sábado, fevereiro 17, 2007

Impressionante... o tipo é imparável!

Mais uma de Manuel Pinho. Acho impressionante a forma como ele está imparável desde que tomou posse como Ministro (praticamente 2 anos). Depois de vender Portugal a um sem número de países, o mais recente reforço é a Espanha. Convida os espanhóis a investir em Portugal, como se tivessemos pouco investimento estrangeiro, sobretudo espanhol. Aliás, diria que os espanhóis não conhecem o mercado português. Há que explorá-lo e incentivar os mesmos a investir em Portugal, esse país em que eles têm medo de investir, conforme se pode constatar no nosso dia-a-dia.
Não obstante tudo isso, e não obstante termos inúmeros espanhóis a investir em Portugal, Manuel Pinho demonstra-se radiante com os casos da Repsol, que vai investir na petroquímica de Sines 800 milhões de euros, da Abertis, que vai construir no Norte de Lisboa uma plataforma logística (temos poucas, pelos vistos), e da La Seda, que também está interessada em Sines.
Pelo caminho ficam declarações como "Portugal necessita de investimento. Recebemos as empresas espanholas de braços abertos".
Grande Pinho! Continua a incentivar ao investimento estrangeiro em Portugal que a pouco e pouco vai adquirindo Portugal por completo, em vez de criar alicerces e incentivos para que sejam os portugueses a investir! Se ninguém pára este homem, qualquer dia temos a PT nas mãos de espanhóis, entre outras... Alguém lhe ponha um travão ou Portugal vai bater mais fundo ainda!

4 comentários:

O_PARVO disse...

Proteccionismo Sempre! Economia e as leis de mercado sucks!

DJ disse...

Um leitor minimamente atento e tendencioso saberá entender que ninguém defendeu o proteccionismo neste post, mas defendeu limites ao investimento estrangeir no nosso país, sobretudo no tocante ao mesmo país, que por acaso fica mesmo aqui ao lado, que investe sem parar no que é nosso. Especialmente no que toca a empresas cuja propriedade é do Estado. É grave andarem a privatizar tudo, a permitirem que com essa privatização as participações vão para as mãos de empresas espanholas (quase todas estrangeiras) e que comecemos a perder a nossa identidade nacional. Isto não é proteccionismo, é dignidade nacional. Estamos a perder TUDO o que temos, e o investimento espanhol já começa a ser demais. Mas acho que deves ficar feliz: afinal, quando queres, por exemplo, encher o depósito do carro, vais à Repsol e pagas um balúrdio. Nós aqui na margem sul temos uma bomba à saída da ponte em que o combustível é quase menos 10 cêntimos e não é Repsol, é a do Jumbo. Fica com a tua anarquia de mercado. Eu prefiro ter alguma identidade e dignidade nacional e proteger empresas que são importantes em Portugal, tirando-as das mãos de estrangeiros. São símbolos nacionais, que NÃO devem ter ninguém estrangeiro por trás! E isto, repito, não é proteccionismo. Ninguém está a fechar as portas a todo o investimento estrangeiro. Isto é como a imigração: tem que haver limites, sob pena de se perder o controlo sobre a situação!

O_PARVO disse...

Pois, identidade nacional também o Hitler defendia.

Um leitor mais atento teria reparado que nada disse acerca das privatizações, no entanto o DJ não é um leitor atento, até porque no seu post nada diz sobre as empresas do Estado!

Dizes no teu comentário que deveriam existir "limites ao investimento estrangeiro no nosso país, sobretudo no tocante ao mesmo país, que por acaso fica mesmo aqui ao lado, que investe sem parar no que é nosso." - Gostaria que me elucidasses como pretendes limitar o investimento, pelas empresas espanholas no nosso país! Qual a forma de discriminação?

Já que te mostras contra o investimento estrangeiro, principalmente pelos espanhóis , não deverias dar o exemplo do JUMBO! Não sei se sabes mas infelizmente também é um investimento estrangeiro, mas desta feita dos malditos dos franceses do gruopo Auchan!

Quanto ao balúrdio que pagas pela Gasolina devo dizer-te que cerca de €6,5 são para reforçar a tua identidade nacional! Caso contrário qualquer dia é o próprio Estado que será entregue aos espanhóis! Juan Guerrero!

Quanto a mim entendo que a Identidade Nacional não se ganha por limitar os investimentos deste ou daquele país! Há que reforçar as empresas nacionais, dotando-as de mais competitividade para fazer face à economia de mercado global! Não nos podemos esquecer que existem muitas empresas portuguesas em diversos países do mundo, nomeadamente de leste e América latina. Mais uma vez à semelhança do que acontece com os imigrantes portugueses (que tanto acusas de roubarem o trabalho os cidadãos nacionais!).

Uma das melhores maneiras de fomentar a economia e o emprego é através de investimento! Se não existir investimento, a economia estagna! Pena é que o investimento é estrangeiro, mas sem ele não podemos crescer.

Eu não quero estar orgulhosamente sós!

P.S.: No entanto sou a favor da manutenção de empresas portuguesas nas mãos de portugueses! Entendo é que essa baixinha e mesquinha,por não termos a mesma capacidade financeira, não é o caminho para que posamos manter os centros de decisão em Portugal. Quero ficar com as nossas empresas por sermos melhores e mais competitivos!

Pedro Sá disse...

Epá estamos no mercado único ou não estamos ?

Se vai tudo para as mãos de estrangeiros, é da vida !

Como se fosse fazer alguma diferença DUH !