quinta-feira, janeiro 31, 2008

Frase do dia

"Quando me iniciei como Advogado, trazia em mim todas as ilusões e ideais do mundo. Hoje já não tenho ilusões, mas carrego sempre comigo os meus ideiais."

António Marinho Pinto
Bastonário da Ordem do Advogados

Palavras para quê?

27 golos numa temporada, para um ponta-de-lança de classe mundial, já é francamente bom. Mas, o que dizer de 27 golos em pouco mais de meia temporada para um não ponta-de-lança? E se a isso juntarmos o facto de dar espectáculo, correr até não poder mais, assistir colegas e marcar golos assombrosos?! Sim, este é o percurso de Cristiano Ronaldo esta época. Hoje foram mais dois. Onde parará ele? Anda, de facto, a pedir para ser o melhor jogador do Mundo em 2008!
É português e, segundo parece, é de outro planeta! Existirá, porventura, quem ainda não se tenha rendido ao "Planeta Ronaldo"?!

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Este país está mesmo nas últimas...

... até os bichos querem fugir daqui para fora!

Ainda hoje começou...

"Ana Jorge, que toma posse quarta-feira como ministra da Saúde, vai a julgamento no Tribunal de Contas no âmbito de uma acção de responsabilidade financeira por alegados pagamentos indevidos ao hospital Amadora-Sintra quando era presidente da ARS de Lisboa"

Fonte: SOL

Ainda hoje iniciou funções e já dá que falar. Claro, pelos piores motivos. Hoje em dia parece ser requisito da classe política ter um processo pendente em tribunal.

Ena pá, que emoção!!!

A RTP, canal estatal que serve o interesse público, vai transmitir hoje um grande jogo de futebol para mais de 10 milhões de portugueses em território nacional, e para os restantes milhões que integram a comunidade estrangeira: o grande Vitória de Setúbal-Beira-Mar, em horário nobre (21h15), num dia de semana.
Estou em pulgas! Mal posso esperar para ver este jogo entre uma equipa que ainda no ano passado não desceu por acaso e outra que está no meio da tabela da II Liga. Continuem com o serviço público e a transmitir grandes jogos como este!

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Marinho e Pinto: as suas declarações são novidade para alguém?

O Bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho e Pinto, segundo muitos, "partiu a loiça toda" ao fazer declarações chocantes sobre o nível de corrupção em Portugal, incluindo membros do Executivo.
Marinho e Pinto foi, e é, o homem em que acredito ser a solução para a advocacia, representando uma lufada de ar fresco e ventos de mudança. Aprecio ainda as suas declarações. Aliás, não as coloco em causa. Mas... o que ele disse conseguiu surpreender alguém? Será que foi preciso chegar à passada 6.ª feira para que 10 milhões de portugueses (e algumas centenas de milhar de imigrantes) soubessem a vergonha que se passa em Portugal com membros do poder político? Ou anda toda a gente a dormir e acordou porque alguém falou o óbvio, ou então muita gente fingia não querer ver e agora empurra as responsabilidades para o Bastonário.
Acho mais surpreendente a surpresa e estupefacção do povo português, do que as declarações de Marinho e Pinto. No entanto, já que foi para a frente com a acusação do que toda a gente sabe que existe, é bom que não recue e concretize, dizendo tudo o que sabe a quem de direito. É que o jogo do "toca e foge" não fica bem a um homem tão frontal, directo e honesto como é o actual Bastonário da Ordem dos Advogados. E não só não fica bem, como é escusado e soará a mera tentativa de protagonismo.

A menina bonita do PS


sábado, janeiro 26, 2008

O bom velho portuga...

Foi noticiado que Portugal pode aumentar 1% das suas emissões de CO2 até 2020. O bom velho portuga é aquele que se tem parque de estacionamento pago até às 20h, mesmo que às 16h já não tenha nada para fazer e possa ir-se embora, "aproveita" o tempo que lhe resta de estacionamento, para aproveitar até ao fim de algo que... só o faz perder tempo. O bom velho portuga é aquele que quando aufere 500 euros, se tiver gastos de 400 durante um mês (yeah, right), em vez de poupar os restantes 100 para um mês de aflição, vai derretê-los... apenas porque "tem a mais". O bom velho portuga tem 200 SMS grátis, e se já gastou 100, perde tempo a mandar as restantes 100 aos amigos, ainda que não tenha nada para lhes dizer. O bom velho portuga, em vez de manter os actuais níveis de emissão de CO2... vai aproveitar a borla.

Querem uma mulher? Querem um negro?

Os democratas oferecem uma mulher ou um negro para a Presidência dos Estados Unidos. Os americanos querem que ganhem os dois. Na verdade, só pode ganhar um. Era aqui que os republicanos poderiam jogar uma cartada decisiva: Condoleezza Rice!
Querem uma mulher? Querem um negro? Tomem lá uma mulher negra! "All in one", all package! E é se querem!

quinta-feira, janeiro 24, 2008

Afro: a revista para a mulher estúpida!

Não vejo por aí outra coisa além da publicidade à nova revista: a revista Afro. Esta revista tem como slogan "Afro: a revista para a mulher africana". Esta revista, além de um nome estúpido (e no mínimo xenófobo), tem um slogan também ele bastante estúpido (também ele xenófobo).
Na publicidade vê-se ainda uma mulher de raça negra, com grande destaque, a ler uma revista "afro", e uma de raça caucasiana já meio escondida por trás da revista e chegada à esquerda. Não quiseram ser demasiado óbvios e colocar um grupo de negras a ler a revista. Lá meteram a caucasiana. Talvez para não ferir sensibilidades, dado que existem muitas africanas com um tom de pele mais claro que o "café com leite".
Sobre o slogan "Afro: a revista para a mulher africana", tenho algumas considerações a fazer. Então a Afro é para a mulher africana porquê? Esta traz desenhos ou uma linguagem mais fácil de compreender? E porque é que as outras não são para as africanas? Porque a Maria, a Ana, e a Telenovelas só têm meninos branquinhos despidos e esta já traz uns negrinhos? Ou a Afro traz receitas de cachupa, pirão, etc e as outras não trazem? Trazem pois! Eu mesmo já vi algumas das revistas feitas para as "não africanas" com receitas e conteúdos africanos. De facto, só pode mesmo ser pela forma como se apresenta a revista. Tem que se criar uma revista de propósito para as mulheres africanas. Pelos vistos elas não percebem as outras, ou o personagem dotado de inteligência que criou esta revista acha que elas não as percebem.
Resumindo, vejam a publicidade. A revista Afro tem um nome estúpido, um slogan também ele estúpido, e uma publicidade racista, xenófoba e... também ela demasiado estúpida para ser verdade.

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Isabel Pires de Lima é, realmente, popular

A Ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, disse, em entrevista ao JN, que é "das ministras mais populares deste Governo". Tal feito, não é difícil, até porque se atendermos a ministras, só temos duas, o que a coloca desde logo na corrida apenas com mais uma. Porém, se quisermos depreender das palavras da Exma. Senhora Ministra, que se referia à totalidade de ministros, a conclusão será a mesma.
De facto, Isabel Pires de Lima é extremamente popular. Não podemos é entender o termo "popularidade" como dizendo respeito a "ter uma imagem positiva". Isabel Pires de Lima é popular, mas por ser conhecida pela prática de feitos como:
- dar uma entrevista à revista Caras onde dá a conhecer os dez museus da sua preferência, e onde não só não refere um único museu nacional, como o apoio prestado pelo Ministério da Cultura aos museus é praticamente nulo;
- foi a primeira Ministra a ser alvo de um abaixo-assinado a pedir o seu despedimento (feito difícil, se atendermos que os ministros habitualmente mais impopulares são os das Finanças e os da Saúde e nem a esses se conhece tal feito);
- ter adoptado como estratégia "o jogo da sombra": o MC é demasiado discreto, low profile e a sua esfera de acção é praticamente nula. Prefere ficar inerte, não ser falado e andar na sombra dos outros, do que agir e correr o risco de fazer asneira (algo que tem grandes possibilidades de acontecer);
- concentra esforços para derreter grande parte do orçamento do seu Ministério, numa exposição de arte contemporânea que muito prometia, mas que se tornou uma verdadeira desilusão de tão fraca que é. Acabou por investir mais num cofre forte para Joe Berardo do que propriamente numa exposição com valor;
- hoje deu um brilharete quando foi chamada a discursar diante de centenas de pessoas, a propósito da celebração dos 200 anos da chegada da corte da Rainha D. Maria I ao Brasil: não sabia sequer o nome de um Instituto que o seu Ministério tutela, o ICA (Instituto do Cinema e do Audiovisual). Sim, esse Instituto Público tão desconhecido, como pelos vistos parece que é. Com um pouco de sorte, ainda dizia que tinha sido a corte da Rainha D. Amélia a fugir para o Brasil.

É verdade, Isabel Pires de Lima é muito popular. É a Ministra da Cultura, é o da Economia, o Goucha e o Tino de Rans.

80 GNR's ganham 800 mil euros no Euromilhões

Porreiro, pá! Com 10.000 euros para cada um já dá para pagarem as despesas com os jipes, os automóveis, as munições, os tratamentos hospitalares, as baixas, e as indemnizações que o seguro não cobre... pelo simples facto de não existir.

A notícia, aqui.

Onde estão as notícias?

"Os portugueses têm das pensões mais baixas da Europa e associam a idade da reforma a velhice, doença e dificuldades financeiras, de acordo com os dados de um barómetro hoje revelados."

Fonte: Diário Digital

"Notícia: relatório ou informação sobre um acontecimento recente; aquilo que se ouve pela primeira vez; nova; novidade". - in Dicionário da Língua Portuguesa

Se a notícia acima referida é novidade para alguém, ou notícia, então eu estou muito à frente no tempo. Até acredito que possa estar, mas não o suficiente para prever o futuro e conseguir não me surpreender quando me dão "novas" deste género.
Raio de jornais que não informam e insistem em repetir algo que já natural.

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Ao ponto a que isto chegou!

"Família do bebé que morreu em Anadia não aponta falhas ao INEM"

Fonte: Público

Realmente, às vezes parece perseguição. A criança faleceu, mas naquilo em que os jornalistas se concentram é na tentativa de pressionar os pais a dizer que os serviços de emergência falharam ou se atrasaram 10 míseros segundos que fossem. E não se bastando com a explicação do pai, apresentam uma matéria exaustiva onde dão conta das horas todas a que o bebé deixou de respirar, da hora a que foi feita a chamada, da hora a que chegou o INEM, da hora a que foi assistido o bebé, e do trajecto realizado pelo INEM. Pouco faltou para indicarem com pormenor as condições do trânsito àquela hora, e caso a ambulância pudesse ter seguido um percurso que lhe permitisse chegar 20 segundos mais cedo, já estariam o INEM, o Hospital, os médicos e as condições da saúde em Portugal, prestes a sentar-se na cadeira eléctrica, exigindo responsabilidades a todos e mais alguns. Chegámos ao ponto em que é notícia a família não apontar falhas ao INEM.
Menos sensacionalismo resolveria a questão. Foi "só" um bebé que morreu (o que não é pouco e configura uma situação trágica), cujos serviços de socorro chegaram a tempo. Era dispensável esta peça exaustiva sobre se terão chegado a tempo ou não os serviços competentes para prestar a assistência devida. É por causa deste tipo de jornalismo que muitas vezes quando o INEM demora 2 minutos a chegar ao local, mas não consegue evitar aquilo que já estava destinado a acontecer, que as famílias se vêm lamentar para a comunicação social, imputando responsabilidades no Homem por coisas em que só Deus poderia intervir.

Drama da vida privada

Segundo consta, o autor de um assalto a uma dependência do BES, em Setúbal, que foi hoje condenado a 5 anos e 10 meses de prisão efectiva, justificou o acto como não tendo tido intenção de assaltar o banco, mas "apenas" alertar clientes e dirigentes do BES para a situação de miséria em que se encontrava, alegadamente por causa do adiamento da decisão sobre um empréstimo de 175 mil euros. Então que decide fazer? Barricar-se num banco, tomá-lo de assalto e fazer reféns.
Agora não só vai continuar a precisar do empréstimo de 175 mil euros para se desgraçar, como ainda vai precisar de mais alguns milhares para indemnizar o banco e mais 10 mil para indemnizar a vítima.
Estamos em Portugal, é certo, mas também não abusemos da sorte. Ainda é possível ser-se apanhado e (bem) condenado pela prática de crimes.

Cafés fora da Grande Lisboa aplicam a lei dos casinos

O raciocínio é simples: alegadamente pode-se fumar nos casinos. Pelo menos é o que os "donos" do sistema querem. Ora, como se sabe, cafés com slot machines e máquinas de jogo (ainda que ilegal), fora da Grande Lisboa, é coisa que não falta. Pergunto: seguindo um princípio de coerência, um café que queira contornar a proibição de fumo sem que para isso tenha que investir em extractores, não pode simplesmente instalar máquinas de sorte e azar (ainda que viciadas) no seu estabelecimento? E papelarias ou casas onde se pode registar o Euromilhões, Totoloto, etc? Também não são casas de jogo, ainda que indirectamente? Não se pode aplicar analogicamente a lei dos casinos aos cafés e papelarias?

É por estas e por outras...

"Nove associações de imigrantes decidiram hoje realizar uma "grande manifestação", dia 26, no Porto contra a detenção dos 23 cidadãos marroquinos que em Dezembro desembarcaram em Olhão, disse à agência Lusa fonte da Olho Vivo."

"Soares da Luz, da Olho Vivo, disse hoje à Lusa que as nove associações reclamam a "libertação imediata e incondicional" dos 23 marroquinos, dando-lhes autorização de residência em Portugal."

""Não são criminosos. São pessoas traficadas. Estão quase numa prisão preventiva, quando a lei já não permite isso", frisou Soares da Luz."

Fonte: RTP

"O dirigente do BE/Porto, João Teixeira Lopes, apelou hoje à "humanidade" do ministro da Administração Interna para que conceda Autorização de Residência aos 23 imigrantes clandestinos que em Dezembro desembarcaram em Olhão."

Fonte: RTP

Pergunto: com gente desta, como é que este país pode andar para a frente? E quando digo "gente desta" não me refiro aos imigrantes ilegais...

Uma questão de "peanuts"

Segundo consta, Carolina Salgado acusa Pinto da Costa de ter comprado a irmã. Se Ana Maria Salgado tiver a mesma profissão que a irmã tinha antes de se casar com o Presidente do FC Porto, digamos que por pouco mais de 50 euros, não só a comprou como ainda teve direito a um table dance.

quinta-feira, janeiro 10, 2008

O vazio de Obama...

Will Smith declarou em Berlim, no decurso do lançamento do filme "Eu Sou a Lenda", que apoia Barack Obama. Os motivos do seu apoio? Sim, são os do costume. São os motivos de todos os outros apoiantes. Os mesmos de Oprah Winfrey e de mais alguns milhões de afro e norte americanos. São eles:
- a candidatura de Obama é a melhor para o Partido Democrata;
- a sua eleição para Presidente é a melhor para os Estados Unidos da América;
- ser afroamericano.

Enfim, o habitual vazio a que já nos habituaram os apoiantes de Obama. O efeito Zé Maria continua a fazer das suas: as pessoas insistem em levar em ombros um tipo com ar de coitadinho, frágil, cuja raça foi alegadamente marginalizada durante séculos. Competência? Soluções? Naaaaa... os EUA não têm problemas. Podem até dar-se ao luxo de ter um coitadinho como Presidente para resolver alegados problemas do passado dado que no presente tudo corre bem.

quarta-feira, janeiro 09, 2008

Sarkozy: ainda há "gajos machos"!

Não, o motivo deste post não é a foto. Nicolas Sarkozy também é um autêntico macho pela foto acima, mas não é isso que me faz escrever sobre ele. A reforma francesa continua e ontem Sarkozy fez questão de anunciar mais algumas, a saber:
- revisão do funcionamento da televisão pública francesa, através da eliminação da publicidade e da alteração das formas de financiamento dos canais públicos, recorrendo a taxas mínimas sobre receitas publicitárias nas cadeias privadas e nos novos meios de comunicação. De acordo com Sarkozy, se o modelo da televisão pública for o mesmo dos canais privados, não faz sentido existir televisão pública;
- aumento significativo do investimento nos media, promovendo a língua francesa nos meios de comunicação internacionais, e criação do novo canal de televisão France Monde que juntará os já existentes TV5, France 24 e Radio France num só meio;
- aumento da protecção feita aos jornalistas, sendo favorável à protecção feita pelos jornalistas
às suas fontes. Sarkozy entende que desta forma será possível aumentar a quantidade de jornalismo. Independentemente da qualidade de alguns meios de imprensa, o Presidente francês prefere ter "excesso de imprensa do que não ter imprensa";
- maior rigor nas políticas de imigração. Juntamente com Espanha e Itália, encetar-se-ão políticas mais restritivas que permitam os repatriamentos conjuntos de imigrantes ilegais;
- implementação de um sistema de quotas de entrada. Tal terá como fim o favorecimento da imigração que tem em vista única e exclusivamente o trabalho, em vez da imigração familiar. Inteligente e brilhantemente, Sarkozy defende aquilo que há muito devia ser defendido em Portugal: "a igualdade não é dar a cada um a mesma coisa, mas dar a cada um segundo as suas dificuldade, as suas limitações, a sua história". Existirá, assim, uma discriminação positiva em favor dos franceses de origem;
- aumento do número de horas de trabalho, acabando com as 35 horas semanais que prometiam, desde 2000, ser a solução para o desemprego em França, algo que nunca se verificou.

Não obstante tudo isto, Sarkozy é um indivíduo que defende claramente que os árabes devem ter acesso à tecnologia nuclear, aproveitando para lançar a França neste nicho de mercado. Defende o alargamento do G8 para mais países como China, Índia, Brasil e África do Sul, tendo assim representantes de praticamente todos os continentes.
Não se importa, ainda, de expor a vida pessoal. Alega que nada tem a esconder sobre a sua vida privada, fazendo referência à hipocrisia com que os seus antecessores lidavam com assuntos ligados ao foro privado.
Ainda há "gajos machos"! E Nicolas Sarkozy é um deles!

Roubo não muito SMART

Ando desde há algum tempo a procurar um SMART ForTwo CDI, em segunda mão, de 2002 ou 2003, para comprar. Qual não é o meu espanto quando vejo SMARTs destes a preços como 8.000, 8.500 euros, 7.000. Reparo que em 2002/2003 estes carros custavam... 8.500/9.000 euros. Ou seja, anda muita gente a querer vender carros com 5 e 6 anos ao preço com que os comprou novos na altura. Não é por acaso que alguns dos anúncios de venda que dizem "URGENTE", há mais de dois meses que continuam à venda com o mesmo carácter de urgência de há algum tempo atrás. Entretanto, aquilo que era um carro com 4 ou 5 anos em 2007, por mais que tenha a matrícula a dizer 12/2002 ou 12/2003, ao chegar a 1 de Janeiro de 2008, é automaticamente um carro com 5 ou 6 anos (conforme seja de 2003 ou de 2002).
Pasmo-me ainda mais quando compro revistas da especialidade, e os especialistas dão como preço para SMARTs ForTwo CDI de 2004 o preço de 6.420 ou 7.200 euros, conforme seja a versão Pure ou Pulse. Eu disse carros do ano de 2004, ou seja, com 4 anos. Por carros de 2003, os especialistas na matéria dizem que a versão Pure tem como preço justo, se estiver em estado "como novo", o preço de 6.250 e a Pulse 6810 euros. De 2002, a versão Coupé CDI passion (topo de gama) terá um preço justo de 6810 euros. Pergunto: como é possível andarem a pedir por carros de 2002 CDI, Pure, Pulse e Passion preços acima dos 7.000 e até dos 8.000 euros? Aliás, ainda ontem me deparei com um SMART de 2002 cujo preço era 9.500 euros e num stand pediam 10.500 euros por um de 2003 já usado.
Bem, se alguém souber quem tenha à venda um SMART de 2002 ou de 2003 ForTwo CDI por menos de 6.800 euros, avise-me. Claro, se for nacional. É que há que acrescentar que alguns dos anúncios colocam à venda SMARTs importados. Se nem nacionais valem o preço que lhes dão, quanto mais importados. Quem dá 8.000, 8.500 ou 9.000 euros por um carro de 2002/2003, dá mais 2.000 euros por um modelo novo de 2008. E assim continuam os de 2002/2003 a desvalorizarem-se e a continuar com o carácter "urgente". Se não conseguir encontrar um preço justo e digno, possivelmente enveredarei pelo modelo novo. Só tenho a ganhar. Dar quase o mesmo preço por um carro velho do que posso dar por um novo, isso é que nunca.

terça-feira, janeiro 08, 2008

TVWC 5

Criar um quinto canal público? Para quê? Para aumentar a fonte de receitas dos já milionários e alargar para cinco o número de possibilidades de ganhar uma depressão? Teremos um quinto canal para quê, afinal? Que novidades nos trará? Mais novelas? Mais Reality Shows? Mais "desinformação"? Não, obrigado. Já temos a grelha de canais da TV (para ir ao) Rabo, ops... Cabo! E esta já praticamente todos os portugueses a têm.

quinta-feira, janeiro 03, 2008

Curtas II: Gato Fedorento: a justiça fede!

Não foram poucas as vezes que já defendi em Tribunal indivíduos apanhados com excesso de álcool no sangue. Recordo os meus últimos dois casos: um tipo com 1,21 g/l ficou sem carta durante 3 meses, e foi condenado numa multa de 400 euros. Era primário (nunca tinha sido condenado por qualquer tipo de crime), confessou os factos e tinha graves dificuldades económicas. O outro foi apanhado com 1,24 g/l e ficou sem carta durante 3 meses, tendo sido condenado em pena de multa de 450 euros. Não vivia de forma desafogada, mas já se desenrascava melhor que o outro e em 21 anos de condução nunca tinha sido condenado. Era também primário neste tipo de crime e em qualquer outro. Cadastro limpinho. Também confessou os factos. A um deles não me limitei a pedir justiça, antes requeri que a medida aplicável fosse a admoestação, dado estarem preenchidos todos os requisitos. A juíza olhou para mim, ignorou-me por segundos e aplicou logo a pena.
Como estes, vi muitos outros casos. Não sou contra nenhum deles. Acho muito bem que se mate o mal pela raíz e se apliquem sanções duras. O que me faz pensar é ver que um tipo conduz com 1,6 g/l, paga 400 euros, conserva a carta, tem direito a esperar pelo julgamento na sala dos advogados para não se "misturar com os outros", e tudo isto se verificar pelo simples facto de ser um conhecido humorista que até é primário! Grave foi também alguém se esquecer de o autuar pela ultrapassagem pela direita que fez com que a polícia o mandasse parar.
Pela primeira vez vi um tipo que conservou a carta depois de ser apanhado com álcool no sangue o suficiente para ser considerado crime, e apesar de ganhar dinheiro q.b. para pagar uma multa como deve ser, pagar apenas 400 euros e ficar obrigado a doar um determinado montante a uma instituição.
O que estarão a pensar os meus oficiosos neste momento? "Aquele filho da p... não fez o seu melhor, senão também tinha ficado com a minha carta e tinha sido multado num valor mais baixo". Grave é também o facto de agora todos poderem invocar o "caso Gato Fedorento", para que se apliquem as mesmas medidas aos respectivos arguidos e todos conservem a carta! Ou seja, o mal corre o grave risco de não ser cortado pela raiz, porque alguém se lembrou de ajustar a lei ao homem e não o contrário.
Não é o Gato que é fedorento. A justiça é que fede... e muito!

Curtas I: Presidente da ASAE fuma no Casino

Que o Presidente da ASAE faça questão de fumar, não é algo que me preocupe. Cada um destrói a sua vida como quer, e atrai para si os cancros que bem entender. Ganhar um cancro é fácil, mas não é barato e pode mesmo custar alguns milhões. Mesmo assim as pessoas insistem em tentar desafiar o destino e fumar sem parar. O que me preocupa verdadeiramente são os que vivem sob o lema "I may go to hell, but you're all coming with me" e insistem em atrair cancros para si e para terceiros. Só assim se explica que muita gente fume, apontando o cigarro aceso, bem como o respectivo fumo que emana das próprias bocas, para gente inocente que não fuma e não quer fumar (fora aqueles que nem sabem o que isso é e sofrem com isso, como é o caso das crianças. Mais tarde acabam por achar giro o que os pais fazem e vão para as escolas começar a imitar os vícios dos mais velhos).
Voltando ao Presidente da ASAE, o que acho verdadeiramente grave não é o facto dele fumar no Casino às 2h00 da manhã do dia 1 de Janeiro de 2008. Confesso que nesse dia estava muito mais preocupado com outras coisas, :)))), do que em ver se a partir da meia-noite toda a gente tinha o cigarro apagado nos locais fechados, ou se as discotecas e cafés tinham ventilação. António Neves podia simplesmente invocar o facto de a lei ter acabado de entrar em vigor há escassas duas horas e, no meio da folia que são as celebrações do Ano Novo, ter-se esquecido por completo que estava num recinto fechado onde já era proibido fumar. Este é o problema da entrada das leis em vigor: quando a Lei do Aborto foi aprovada, ninguém fez fila à porta de um Hospital a esperar impacientemente pela meia-noite, porque as dez semanas iam acabar dali a minutos e tinham que fazer o Aborto às 00:01. É ridículo exigir-se a alguém que ao fim de duas horas de uma lei entrar em vigor, a mesma se aplique como se já estivesse "viva" há dezenas de anos. É ridículo e absurdo.
Não custava nada o Presidente da ASAE enveredar por esta justificação. É certo que a ASAE é uma instituição rigorosa e profissional e não há falhas nem perdões para ninguém, mas ficaria mais bonito e torná-lo-ia mais humano, do que dar como justificação, o absurdo "nos casinos a lei não se aplica". Tudo se torna mais absurdo porque por estas declarações acabamos por concluir que afinal António Neves estava consciente do ilícito que estava a praticar. E existe ilícito, ao contrário do que António Neves diz. Caso contrário, como se explica que o departamento jurídico da ASAE... repito, o departamento jurídico da ASAE, refira que a nova lei também se aplica aos casinos? Só espero não ver cabeças a rolar pelo facto do departamento jurídico da instituição a que António Neves preside, assumir esta posição e a mesma ser categórica. Ou seja, não existiam dúvidas que a lei se aplicava no Casino, o Presidente da ASAE (sim, os mesmos que fecham a Ginjinha sem apelo nem agravo, é acabam com as bolas de berlim na praia, ou com as castanhas na rua) infringe a lei que se quer cumprida e fiscalizada parcialmente pela instituição que representa, e o mesmo ainda tenta fazer dos portugueses parvos ao dar desculpas que uma pessoa minimamente inteligente jamais daria!
O que acho verdadeiramente grave é isto: a tentativa de estupidificação dos portugueses por parte do Presidente da ASAE. E mais grave ainda acho o facto de já se falar em alterar a lei para que se possa fumar nos casinos. Tudo isto tem em vista livrar o Presidente da ASAE do vexame que está a passar agora. É vergonhoso. Cada vez mais se prova que as leis ajustam-se a alguns homens, em vez de serem os homens a ajustar-se às leis.

quarta-feira, janeiro 02, 2008

Tudo bons exemplos

"António Nunes, presidente da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), uma das entidades que irá fiscalizar a aplicação da lei que proibe o fumo em espaços fechados de utilização pública, foi fotografado pelo Diário de Notícias (DN) a fumar uma cigarrilha no Casino do Estoril às 02.30 da manhã do dia 01 de Janeiro.

Em explicações ao DN, António Nunes considerou que a nova lei "não proíbe expressamente o tabaco nos casinos e nas salas de jogos", justificando com a existência de um conflito de interesses com a lei do jogo, que contudo, não faz qualquer referência ao consumo de tabaco.

No entanto, um parecer da Direcção Geral de Saúde a que a Lusa teve acesso sexta-feira indica que os casinos e salas de jogo "sendo locais fechados não podem deixar de se incluir no âmbito da aplicação a lei", além de estarem abrangidos na lei por "serem locais de trabalho".(...)".
Palavras para quê? Uma situação habitual neste país que se chama Portugal.