domingo, maio 20, 2007

Uma nova forma de fazer Governo

O Presidente Francês, Nicolas Sarkozy, dá aulas sobre como deve ser um Presidente e um Governo. Começou por fazer uma limpeza ao espaço, recusando-se a trabalhar com pessoas que o tentaram apunhalar, como foi o caso de Dominique de Villepin, ex-Primeiro Ministro. Colocou no seu lugar, ainda que por apenas dois meses, François Fillon. Depois, continuou a organizar a casa e anunciou o novo Governo, com algumas surpresas: pela primeira vez, um Governo francês mostra equilíbrio entre o número de homens e o número de mulheres. No entanto, ao contrário do que querem fazer por cá impondo um número mínimo de mulheres, ainda que as mesmas não tenham competência para os cargos, na França as mulheres nomeadas para o Governo são conhecidas de Sarkozy e são da sua confiança e do novo Primeiro-Ministro. Outra surpresa foi a nomeação do socialista Bernard Kouchner para o Ministério dos Negócios Estrangeiros. Cumpriu ainda a promessa eleitoral de criar um Ministério da Imigração e da Identidade Nacional, ficando a cargo deste Ministério, Brice Hortefeux, amigo pessoal de Sarkozy.

Para início de mandato não está mau. Tempos de mudança se vivem em França neste momento. Mudança essa que Portugal bem precisa. O socialismo já passou pela França há muitos anos, só tendo dado recentemente um ar da sua graça com a aparição de Ségolène Royal. Tal, deveu-se em grande parte ao facto de Royal ser mulher. Caso contrário, mais uma vez os socialistas teriam ficado pelo caminho na primeira volta.
Portugal precisa conhecer uma mudança semelhante, relegando o socialismo para terceiro plano. Infelizmente, derivado do "atraso" que vivemos relativamente aos outros Estados-Membros, tal mudança só ocorrerá de forma firme e significativa dentro de sensivelmente 20 ou 30 anos. Até lá, teremos hipótese de continuar a ver a esquerda arruinar o nosso País. Pedir aos portugueses que sigam o modelo nórdico, é impossível. Os nórdicos têm uma mentalidade que os portugueses não têm e estão longe de ter. Mas é possível aproximarmo-nos do modelo francês. É possível pôr os olhos na França e aprender com a mudança que a França vai ter. É imperativo existirem regras nesta sociedade. Regras para todos. E respeito pelos nossos valores, símbolos e História. Temos uma História muito rica e longa. Tão longa, que os últimos 33 anos jamais a conseguirão apagar. Muitos têm-se esforçado para se equiparar às glórias passadas, camuflando muitos factos e iludindo muitos portugueses. Vamos esperar que um dia o povo português acorde... acorde para fazer novamente História!

Sem comentários: