sábado, outubro 28, 2006

Um Governo à Benfica

Desde o início da sua governação que vejo o actual Governo a pedir "tempo" para que os projectos e medidas do mesmo venham a surtir efeito. Uma série de medidas polémicas, trouxeram Sócrates e os seus para a berlinda. De entre essas medidas, temos os Ministros da Economia e Educação na arena, prontos a serem devorados pelas feras. Temos ainda Ministros cuja esfera de acção é tão reduzida que mal se dá conta que os mesmos existem.
No meio de tudo isto, Sócrates parece-se com Luís Filipe Vieira. Pede "tempo" para que os portugueses vejam o surtir de efeitos das suas polémicas, e trapalhonas, medidas, da mesma forma que LFV pede aos benfiquistas que tenham paciência que a equipa começará a jogar à Benfica brevemente. LFV pede que aplaudam a equipa e as medidas mesmo quando as coisas não correm bem, da mesma medida que Sócrates pede a compreensão dos portugueses, que o Estado começará a funcionar como deve ser brevemente. LFV diz ainda que não governa "com assobios e lenços brancos", em resposta à contestação feita ao treinador. Ora aí está algo que gostaria de ver o PM dizer, perante as consecutivas greves e manifestações. Só falta mesmo pronunciar estas palavras para ter o discurso semelhante ao de LFV. A diferença é que se se pronunciasse, ao contrário de LFV, assistiria ao aumento do coro de assobios e aos lenços brancos, para que ele não governasse... de vez!
Depois temos um grupo de Ministros que se assemelham a Fernando Santos. Nas campanhas eleitorais é bonito de assistir a coisas como "os impostos não aumentam", "temos condições para eliminar o deficit", 150.000 postos de trabalho, entre outras promessas. Mal tomaram posse, assistimos à frase do costume "desconhecíamos que a situação fosse tão calamitosa", "pedimos desculpa, mas as condições são diferentes das que esperávamos", etc. Depois de violarem as promessas, decidem tomar uma série de medidas que afundam mais ainda o país. Mas, para não variar, a culpa nunca é das suas medidas e inovações ridículas. A culpa é sempre de alguém ou de qualquer outra coisa. Eles são sempre competentes. Assim também é Fernando Santos. A culpa é da defesa, é do nervosismo, é do adversário ser muito poderoso, é do ataque porque falham golos, é porque há expulsões. A culpa é sempre de algo ou de alguém, mas nunca do treinador que decide o que é que a equipa deve fazer em campo. No mesmo sentido se pronunciam os ministros: "a culpa é do excesso de professores", "a culpa é da função pública", "a culpa é do Presidente Cavaco quando era PM", e a última delas (a mais deliciosa) "a culpa é dos consumidores". A culpa é de todos, menos dos próprios.
Com tudo isto, continuamos a viver de vitórias morais (o Benfica porque joga bem e o Governo porque invoca ter tomado medidas que precisavam ser tomadas e alguém teve coragem para as levar adiante), e resultados nem vê-los. E, no fim de tudo, continuamos a ver os nossos vizinhos a evoluírem, e nós eternamente à busca dos benditos golos, das almejadas vitórias e do tão desejado campeonato (tanto no Benfica, como no Estado).

2 comentários:

RICARDO PITA disse...

Adorava ver-te como PM ou presidente do SLB para ver o que fazias!!!!

BernardoRosmaninho disse...

Sinceramente, creio ser injusto comparar o PM ao LFV e o Governo ao Benfica.

E digo isto porque a comparação prejudica claramente o SLB e o LFV.

Senão vejamos:

LFV (e SLB) - Um campeonato nacional, uma taça, uma supertaça, 4os de final na champions league, uma final da taça e um segundo lugar (e isto apenas no futebol); sendo que nas restantes modalidades constam campeonatos nacionais (4), taças de portugal (4), supertaças (2) e uma presença numa final europeia (Futsal - UEFA Cup).

(Isto tudo números aprox.)


PM (e Gov.) - ?

Pois. Aonde estão as grandes vitórias do Governo? Aonde estão os resultados?

E embora o voto seja secreto, eu não tenho quaisquer problemas em afirmar que não votei no PS, e no seu candidato, José Socrates.

Não acredito em milagres nem em messias que, posteriormente (e como seria de esperar... pelo menos a meu ver) se convertem exactamente naquilo que criticavam, aplicando as medidas e políticas que condenavam quando eram oposição.

E se ficam a pensar, pois o PS ganhou as eleições (e obteve uma maioria absoluta!), que eu acho que os portugueses são todos uns tapados... Não acho.

Os portugueses não foram todos ludibriados, apenas acreditaram... Acreditaram que o actual PM representava a voz da mudança, do compromisso para com as suas promessas, do futuro. Enganaram-se.

Acredito que é possível um futuro melhor, acho que o trabalho (e algum engenho) nos trarão um futuro risonho. É possível mudar este país.
Não sei é se é com este governo.

Pois este não é "Um Governo à Benfica", mas sim "Um Governo à PS".

Esperemos que eu esteja enganado.

Um abraço para os membros do blog,

Bernardo Rosmaninho