quinta-feira, agosto 30, 2007

Incoerências

O jornalismo desportivo de 2ª feira passada, no rescaldo do F.C.Porto, foi praticamente unânime em afirmar que o lance que dá o golo ao Porto é extremamente duvidoso e os especialistas da matéria de arbitragem afirmam mesmo que não existe falta do guarda-redes do Sporting, já que Polga não efectua um atraso, mas corta a bola a Helder Postiga. É unânime também em afirmar que Quaresma, Pedro Emanuel e Bosingwa deveriam ter sido expulsos por agressões a Miguel Veloso, Derlei e João Moutinho, respectivamente.
No entanto, para estes fazedores de opinião que se dizem muito isentos, o importante é que o resultado foi justo, já que o Porto foi a melhor equipa em campo e quem dominou mais tempo o jogo. Segundo a teoria destes jornalistas, até foi bom Pedro Proença ter cometido estes erros graves, já que eles permitiram que houvesse justiça no jogo.
Olhando no entanto para a imprensa desportiva de hoje, eis que todas as teorias anteriomente explanadas são postas no caixote do lixo. O Benfica, apesar de ter levado um banho de bola, de ter efectuado 2 remates durante todo o jogo de ontem, de ter levado 2 bolas no poste e do árbitro não ter assinalado um penalty que Miguel Vítor cometeu na 1ª parte, afirmam os jornalistas que o resultado é justo já que o Benfica foi uma equipa heróica e que defendeu muito bem, apesar de ter sido dominada o jogo todo.
Esquecem portanto tudo o que escreveram na passada 2ª Feira. Incrível! A suposta justiça do jogo, que até tolera que hajam erros grosseiros dos árbitros, foi esquecida em 3 dias.
Assim se vê o que é o jornalismo desportivo (e não só) português.

5 comentários:

DJ disse...

Ainda andas a chorar por causa do Sporting?! Então e os elogios que fizeram ao Sporting sobre o jogo da Supertaça, em que se alega que "foi eficaz" e quem é eficaz é que merece ganhar jogos, etc? Não falas desses? Também não falas do vermelho que o Abel devia ter visto nesse jogo, ou do penalty por marcar a favor do Porto, que até o Paulo Bento admitiu.

Primeiro o jornalismo desportivo não presta e os comentadores são fazedores de opinião. Quando falam que o Sporting foi roubado, passam a ser fonte credível e uma referência na análise desportiva. Se voltam a dizer que a eficácia ganha jogos e que foi heróica a exibição dos adversários, então deixam de valer e voltam a ser desprezíveis.

Ora, como é que se pode confiar na opinião de um sportinguista destes?

poeta irreverente disse...

Parece-me que ontem alguém afirmou "ok, tudo bem que o Porto foi beneficiado, mas ao menos fez-se justiça..."

Esse alguém era Alexandre Guerreiro, que também segue a linha dos jornalistas desportivos de hoje.

DJ disse...

Mas o Benfica não foi beneficiado ontem em nada. Se reparares, no lance do dito penalty, se o Miguel Vítor puxa a camisola para o chão (como se pode ver nas repetições), como é possível que o jogador do Copenhaga salte para cima e para a frente? Será o chamado efeito mola? Que saiba, os humanos não o têm. É tudo uma questão de física: se puxas para baixo, a matéria vai para baixo, se puxas para trás, a matéria vai para trás, se empurras para a frente, vai para a frente. Agora, essa de dar saltos... é nova.

poeta irreverente disse...

E deixa-me cá ver, o Benfica também fez uma grande exibição e o resultado foi justo, certo?

Fanatismo vermelho cega-nos a racionalidade.

DJ disse...

O Benfica não fez uma grande exibição ofensivamente, mas a defender... foi herói!