quinta-feira, janeiro 24, 2008

Afro: a revista para a mulher estúpida!

Não vejo por aí outra coisa além da publicidade à nova revista: a revista Afro. Esta revista tem como slogan "Afro: a revista para a mulher africana". Esta revista, além de um nome estúpido (e no mínimo xenófobo), tem um slogan também ele bastante estúpido (também ele xenófobo).
Na publicidade vê-se ainda uma mulher de raça negra, com grande destaque, a ler uma revista "afro", e uma de raça caucasiana já meio escondida por trás da revista e chegada à esquerda. Não quiseram ser demasiado óbvios e colocar um grupo de negras a ler a revista. Lá meteram a caucasiana. Talvez para não ferir sensibilidades, dado que existem muitas africanas com um tom de pele mais claro que o "café com leite".
Sobre o slogan "Afro: a revista para a mulher africana", tenho algumas considerações a fazer. Então a Afro é para a mulher africana porquê? Esta traz desenhos ou uma linguagem mais fácil de compreender? E porque é que as outras não são para as africanas? Porque a Maria, a Ana, e a Telenovelas só têm meninos branquinhos despidos e esta já traz uns negrinhos? Ou a Afro traz receitas de cachupa, pirão, etc e as outras não trazem? Trazem pois! Eu mesmo já vi algumas das revistas feitas para as "não africanas" com receitas e conteúdos africanos. De facto, só pode mesmo ser pela forma como se apresenta a revista. Tem que se criar uma revista de propósito para as mulheres africanas. Pelos vistos elas não percebem as outras, ou o personagem dotado de inteligência que criou esta revista acha que elas não as percebem.
Resumindo, vejam a publicidade. A revista Afro tem um nome estúpido, um slogan também ele estúpido, e uma publicidade racista, xenófoba e... também ela demasiado estúpida para ser verdade.

3 comentários:

Pedro Sá disse...

De facto a ideia é estúpida. E, aliás, africano também eu sou que nasci nesse continente.

Mas o que é um facto é que alguém achou que fazendo isto conseguiria ganhar dinheiro e arriscou. E que, felizmente, há liberdade de expressão para cada um dizer os disparates que entender.

mariajulia disse...

"Esta traz desenhos ou uma linguagem mais fácil de compreender?"......e esta frase não denunciará racismo puro e duro?....pois....

DJ disse...

Maria Júlia,

da minha parte, não me parece que denuncie racismo. Mas a revista, para querer ser tão especial face às revistas femininas que se vêem habitualmente por aí, e pelo facto de insistir, de forma bastante directa, apenas nas africanas de pele negra, parece, essa sim, manifestar racismo. A branca que aparece na publicidade inicial é só para iludir. Quem folheie a revista, veja as capas e conteúdos, sabe que a revista é dedicada à mulher africana negra, apenas!