sexta-feira, julho 28, 2006

Aos que ficam...

Isto não é um discurso de despedida, nem nada que se pareça. Pelo contrário. Recuso despedir-me daquela que será sempre a minha casa: a Faculdade de Direito de Lisboa. No entanto, agora as minhas presenças em casa, serão de visita, e espero que sejam constantes, apesar de não tão regulares como quando era aluno da casa.
Acredito piamente que as Instituições são as pessoas que a fazem. Tal como a política, o futebol, etc, a Faculdade não são os edifícios, mas sim as pessoas que as compõem. Bem sei que isto é uma cliché, mas não deixa de ser uma grande verdade. Todos os lugares têm pessoas boas e pessoas más. Desenganem-se aqueles que estão iludidos se pensam que existem sítios onde toda a gente é pura e boa. A FDL não foge à regra. Bem sei que tudo seria muito melhor se todos os professores fossem como a Mestra Madalena Santos, como o Mestre João Tiago Silveira, como o Mestre Carlos Lacerda Barata, ou como as Mestras Maria João Palma e Carla Amado Gomes. Infelizmente não é. Aliás, digo felizmente. Felizmente, porque se todas as pessoas tivessem a categoria dos nomes que aqui referi, possivelmente não saberiamos valorizar tanto, a esta hora, as pessoas que realmente merecem, como os nomes supra indicados. Relativamente aos alunos, a situação é idêntica. Não podemos ter alunos que são óptimos colegas, amigos e companheiros. Nem todos são assim. Aliás, creio que a maioria não é assim. Infelizmente temos pessoas más, mesquinhas, vazias, como disso é exemplo muitos dos que escrevem em blogs onde só sabem criticar, porque a mente é tão maliciosa que se não criticarem, sentem-se mal, e então colocam defeitos em tudo, mesmo onde não os há. Cheguei a ter colegas que batiam bem lá no fundo do que uma pessoa pode chegar. Felizmente fui visado por vezes por alguns, mas isso faz parte da vida. Quando temos uma certa posição na vida, tornamo-nos alvos apetecíveis. Quanto mais subimos, quanta mais notoriedade temos, a nossa visibilidade é grande e isso faz com que sejamos um alvo a abater. Felizmente também, que soube resistir a isso, e poderiam ter sido ataques mais intensos ainda do que foram. Tudo se ultrapassa. Vi algumas situações semelhantes e outras até piores com outros colegas e amigos.
Por isso, a todos os que ficam, gostaria de desejar que contribuam para que a FDL seja um bom lugar para se estar, e para que todos a considerem a sua casa, quer enquanto lá estejam, quer quando a abandonem enquanto alunos. Façam por isso. Lutem! Esforcem-se. Sejam boas pessoas, bons seres humanos, adquiram estofo e muito estômago para engolirem os sapos que vão ter que engolir. Há muita injustiça por aí e custa a encarar, mas ninguém disse que a vida é justa. Podemos é diminuir a injustiça que existe nela. Assim sendo, esforcem-se enquanto pessoas e mostrem que vale a pena acreditar no ser humano, e nas suas qualidades. Sejam amigos, sejam irmãos... enfim, sejam companheiros uns dos outros para a vida!

1 comentário:

Poeta Irreverente disse...

o alex gayrreiro fica, porque não pode deixar de dar assistência ás 100000 afilhadas que ainda tem!