sábado, setembro 16, 2006

A vergonha chamada FDL

Foi com um arrepio e prestes a ter um ataque cardíaco, que vi as notas do último colocado para 2006/07 na Faculdade de Direito de Lisboa. Realmente, a FDL começa mesmo a bater no fundo do poço. 11,30 valores é um valor que me faz sentir envergonhado da Faculdade que frequentei. É mau e vergonhoso demais para ser verdade. No mínimo apostava-se que mantivesse a já baixíssima média de 12,80. 11,30! Este número... bem... nem consigo escrever! Estou chocado, envergonhado, enojado, congelado, e mais uns quantos "ado". E falta saber os dos contingentes especiais (sim, essa outra vergonha que é atribuir especialidade a algo que não o é).
Ainda me lembro do ano em que entrei. Entrei com 14,00 e mesmo à justinha. E na 1ª vez que tentei entrar, apesar de não ter uma específica necessária na altura (tive que a fazer à noite), não ia conseguir entrar, porque nesse ano a média andava pelos 14 e muito, quase 15. Assisti ao consequente descalabro, que até nem foi mau durante uns 2 anos, altura em que roçava os 13,8 e os 13,4. De repente, foi a queda vertiginosa. Há muita gente iludida com a Nova, porque pensa que é melhor, e não é. É mais pobre. Muito mais pobre. A diferença é que o último colocado entra com média de 14, porque só são 100 vagas. Na FDL, o 100.º colocado, entra com 15.
No entanto, nem tudo são desculpas. A Faculdade de Direito de Lisboa transformou-se numa máquina de fazer dinheiro. O seu objectivo é aumentar o capital e isso verifica-se em propinas e outros demais contratos celebrados pela Faculdade, e ainda pelo número de vagas. Só entram 550 por ano porque a Faculdade quer o dinheiro dessa imensidão de gente. Entretanto, a Academia vai permitindo que o desprestígio continue, com a entrada de alunos abaixo do razoável e do suficiente (como são os de 13). Permite que entrem os "suficientes menos" e os "medíocres". A FDL devia ter um tecto mínimo de entrada, para não correr o risco do seu desprestígio aumentar cada vez mais e para não ser como a Universidade de Coimbra, que já nem sequer preenche o número de vagas. Isto é a FDL a bater beeeeeeem fundo. Ainda é possível cair mais, e pelo caminho que segue, vai mesmo bater mais fundo. Vai tornar-se numa Faculdade vista como antiquada, com vagas por preencher, contratos milionários por suprir, aumentam o número de vagas porque necessitam de dinheiro e vai ficar na recordação de todos nós como "aquela que JÁ FOI a maior e a melhor Faculdade de Direito do País e no Top10 a nível Europeu". Ficarão recordações na mente de todos aqueles que já frequentaram a Melhor Faculdade de Direito, mas que agora já não o é, porque uma péssima gestão e uma vontade infinita de atingir o lucro, em vez da excelente formação de juristas, acabou com o prestígio e com a casa dos maiores juristas do país.
Obrigado a todos os que contribuem, ano após ano, para o fim prenunciado daquela que foi a minha casa e a de muitos juristas (muitos deles notáveis). A FDL um dia vai acabar, ou então transforma-se em Faculdade privada, para poder minimizar os estragos. A FDL vai acabar um dia. Leiam isto que vos escrevo. O seu fim já começou a sentir-se de há 2 anos para cá. Este ano a queda foi mais sentida. Os graves problemas financeiros e a péssima gestão dão os seus frutos, e vão continuar a dar ainda mais. Leiam estas palavras. É triste. Ao menos ficará na minha memória ter entrado na FDL e tê-la frequentado quando ela ainda era a MELHOR e a mais exigente Faculdade de Direito de Lisboa. Os alunos de há 2 anos para cá, já não vão poder dizer o mesmo. Infelizmente. Perdem-se bons juristas. Perdem os alunos dinheiro. Perde a Faculdade prestígio. Toda a gente perde. Até mesmo o Direito, esse que devia ser o objecto da Faculdade.

7 comentários:

Poeta Irreverente disse...

E perde também o País...

é uma vergonha, reduzam JÁ o número de vagas, qualquer dia aquilo parece a cada da Joana, com miúdos BURROS por todo o lado e com cada vez mais respostas em exame do estilo "o Estado de Polícia é o estado em que a polícia controla tudo porque houve insurreição e anarquia..."

EuMulher disse...

Deixei uma sugestao no meu blog... talvez ajude ;)

murodaslamentacoes disse...

E viva o ensino para todos... lá vão mais uns quantos concretizar os sonhos dos papás, sempre poupando alguns tostões, sabendo que as privadas são bem caras, assim o filhote pode ser dr. por uns meros 900€... numa palavra viva o TS e a FDL...

Лев Давидович disse...

Se é fácil entrar, não concordo que consigam sair todos...
Se a media é baixa, o primeiro ano trata de equilibrar e seleccionar.
Também acho que temos que analisar casusticamente: houve pessoal que entrou com melhor media que eu (entrei com 150)e já não está lá...
Portanto estas médias so se traduzem que qualquer coisa passado o primeiro ano.

Pedro Malaquias disse...

11.3 é baixo, demasiado baixo. No entanto, será que um aluno que entrou com 11,3 consegue chegar a Dezembro, em Método A, em alguma cadeira? Sinceramente, tenho as minhas dúvidas. Enquanto a faculdade não começar a deixar passar o erro, a facilitar (o que se calhar até já acontece em algumas cadeiras), não haverá qualquer problema, já que o nivelamento acabará for ser feito no seu interior.

Além do mais, a média do secundário não é assim tão importante (é claro que não é irrelevante...). Prova disso é o facto de a minha média actual ser superior à minha média do secundário.

PS - no entanto, 11.3 não deixa de ser uma vergonha.

Pedro Sá disse...

Atenção que não se deve esquecer que cada vez mais nas EB3 as pessoas são encorajadas a ir para o científico...

sniper disse...

Nota: o senhor foi novamente plagiado no site dos tortos