quinta-feira, dezembro 07, 2006

O fim de Cosmo Kramer?

Michael Richards, o conhecido Cosmo Kramer de Seinfeld, teve recentemente um episódio muito infeliz. A meio de um espectáculo na Laughing Factory, perdeu o controlo e enfureceu-se contra dois rapazes que estavam na audiência a perturbar a sua actuação por estarem a falar. Como os rapazes eram de etnia negra, as piadas e as bocas que lhes disse facilitouas palavras que saíram da sua boca naquela noite. Ao mesmo tempo, o público insurgiu-se com as palavras racistas que ouviram provenientes Michael Richards, e decidiram entrar num bate boca com ele, abandonando o estúdio ao mesmo tempo.
Posteriormente, os dois rapazes a quem já chamam de vítimas e os quais já querem fazer uns mártires, contaram que já antes do espectáculo ele tinha dito e acontecido uma série de coisas. Enfim, agora para eles é fácil dizer que aconteceu uma série de coisas. Mantêm-se dúvidas sobre o que aconteceu. No mesmo programa da CNN onde apareceram os rapazes a contar o que sucedeu e muito mais, nomeadamente coisas às quais já ninguém assistiu e, logo, não se devem tornar fiáveis só porque eles dizem que aconteceu, disseram ainda que se não fossem as filmagens ele não estaria a pedir desculpas. Ou seja, passaram ao ataque, querendo associar Michael Richards a um qualquer promovedor de actos racistas!
Apesar de tudo, retratou-se no programa de David Letterman. Para mim, este seu acto desiludiu-me imenso. Adorei o Kramer de Seinfeld. Sou viciado em Seinfeld. E ver um tipo que sempre gostei imenso a fazer este tipo de coisas, é para mim uma enorme desilusão. Ainda recentemente andei a pesquisar informação sobre filmes ou outro tipo de coisas que tivesse feito, e não encontrei nada. Sempre julguei que tivesse vingado em alguma série norte-americana ou em algum filme. Mas não.
Creio que, se o Michael Richards se retratou, devemos dar uma segunda oportunidade ao tipo, tal como Jerry Seinfeld defende. Afinal, falamos de um profissional. Teve um acto infeliz, retratou-se e pediu perdão pelo sucedido. Pergunto: merecerá ele um fim destes, por causa de um acto infeliz que teve numa noite? Haverá necessidade de o crucificar? Não me parece. Uma segunda chance para ele, é o que peço. É um desperdício que a carreira de alguém com potencial acabe por uma coisa destas. No entanto, não deixando de ser uma desilusão, antes dele ser profissional, é um ser humano. E tem direito a errar e a arrepender-se pelos seus erros.

4 comentários:

Penso e Digo disse...

pois é, antes de tudo somos humanos mas ninguem se lembra disso em certas horas.o que está na berra são as agressoes pessoais. Nada se discute sem haverem agressoes pessoais. As pessoas não são construtivas.É tal e qual o que acontece aqui. Não se discutem ideias mas pessoas. As mesmas coisas ditas por pessoas diferentes têm impacto diferente.

Pinokio disse...

Ter visto alguém que abriu um tópico sobre admiração a Salazar e ver agora alguém a criticar este actor por chamar nomes aos que não sabiam estar civilizadamente num sitio e deixa-lo fazer o seu trabalho é no minimo....algo contraditório.
Chamou-lhes preto??E então? Os pretos também me chamam branco, eu iria chama-los de escuros, como eles tanto gostam, quando eles me chamarem de claro.Se eles são pretos, são pretos.É apenas uma palavra que ainda não conseguiram ultrapassar. Está numa sociedade livre para não gostar de pretos, é ser racista? Os maiores racistas que conheço são os próprios pretos que não gostam dos brancos, os de cabo verde não gostam dos angolanos, e vice versa.Kramer rocks e exaltou-se é certo, disse coisas que talvez não devesse ter dito, mas eu não sairia do show só porque chamou de pretos e fdp a quem estava constantemente a incomodar o espectáculo.

A Vero Domino disse...

Só um reparo a fazer. "Etnia negra" não é correcto de maneira alguma.
É grave que um licenciado em direito utilize erradamente palavras tão pouco semelhantes.
A palavra "etnia" é derivada do grego ethnos, significando "povo", tendo como critérios os factores linguísticos, genéticos e culturais (nomeadamente a nacionalidade, a afiliacão tribal, a Religião, a língua e as tradições).
Raça negra é o termo correcto, pois assenta em factores morfológicos (como cor de pele, constituição física, estatura e traço facial). Exite ainda, alguma doutrina que entende que não existem raças, no entanto tal ainda não foi provado.
Quanto a mim, a raça negra é exactamente a mesma coisa que a raça branca. Somos todos irmãos!

DJ disse...

Naturalmente que, para mim, chamar preto aos pretos é igual ao litro. Eu, para eles, sou branco! Não vejo nada de pejorativo nisso. O problema é ele fazer referência às práticas do KKK e recordar um período "negro" da história. Quanto ao resto, já começam eles a fazerem-se de vítimas e a atirarem mais lenha para a fogueira, dizendo que já aconteceu mais uma série de coisas. Típico.