quarta-feira, novembro 29, 2006

Pepe na Selecção?!

Seria suposto que a Selecção Nacional Portuguesa fosse composta por atletas portugueses. Pelo menos assim faria mais lógica. Aceito o facto de termos atletas que nasceram em França, Guiné, ou Angola e logo com alguns meses ou um ano de idade vieram para Portugal e naturalizaram-se portugueses. O que eu não aceito é termos brasileiros que com 20 ou mais anos de idade chegam a Portugal para jogar num qualquer clube, e só porque existe uma lei demasiado permissiva no aspecto da nacionalidade, adquirem-na e de repente representam Portugal actuando na Selecção Nacional como se fossem algo que não o são, nunca foram e nunca serão na verdade: portugueses. Lá porque lhes foi dado um passaporte de portugueses, a maior parte deles nem sabe o que é Portugal. Sabem apenas do que jogam e do que comem por cá. Ah, porque a comida é muito boa e o fado é giro. Isso chega para serem portugueses? Será suficiente passarem cá alguns anitos e lhes ser dada a nacionalidade só para poderem circular livremente na União Europeia ou não contarem como estrangeiros no plantel de qualquer clube europeu? Estes tipos não sentem o país. Vejam o exemplo do Deco. Ficou cá uns anos, tentou casar-se com uma portuguesa e manter-se com ela durante 3 anos só para ludibriar a lei e depois deixá-la nas ruas da amargura. Hoje, a diferença é que em vez de jogar no Porto, joga na Selecção Nacional. Mal conseguiu a sua nacionalidade foi para o estrangeiro. Não sabe o hino, não deve saber quem foi D. Afonso Henriques ou qualquer outra importante figura política portuguesa, e tudo o que sabe é que aqui temos o nosso bacalhau e pouco mais. Representa Portugal com que legitimidade? Saberá ele o que é Portugal em termos históricos? É uma vergonha quando vamos ver jogos da Selecção, que representam Portugal e os portugueses nas competições em que se encontram, e vermos um brasileiro que veste a camisola das quinas como quem veste a camisola de dormir no inverno e que só está a usar Portugal para ganhar visibilidade, e não por se sentir português, porque de português não tem nada! Nem o sotaque!
Após esta euforia com este brasileiro na Selecção, fomos confrontados com mais duas campanhas doentias para mais dois brasileiros se juntarem a ela e representarem Portugal: Derlei e Marco Aurélio. O que é que querem fazer de Portugal? Um sub-satélite do Brasil? É que este tipo de jogadores que querem chamar para representar uma das maiores potências mundiais, como é cada vez mais Portugal, são atletas que nem sequer são a 2.ª linha no Brasil. Estes jogadores vieram de distritais e outros afins e só porque jogam em Portugal e fazem um ou outro jogo interessante já os querem com nacionalidade portuguesa e a jogar por Portugal!!! Isto, para mim, é um escândalo! As pessoas pouco se importam se os atletas estão aqui de passagem, ou só têm nacionalidade portuguesa porque querem atingir qualquer outro fim do que o de "sentir que são portugueses". A este tipo de situações a lei da nacionalidade deveria criar excepções que os obrigasse a permanecer no território pelo menos 10 anos! Desportistas só estão cá determinado tempo para obterem a nacionalidade portuguesa, para poderem circular livremente por qualquer outro país da Europa. Não se iludam! Eles não sabem o que é Portugal, e não se sentem como portugueses!
O último caso é o de Pepe. Um tipo brasileiríssimo, que de português não tem nada e até já jogou pela Selecção Olímpica do Brasil, de repente sente-se português. De repente, um número determinado de mentecaptos decidiu andar a pressionar um brasileiro a chamar outro à Selecção. Acham que um é pouco. Precisamos de mais. Portugueses? Não interessa. Tragam brasileiros que a Selecção nem é a de Portugal, é a de todos nós. É o nosso clube onde metemos tudo o que quisermos. Então vamos estragar aqueles que representam Portugal e são portugueses e vamos lá por qualquer um que se diga português, mesmo não o sendo. O tipo, por mais brilhante que seja, e que nem é assim tanto, se nasceu brasileiro, não é porque a nossa lei é infeliz que de repente o vamos chamar à Selecção Nacional. Ele que seja chamado à dele. Se não o chamarem por falta de qualidade comparativamente com os que são chamados, azar o dele. Não vamos é deixar de chamar portugueses à nossa Selecção. Ponham uma coisa na vossa cabeça: ele só quer ser português, para não contar como estrangeiro em qualquer clube por onde passe e para ganhar visibilidade indo à Selecção. Este é outro que mal sabe o que é Portugal. Não se iludam e deixem-se de campanhas doentias!
Já estou como o outro do jornal Record: que tal arranjarmos um vazio legal para conseguirmos trazer o Kaká, o Ronaldinho e o Eto'o à Selecção? Já que aproveitam a lei como está e em que qualquer um é português... Hoje em dia usam e abusam de Portugal e o pior é que o povinho aplaude.
Quanto a mim, meus amigos, tenho a dizer-vos que não está em causa a nacionalidade, nem nenhum pensamento xenófobo ou racista. Pelo contrário. Respeito a nacionalidade brasileira, como respeito a Angolana, a Francesa, a Americana, a Inglesa e qualquer outra. O problema é que a Selecção Nacional deve ser composta por... portugueses! E não por luso-brasileiros, e outros afins! Só portugueses devem representar Portugal. É um cargo de demasiada honra e responsabilidade. Pouco importa se não vamos ao Mundial, se não chegamos à Final do Euro. Importante é ter portugueses que sintam a camisola e a Nação em cada um dos palcos onde actuam. A grande máxima do Desporto não é "Importante não é ganhar, mas sim competir"? Então? Será que a todos os portugueses o que importa é atingir um fim, que é ganhar, e para isso socorrem-se em qualquer meio para o atingir? Onde está o prazer em sermos portugueses? Ganhando ou perdendo, somos sempre portugueses e a nossa Selecção é composta por portugueses. Onde está isso? Deixou de existir, porque os portugueses querem é ganhar, não importa como, nem com quem. Aquilo a que nos arriscamos é a ter uma segunda linha de estrangeirada a representar Portugal que nem sequer sabe o hino nacional, e a não termos qualquer português na nossa Selecção. Não me dêem a desculpa que já várias selecções o fizeram. Esta filosofia é muito errada.
No dia em que for chamado mais algum estrangeiro naturalizado à Selecção, meus amigos, vou deixar de ver e apoiar a Selecção, porque aí deixará de ser a Selecção Portuguesa, para passar a ser a Selecção dos luso-estrangeiros. E essa, eu não apoio e nem tenho qualquer interesse em ver os jogos.

10 comentários:

Príamo disse...

Acabou há 2 dias o blog Torto e a Direito, na sequência do fim de outros blogs, como o Boca NO Trombone, Aborto e a Direito, Rotura, Pegas e Touradas, etc etc...

Todos acabam execepto este, o Bar Velho Online, o 1º blog (e pelos vistos único) da FDL.

Assim continuem, que eu continuarei a ser um leitor atento.

DJ disse...

Caro Príamo,

obrigado pelo apoio e pela fidelização. O Bar Velho Online continua em pé e sempre irá continuar. É uma questão de nos continuarem a visitar como sempre.

"Bar Velho sempre na vanguarda, hoje e sempre".

Um abraço

Príamo disse...

É verdade, parabéns pelas 60.000 visitas!

Deve ser o resultado de não serem um blog sazional...

tuca disse...

Caro Alexandre,

Repara nesta situação:

O indíviduo A, nascido em Carrazeda de Ansiães, é um daqueles portuguesinhos que tu tão bem criticas, que apesar de português nascido e criado, defende com unhas e dentes a União Ibérica, apregoando que gostaria de ser espanhol.

O indíviduo B, nascido em Campinas do Sul, é um daqueles brasileiros que veio parar a Portugal e que, por ser talentoso, encontrou por terras lusas o sucesso e subiu a pulso.

Imagina agora, que ambos são jogadores de futebol. Ambos são altamente talentosos e têm qualidade para jogar na selecção portuguesa e/ou brasileira (repara como assim se exclui Derlei, Marco Aurélio e mesmo o Liedson!). Imagina ainda que o nosso selecionador, brasileiro mas que gosta de ganhar, ainda que por Portugal, confrontado com a hipótese de chamar à sua equipa o indivíduo B (entretanto naturalizado), e tendo hipótese de chamar os dois, decide chamar apenas o portuguesinho, simplesmente porque este o é, e com base numa regra de jus solis não convoca o brasileiro!

Não será esta situação rídicula? Não estará mais grato a Portugal o brasileiro, que com o seu trabalho aqui alcançou o sucesso, do que o portuguesinho que farto deste rectângulo, na primeira oportunidade que lhe surgiu preferiu ir jogar para o meio da tabela em Espanha?

Não estarás a dar mais importância à forma do que ao conteúdo?!

Um abraço

DJ disse...

Caro Tuca,

Realmente, a situação que descreves, não é mera hipótese. Até é realidade. Como disse no conteúdo do post, não rejeito que alguém nascido na Guiné (como o Yannick Djaló) ou na França (como o Petit), sejam internacionais e representem Portugal, porque têm bastantes afinidades com o País. O exemplo de alguém que apenas nasça no Brasil e cresça em Portugal não me choca. O que acontece é que exemplos como o do Deco, Liedson, Marco Aurélio, Pepe e Derlei, não são esse exemplo e muitos de nós sabemos que não é por estarem gratos ao País que querem ir à Selecção.

A esmagadora maioria deles quer ganhar visibilidade e transitar livremente por território europeu para não contar como estrangeiro e só quer representar um País, porque não são chamados a representar o seu.

Se após lhes colocarmos a hipótese de representar Portugal ou o Brasil, tendo as mesmas hipóteses de jogar nas duas, eles escolherem Portugal, até posso aceitar que o façam. O problema é que a maior parte deles só escolhem a nossa, porque na deles não há lugar. E aí rejeito a presença dos mesmos, que querem ganhar mais visibilidade internacional às custas do País. Pergunto: são eles que nos devem prestar um agradecimento pelo que fizemos por eles, ou somos nós que lhes devemos agradecer por cá estarem? Deixo a questão.

Um abraço para ti!

João disse...

Não posso corroborar com estas ideias, por muitos motivos. Do meu ponto de vista é uma posição demasiado extremista, sobretudo tendo em conta que muitos foram os portugueses que também imigraram e muitos são so portugueses integrados noutros países. Poder-te-ia falar de vários factores positivos que não enuncias. Mas é a tua posição, como tantas outras.

Persona naturale disse...

Meu amigo Alex estou plenamente de acordo contigo...Mas tocaste-me cá dentro quando invocaste o Guardião do Templo Azul, k infelizmente tem estado lesionado (e k falta nos faz).O Marco Aurélio não pode ser tratado da mm forma k os outros. O Marco está em Portugal há... são tantos os anos k nem sei a conta ao certo.Ao longo da sua carreira têm-lhe aparecido as mais variadas propostas para jogar em vários clubes, propostas às quais não cedeu, por amor ao seu clube e por adorar viver em Portugal. Aliás, na generalidade não é dificil um outro clube qualquer pagar mais a um jogador do que aquilo k paga o Belém, que como sabes está a passar dificuldades financeiras.
O Marco Aurélio não é como esses meninos brazucas k poem cá os pés durante um ano ou dois e já querem ser portugueses à força. Repara no Deco, há poucos anos em Portugal e logo k lhe cheirou a dinheirinho, a protagonismo e a ascensão futebolistica (Barcelona) quis ser português. O Marco como já disse está cá há muitos anos e só há 3 ou 4, não sei ao certo, é que adquiriu a nacionalidade portuguesa, não para ir para a selecção (aliás não me lembro de ouvir sair da boca dele que um dia gostaria de representar a selecção, mas podes ter a certeza k defenderia muito melhor do k aqueles k lá estão)mas por ter amor ao nosso país. Já falei com ele várias vezes e quando fala de Portugal, as suas palavras são de carinho. É pena que muitos portugueses não sintam esse carinho pelo nosso país.
Em relação aos outros estou plenamente de acordo ctg, agora em relação ao Marco não.

Bem fica entao aqui o meu comentário.

Rápidas melhoras ao Marco Aurélio.

Parabéns pelas 60.000 visitas (penso k tenho contribuido para este número lol).
Um grande blog.

Beijinhos Alex

****Andreia da FA

Pedro Sá disse...

A questão é outra. Uma coisa é o plano teórico, outra é o prático.

Se outros países utilizam esse expediente para tirarem vantagens nós vamos armar-nos em santos ????

NÃO HÁ URSOS !

RICARDO PITA disse...

se não fossem os "estrangeiros" da selecção francesa está n teria sido campeão do mundo e da europa

Pedro Malaquias disse...

O Deco viveu vários anos em Portugal. A sua entrada na selecção nacional não é oportunista; quando o faz, já tinha vencido uma taça uefa, uma liga dos campeões e vários campeonatos, estando já certa a sua transferência, no final da época, para o Barcelona. Não lhe seria difícil jogar na selecção brasileira.

Quanto aos restantes jogadores que enunciaste, a história é diferente e concordo contigo.