quinta-feira, agosto 30, 2007

Pepe na Selecção: uma vergonha!

A mudança já está feita

Caros leitores, deixei, oficialmente, de ser português em termos desportivos. Doravante, só "Squadra Azzurra"! Estrangeiros por estrangeiros, mais vale torcer por aqueles que são campeões do mundo, têm classe e não jogam para o empate contra o Kuwait, Finlândia e Arménia.
Não há identidade nacional e é com tristeza que vejo que Portugal é representado por brasileiros. Nada contra os brasileiros. Podiam ser italianos, alemães, chineses, ou cabo-verdianos. O que está em causa é que o Pepe e o Deco não têm nada de portugueses! E quem diz estes, diz o Liedson, o Derlei, o David Luiz, o Nelson, enfim... Não se pode comparar alguém que está cá desde pequenino, com alguém que chegou cá e de repente é considerado português, graças à nossa Lei (?) da Nacionalidade.
É triste e deplorável. Agora temos samba na selecção, e nas conferências de imprensa da selecção portuguesa, temos o sotaque e o vocabulário brasileiro. Imagino um jogo entre o Brasil e a nova selecção do Brasil B. A diferença é apenas nos equipamentos.
Aprendi em pequeno que o importante não é ganhar, mas sim competir. Onde está isso no desporto? Ainda que o importante seja ganhar, não temos jogadores portugueses suficientes? Porquê chamar estes estrangeiros à selecção?!
Da minha parte, enquanto não mudarem esta "filosofia" e tirarem este treinador, acabou. Venha de lá a Itália, enquanto ainda só tem um italo-argentino. E não venham com a teoria do "foi a Itália, adorou e agora diz que lá é melhor do que cá". Quem me conhece há muito tempo, sabe que a paixão pela Itália existe desde pequeno. Sempre me habituei aos símbolos e à cultura italiana. Começando na gastronomia, passando pela história, a Itália, em especial Roma, sempre fizeram parte do meu "sonho de consumo". A nível desportivo, desde cedo me habituei a acompanhar o Calcio. Grandes formações como o Milan de Costacurta, Ancelotti, Maldini, Van Basten, Baresi, Gullit, etc, à Juventus de Baggio, Köller, Peruzzi, Del Piero, Ferrara, Vialli, Conte, à Lazio de Signori, Pagliuca, Gascoigne e Casiraghi, ao Nápoles de Careca, Ferrara e Maradona, ao Inter de Schillaci, Zenga, Berti, Brehme, Matthäus, Bergomi, Ferri, Klinsmann e Bergkamp, ao Parma de Zola, Asprilla, Buci, Benarrivo e Sensini, passando por muitos outros clubes de classe mundial, mas terminando naquela que é a minha equipa há cerca de 15 anos: a AS ROMA, por onde passaram jogadores como Völler, Caniggia, Manfredonia, Berthold, Aldair, Rizzitelli, Thern, Hassler, Balbo, Batistuta, Totti, e o sempre eterno Giuseppe Giannini.
Desde pequeno que sempre me habituei a idolatrar Itália e o futebol italiano e são diversos os factores que sempre me ligaram à Itália e considero que até tenho mais motivos para me sentir italiano do que Pepe português. E quem não me conhece ao ponto de poder emitir opinião, mantenha-se calado em vez de prestar a sua opinião sem elementos que a fundamentem.
Por tudo isto, para mim, Portugal morreu no aspecto futebolístico. Mas quem sabe um dia lá volte. Até lá...

Una Città, Una Squadra: ROMA O MORTE!
FORZA ITALIA!

16 comentários:

Luís Rocha disse...

Também o Mário Machado esteve uns anos na Alemanha e no Brasil.

DJ disse...

E o Francisco Louçã em Tirana, o Mário Soares em Paris, e o Hitler na Alemanha

Luís Rocha disse...

Vá, toca a cantar o hino italiano.

DJ disse...

Fratelli d'Italia,
l'Italia s'è desta,
dell'elmo di Scipio
s'è cinta la testa.
Dov'è la vittoria?
Le porga la chioma,
che schiava di Roma
Iddio la creò.

(Refrão)
Stringiamoci a coorte,
siam pronti alla morte.
Siam pronti alla morte,
l'Italia chiamò.
Stringiamoci a coorte,
siam pronti alla morte.
Siam pronti alla morte,
l'Italia chiamò!

Noi fummo da secoli
calpesti, derisi,
perché non siam popoli,
perché siam divisi.
Raccolgaci un'unica
bandiera, una speme:
di fonderci insieme
già l'ora suonò.

(Refrão)

Uniamoci, uniamoci,
l'unione e l'amore
rivelano ai popoli
le vie del Signore.
Giuriamo far libero
il suolo natio:
uniti, per Dio,
chi vincer ci può?

(Refrão)

Dall'Alpi a Sicilia
Dovunque è Legnano,
Ogn'uom di Ferruccio
Ha il core, ha la mano,
I bimbi d'Italia
Si chiaman Balilla,
Il suon d'ogni squilla
I Vespri suonò.

(Refrão)

Son giunchi che piegano
Le spade vendute:
Già l'Aquila d'Austria
Le penne ha perdute.
Il sangue d'Italia,
Il sangue Polacco,
Bevé, col cosacco,
Ma il cor le bruciò.

(Refrão)

FINE!

:))))

Luís Rocha disse...

Portugal e os portugueses agradecem.

DJ disse...

Pensei que você fosse contra essa do "Portugal aos portugueses".

Pedro Sá disse...

Curiosamente a Itália que também tem naturalizados.

E já agora. Quer gostes quer não, e como acontece em qualquer país (na Alemanha do Hitler é que não era assim), é português quem preenche os requisitos legais para o ser. Ponto. E a única diferença dos portugueses não originários é que não podem ser candidatos a Presidente da República. E ainda bem que é assim.

Miki disse...

mas qual AS Roma pá...AC Milan é que é!! Rossonero fino alla morte!!
Concordo ctg em parte...Selecção portuguesa aos portugueses de gema, não aos oportunistas que se dizem sentir portugueses. Mas daí até repudiar a selecção...Portugal sempre!
Abraço

Pedro Sá disse...

Até me tinha esquecido do essencial. O título do post tem um erro grave. É que, como é sabido, VERGONHA É ROUBAR E SER APANHADO ! E NADA mais que isso !

Luís Rocha disse...

Vergonha é ser-se pobre de espirito e censurar quem, correctamente, se defende de uma calúnia.

Foi o que o DJ fez quando o adverti de que tinha escrito "Portugal e os portugueses agradecem" e não "Portugal aos portugueses".

Deve ter sido a menção ás reguadas, cuja aplicação o DJ, do alto dos seus confessos 25 anos, afirma que sofreu num dos seus posts que o ofendeu tanto.

Manuel disse...

"(...)Além deles, pasmem, outros nove jogadores brasileiros, naturalizados italianos, defendem a “Azzurra” na mesma competição. Ao todo, dos 14 atletas inscritos no torneio, nada menos que 12 são ítalo-brasileiros.(...)"

http://ultimosegundo.ig.com.br/paginas/cadernoi/materias/204501-205000/204678/204678_1.html

Luís Rocha disse...

Doce, dulcíssimo.

Portugal mandatou-me para avisar que não aceita desertores de volta.

LOL

DJ disse...

Luís, os 25 anos já foram há algum tempo, infelizmente...

Luís Rocha disse...

Perdão, 26.

DJ disse...

Manuel, juro que o meu próximo post vai ser uma resposta ao seu comentário, e vai entender o meu ponto de vista e a diferença.

Luís Rocha disse...

Para quê responder?

Faz sentido: É natural que uma equipa composta maioritariamente por naturalizados tenha adeptos também eles naturalizados.

Eu até considero que vc sabia disto de antemão e foi elemento fulcral para a sua decisão.