segunda-feira, abril 03, 2006

O Futuro da FDL

Desde o primeiro dia em que entrei na FDL, tentei sempre viver ao máximo todos os grandes momentos da vida académica e tentei criar um bom grupo de amigos, que não fossem aquele estereotipo que nos dizem existir quendo ainda estamos no Ensino Secundário, do aluno que não ajuda ninguém, que não fornece apontamentos ou quando o faz, eles vêm com erros para prejudicar propositadamente, que a malta é pouca dada a companheirimos, em suma, a imagem que nos é dada é de que no Ensino Superior a "lei da selva" impera e é o salve-se quem puder!

Sempre tentei reverter essa situação e também por isso entrei para a Tuna, onde vivi grandes momentos e onde fiz bons amigos, mas tive a sorte de mesmo a nível de turma, de ter encontrado no meu percurso grandes amigos, que tenho a certeza que o serão por toda a vida. Principalmente nos dois primeiros anos faziamos cenas espectaculares jutnso, montes de jatares de turmas, inúmeras saídas, ajudavamo-nos mutuamente nos problemas escolares e até fizemos uma viagem e Coimbra, supostamente para irmos ver um Congresso acerca da comemoração dos 35 anos do Código Civil, mas no fundo o que nos movia era o facto de estarmos sempre juntos e de aproveitar ao máximo todos os momentos para fortalecermos a nossa amizade e para ficarmos com recordações da nossa passagem pela FDL.

O segredo dessa grande amizade era o de que, apesar de todos termos ambições pessoais e objectivos, nenhum de nós pisava em cima do outro, ninguém prejudicava ninguém, nem recusava ao outro ajuda quando lhe era pedida, além de não existirem esquemas para se lixar a malta. E assim se xonseguia o sucesso e alegria de toso, com muito bons resultados!
Perguntar-me-ão algumas pessoas que estão a ler este post: para quê esta conversa fiada? Muito simples: a minah opinião acerca do futuro da FDL.
Já me fala muito pouco tempo para sair da Academia, se tudo correr bem. E a minha opinião, de quem já viveu e viu muita coisa na Faculdade (apesar de todos os dias aprendermos coisas novas e ficarmos a saber muito mais acerca de algumas pessoas... até das mais próximas...), é a de que só todos juntos, em união, como aconteceu o ano passado por altura do encerramento da FDL , é que a posição dos alunos poderá ser respeitada e ouvida, como o foi há um ano atrás. Por isso mesmo escrevi aqui neste blog que tinah ficado bastante triste por não se ter recordado o acontecimento marcante que todos vivemos, pois é sempre importante relembrarmos o passado para quem o fez, além de mostrarmos aos mais novos, neste caso so alunos do 1º Ano, o que se passou e a força que os alunos criaram, de forma a que nunca se sintam desmotivados para mostrarem a sua opinião acerca do andamento da sua vida académica.
Meus amigos, isto é tudo muito claro: não fazem falta à FDL nem à AAFDL, o elo que liga todos os alunos numa só voz, pessoas que olham primeiro para si, depois novamente para si, depois para as juventudes partidárias e só depois, no final, se tiverem tempo e isso não os prejudicar a nível pessoal, para os interesses dos alunos. Aos que ficam, tentem sempre banir da vida associativa esse tipo de alunos que não so defendem, que fazem jogos e esquemas para prejudicar o próximo, apenas para interesse próprio. Não interessa à AAFDL meninos que olham para um cargo de dirigente associativo apenas e só para engradecer o seu currículo político, não olhando a meios para obter esse fim. Não interessa à AAFDL quem quer fazer da Associação um feudo de amigos, mesmo que não tenham qualidades suficientes para lá estarem. Não faz falta quem não tem aptidões, quem não tem interesse, motivação e tempo apra assumir esse desafio. Quem se quiser enfiar nessa vida terá de abdicar de alguma estabilidade e conforto pessoal para servir todos os alunos, pensando apenas e exclusivamente neles, sem segundas intenções. Por isso mesmo sou frontalmente contra alunos que estando inseridos em juventudes partidárias, não conseguem dissociar-se das mesmas, em alturas em que é necessário dizer "Não" em benefício do interesse dos alunos. Por isso sou também contra quem usa de todoas os meios e de todos os esquemas e truques para chegar ao topo, mesmo que esses meios sejam imorais, traiçoeiros e altamente censuráveis! Está na hora de novamente serem banidos esse tipo de personagens qeu só vive para si e não para todos!

Infelizmente, nos últimos tempos, tenho assistido a uma vaga desses parasitas, que eu julgava já afastados de vez, pelo menos da Lista à qual pertenci- a Lista R- pois foi exactamente com esse intuito que ela foi criada, para afastar da AAFDL aqueles que se serviam da Associação e não a serviam para o bem dos alunos. Espero que esta nova geração perceba que tem que ser combatido esse tipo de gente, que nãos e deixe seduzir por promessas e pelo "conto do vigário" e que o Interesse Colectivo esteja sempre no topo das prioridades dos alunos da minha FDL, a Faculdade de que eu me orgulho pertencer e que irei sempre recordar com todo a alegria!

Tenham sempre um espírito crítico, que se respeitem todas as instituições da Academia, desde a Tertulia Libertas, o Conselho Directivo, as Listas da oposição da AAFDL, alunos anónimos, todos! Mas que no final, o consenso acerca dos valores essenciais que devem pautar todos os alunos prevaleça! Tal como dizia o colega Pedro Gomes há um ano, por altura do encerramento da FDL, "A Tertúlia tem a sua opinião acerca do assunto, mas neste momento é a hora de deitar para trás das costas todos os resentimentos e desavenças, em prol de toda a Academia." Revejam-se sempre neste pensamento, e risonho será o futuro da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa!

Um Abraço a todos os que ficam e nunca se esqueçam: A FORÇA DA FDL SOMOS NÓS!

P.S. Por mim, irei fazer sempre frente aos parasitas até ao último dia. Que fiquem avisados de que nem que o mundo inteiro esteja convosco, da minha parte terão sempre chatices.

1 comentário:

rita_catita disse...

Desde sempre que acreditei na força da união e sempre tive vontade de fazer com que ela prevalecesse. Ao ler este teu post, essa vontade cresceu ainda mais, e podes ter a certeza que da minha parte e da geração que surgiu há pouco tempo, faremos os possíveis e impossíveis para que o lema "a força da FDL somo nós" jamais seja esquecido.