terça-feira, fevereiro 20, 2007

Está de volta!

Depois de João Pereira da Rosa, Garcia Pereira é outro candidato a Bastonário da Ordem dos Advogados. Independentemente de concordar com as suas ideologias políticas, ou não, tenho que concordar que é um homem honesto, sério e rigoroso. Enquanto advogado é um excelente profissional e acho que, se vencer, dignificará a profissão. Acima de tudo os advogados sentirão que terão nele um "amigo" que irá lutar pelo verdadeiro corporativismo da classe, que passa pela protecção dos seus profissionais, algo que desde os últimos dois bastonários se tem vindo a perder um pouco.
Se realmente se confirmar que Garcia Pereira vai avançar com a sua candidatura a Bastonário da Ordem, acho que todos (advogados, advogados estagiários e futuros profissionais da classe) teremos motivos para acreditar que com ele as coisas vão mudar! Acredito, ainda, que a mudarem sejam para melhor.
As eleições são em Dezembro deste ano.

3 comentários:

Sofia Paixão disse...

Não sei porquê e confesso até ser um pouco injusto, mas devido às tuas últimas opiniões sobre determinados assuntos, e mesmo não sabendo rigorosamente nada sobre os outros candidatos, ou sobre o trabalho dos anteriores bastonários, estando portanto completamente em branco nesta matéria, sinto-me extremamente tentada a pensar que escolher o Garcia Pereira seria um desastre. Go figure...

Pedro Sá disse...

Qualquer coisa é melhor que o corporativismo bafiento e de pacotilha do Pereira da Rosa.

Se fosse advogado, pelo menos entre estes dois não hesitaria em escolher Garcia Pereira.

DJ disse...

Cara Sofia,

se não sabes nada sobre os candidatos e os seus planos para a Ordem, bem como os seus perfis, então seria razoável que não tomasses o partido de nenhum deles, nem te sentisses tentada a optar por um candidato contrário à minha escolha, só porque o escolho.

Temos gostos e factores de decisão diferentes, mas isso não faz com que as minhas opções sejam mais ou menos felizes que as tuas. Para fazer uma escolha, nada como conhecer bem o quê e quem está em causa. Só assim se poderá tomar uma opção sensata.