo para com eles?
3- Onde é que já se viu jogadores queixarem-se do "excesso de apoio e carinho" que têm por parte dos seus adeptos, associando tais manifestações como causas de pressão extraordinária? Só mesmo em Portugal.
Respeitem o adepto, mas, mais que qualquer coisa, respeitem o emigrante! Há gente que se arrepia só de ver um galo de Barcelos por um segundo que seja, porque se encontra num local cujo contacto com o seu país de origem se resume à comunidade emigrante e à televisão por cabo.

domingo, junho 01, 2008

Bon Jovi no Rock In Rio: afinal até sabem umas coisas...

Dizem as "más línguas" que os Bon Jovi deram ontem um concerto único em Portugal! E ouvi isto de muitos não admiradores da banda. Não pude ver o concerto na íntegra, mas tive que ver momentos dele para confirmar o que foi dito. Apesar de não gostar de Bon Jovi (é o que dá ter uma irmã mais velha que os ouvia dia e noite quando eu era um jovem adolescente que gostava de outro género de música), tenho que dar o braço a torcer e confessar que, realmente, estiveram em grande na sua actuação de ontem. Mais concertos do género são bem-vindos a Portugal. Concertos com bandas lendárias que ficam perplexas com a quantidade de gente que se desloca só para os ver, acabando os artistas por entrar na onda e agradecendo ao público da melhor forma que sabem: darem o seu melhor em palco e proporcionarem momentos inesquecíveis para quem os segue há décadas! Não gosto de Bon Jovi, mas agradeço o que fizeram ontem pelos fãs portugueses. Ganha a banda, ganha o público e até ganha a economia.

Manuela Ferreira Leite: não se iludam!

Muitos vão tentar aproveitar-se do facto de MFL ser mulher para tentar conquistar o eleitorado. Mas vou contar aqui uma história que se passou comigo há pouco mais de três anos. Em Fevereiro de 2005, quando ainda era dirigente da AAFDL, encontrava-me a preparar uma conferência por altura das celebrações do Dia Internacional da Mulher, através do Departamento em que me encontrava. A conferência tinha como tema "A Mulher e a política" e teve com intervenientes Maria de Belém Roseira, Celeste Cardona, Matilde Sousa Franco, Maria João Avillez e Maria João Estorninho. No entanto, uma das convidadas para o evento foi Manuela Ferreira Leite, na altura a desempenhar funções no Banco de Portugal. Um dia, ainda estando eu a aguardar uma resposta sua, recebo um telefonema da própria, a partir do seu local de trabalho de então. Depois de uma pequena conversa inicial, cuja matéria não importa agora, eis que MFL arremata a conversa da seguinte forma:
- Agradeço o convite que me endereçou, mas não o poderei aceitar. E não o poderei aceitar por um simples motivo: sou completamente contra essa história de 'Mulher na política'. Para mim, existem pessoas capazes, ou não, de desempenhar funções políticas. E, como tal, não querendo menosprezar o tema da conferência, se participar na mesma irei contra aquilo que defendo, a igualdade plena entre homens e mulheres, pois estarei a participar num evento onde a Mulher ainda é considerada um ser diferente dos demais. Por isso peço-lhe que não me leve a mal, mas terei que rejeitar o convite porque acredito em política e não em homens na política de um lado e mulheres na política do outro.
Dá que pensar, não dá?