quinta-feira, maio 31, 2007

A casa da Joana

Estava hoje de manhã a ver os títulos dos jornais, quando vejo a capa de um jornal popularucho que informava que a Floribella foi ao Parlamento falar sobre a violência doméstica e proferiu a brilhante frase: "Fazia chichi pelas pernas abaixo de ver o que a minha mãe sofria".
Esta frase veio no dia a seguir a Floribella ser capa de outro jornal popularucho com a foto da miúda inglesa desaparecida e onde, com o seu ar de... Floribella sofredora, dizia que chora "pela pequena Maddie", que "reza todos os dias com a mãe e pede por ela", e pede "que tragam a Maddie de volta".
Sobre este último facto, alguém no seu perfeito juízo acha que é porque o Cristiano Ronaldo ou a Floribella irem para os jornais pedirem que "devolvam o bem", que o raptor vai sentir a consciência pesada e a vai entregar? Quem consegue ser estúpido ao ponto de acreditar nisto?!
Sobre o primeiro facto só tenho a dizer que o Parlamento é, realmente, a casa da Joana. Cada um vai lá, serve-se e faz e diz o que bem quer. Juro que consigo imaginar a cara da Luciana Abreu a dizer que "fazia chichi pelas pernas abaixo". Isto é... absurdo! Que país é este que temos?! Ou eu sou de outro planeta e estou na sociedade normal, não conseguindo lidar com a normalidade, ou toda a gente anda a brincar com a cara das pessoas, e há gente muito estúpida e idiota por este país! Gostaria de não acreditar na 2.ª, mas depois de ver, de forma permanente, este tipo de coisas, não posso chegar a outra conclusão!
Por favor, respeito pelos portugueses e respeito dentro dos órgãos que os representam! Se isto não é o forrobodó, então façam com que não seja!

6 comentários:

insolito disse...

"O caso da Joana" ??

insolito disse...

Hoje não estou a ver muito bem. "A casa da Joana", certo, já percebi a alegoria. Eu permito-me por vezes estes lapsos mentais!

DJ disse...

insólito,

não te preocupes, todos os temos :).

Já agora, fica um cumprimento às Joanas que lêem o blogue. É com respeito que uso a expressão, pois nada tenho contra as Joanas :).

Pedro Sá disse...

Bem, que alguém tenha chamado a Floribella para falar sobre violência doméstica sabendo que assistiu a isso até acho boa ideia, considerando o mediatismo da pessoa.

Portanto realmente não percebo os motivos de qualquer tipo de censura. Ela falou da sua experiência relativamente à violência doméstica, e não fez nada que possa ser censurável.

Quanto ao ridículo da Maddie, dispensa comentários.

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

E os orgãos que nos representam sabem dar-se ao respeito?

Pedro Sá disse...

Ui já cá faltava o elitismo. Um intelectualóide qualquer pode ser chamado a uma coisa na Assembleia, mas a Floribella já não pode, é claro...