quarta-feira, junho 29, 2005

Humanos no Coliseu



Acabei de vir do Concerto dos Humanos, no Coliseu de Lisboa, e digo-vos que foi memorável. É incrível como a perfeição das vozes deles é uma coisa fora de série e, ao vivo, parece que pusemos o CD a tocar. Aquilo não precisa de ajustes de voz, nem de sons para a aperfeiçoar. São Vozes magníficas, fantásticas, brutais e... perfeitas! A Manuela Azevedo sem dúvida, de longe, a melhor voz portuguesa e talvez a melhor do Mundo. Aquilo não é uma voz, é qualquer coisa sobrenatural. Faz o que quer e lhe apetece com a voz. São orgasmos só de a ouvir! Até aquele gritinho que passa no Maria Albertina, é ela que o faz. E sem misturas de som! Tudo natural. Sempre perfeito e igual! David Fonseca também ao seu melhor, e o Camané sempre afinadinho e a por o pessoal em delírio! Temas como "Teia", "Amor de Conserva", "Maria Albertina", "Rugas", "Adeus Que Me Vou Embora", enfim... todos... fizeram as delícias de todos. Estas vozes fantásticas, cantaram como tema final o mais que célebre, conhecido e venerado "Muda de Vida".
Tocaram todos os temas do álbum Humanos, e cantaram ainda versões do António Variações, de entre as quais Estou Além, O Corpo é Que Paga, Anjo da Guarda, Sempre Ausente.
Humanos dominam, e realmente, quem perder isto, não sei quando pode ter a chance de poder ver novamente estas obras de Arte. Fiquei a 2 metros deles (sim, DOIS), e tirei resmas de fotos. A acompanhar este post, deixo uma das fotos tiradas por mim, enquanto cantavam pela segunda vez o "Maria Albertina".

terça-feira, junho 28, 2005

Um homem como deve ser

Hoje, enquanto aguardava no barbeiro para cortar o cabelo, pus-me a ler o Diário de Notícias, e eis que leio um artigo do nosso estimado Professor Blanco de Morais ("Oh saudosa Constituição de 1933..."). Era sobre a Lei da Nacionalidade. E estou de acordo com tudo o que ele diz! Achei tão bom, que passo a transcrevê-lo na íntegra:

"Entre as leis de maior relevo político de um Estado soberano destaca-se a "lei da nacionalidade".

Nela se define o substrato de um dos três elementos do mesmo Estado, e que é o "povo" em sentido jurídico, e se determina quem é titular de um conjunto de direitos que a Constituição atribui exclusivamente a esse povo.

A lei da nacionalidade equivale à chave da "arca do convento", onde estão depositados todos os laços de sangue e atributos vivenciais, históricos, linguísticos e culturais que cimentam a identidade de um povo. E em Portugal essa identidade assume uma dimensão peculiar, já que povo e Nação logram coincidir. Por tudo isto, o nosso regime da nacionalidade, que integra a reserva de lei orgânica, deve ser tratado com o respeito que merecem os grandes códigos importa que mude o menos possível e sempre na base de consensos alargados.

A lei em vigor prevê, com generosidade, a aquisição da cidadania portuguesa por filhos de estrangeiros residentes, que tenham nascido em território português, contanto que os pais residam com título válido de autorização há pelo menos seis anos (cidadãos de países de língua portuguesa), ou dez anos ( outros países), e que os próprios declarem a partir dos 18 anos que querem ser portugueses .

Uma proposta mal avaliada... Surge agora a notícia de que a actual maioria pretenderia rever a lei, de forma a permitir que filhos de estrangeiros residentes pudessem naturalizar-se, independentemente da sua situação legal.

Alguns dos que defendem a flexibilização dos pressupostos de aquisição da cidadania fazem-no pelas melhores razões. Terá sido o caso do actual Governo, que se propõe, no seu programa, atribuir esse direito a filhos de estrangeiros que, nascendo no território, tenham "fortes laços com Portugal". Terá sido, também, o caso do padre Vaz Pinto, que qualifica a iniciativa como um factor de "humanização" e de integração cívica.

Diversamente, outras posições homólogas, como as do PCP (desesperado por aumentar a base de votantes), dos "bloquistas" (que defenderam que o "arrastão" de Carcavelos foi resultado de uma carga policial) e do bispo Torgal Ferreira (que não sabe, sequer, do que fala), primam pela mais pura desonestidade intelectual.

E o certo é que uma lei desta importância não deve ser alterada na base de simples devaneios filantrópicos ou de "explosões de alma" de um Presidente da República em final de mandato, ocorridas durante uma visita angustiada à Cova da Moura.

O facto de as leis constituírem opções políticas não prejudica a necessidade de deverem ser avaliadas em termos de custos, benefícios e riscos.

Ora, no caso da revisão legal em apreço, as estatísticas desmentem que uma hipotética aquisição da nacionalidade por filhos de estrangeiros ilegais reforce o propósito da sua integração na sociedade portuguesa.

De acordo com o Observatório Permanente da Juventude, de entre 40% dos jovens inquiridos de origem africana que possuem nacionalidade portuguesa, apenas 4% se identificam primariamente como cidadãos portugueses. O problema parece estar, deste modo, na má gestão da política de integração e não na aquisição da nacionalidade, pelo que a flexibilização do actual regime irá apenas aumentar o número de cidadãos "semânticos" que não se querem identificar como portugueses.

Não se logrando antever os benefícios da lei, já os seus custos e riscos saltam à vista desarmada. Assim, jovens criminosos estrangeiros que presentemente são passíveis de expulsão para os territórios de origem deixariam no futuro de o poder ser, depois de devidamente "carimbados" com a nacionalidade portuguesa.

Por outro lado, a imposição do novo critério do jus solis convidará a uma "invasão" de Portugal por ilegais que aqui virão ter filhos "portugueses" e que não poderão ser expulsos do País, já que a Constituição proíbe que os pais possam ser separados dos filhos.

Será, finalmente, que os patrocinadores da revisão legal calcularam a possibilidade de novas manifestações, como a do Martim Moniz, virem a passar de 500 para 5000 participantes, já nos próximos anos?"



Essa gentinha de esquerda que consiga agora refutar estes irrefutáveis argumentos!

Este país precisa é de mais visonários como o nosso querido Professor!

sábado, junho 25, 2005

Direito Processual Civil II



Ocorreu recentemente, neste dia 22 de Junho, o exame Final de Direito Processual Civil II. Dois dias antes, tivemos uma aula de dúvidas, na qual o assistente à medida que iamos tirando as dúvidas, fez questão de avisar: "se virem que eu não perco mais do que 1 minuto com as questões que me colocam, é porque isso interessa muito pouco ou nada para o exame". Foi-lhe questionada a Competência Internacional a título de Acção Executiva. Ele respondeu entre 10 a 15 segundos. Pouco depois falou da questão do caso julgado aproveitar um dos envolventes no Litisconsórcio Necessário ou no Litisconsórcio Voluntário em casos de Obrigações Solidárias. E falou de tudo, mas pela primeira vez ouvimos falar na aplicação analógica do 683º CPC. Falou-se da Graduação de Créditos, apenas porque o outro assistente tinha dito que isso saía. E o que o nosso assistente nos disse foi "leiam bem isso em casa". Nunca mencionámos sequer a expressão "Graduação de Créditos" nas aulas. Foi dito também para lermos bem, e com muita atenção a questão da venda, na acção executiva. Durante o semestre, só perdemos 10 minutos com isso, para dizer que a base de venda de um bem imóvel é de 70% do seu valor de base. NADA MAIS! Nunca falámos da Acção de Reivindicação na Acção Executiva. Se eu não tivesse estudado, nem sabia que era uma das formas de oposição à Penhora. Apenas nos dedicámos à oposição por simples requerimento e aos Embargos de Terceiro. Durante o semestre nem sequer falámos do registo (que era uma problemática dos Direitos Reais, mas ainda assim, deviamos tê-los abordado para efeitos de Penhora, etc. Pois só falámos um nadinha disso durante cerca de 2/3 minutos). Assim foi esta aula, e fomos todos para o exame. Se quanto à 4ª questão que valia 2 valores, nós tinhamos falado disso durante as aulas, eu terei a mesma muito pouco cotada (afinal, ninguém pode ter 20 na FDL, logo corta-se logo ali 2 valores), quanto a questões como registo, graduação de créditos, venda executiva e competência internacional, temos logo ali cerca de 8 valores!
Normalmente não gosto de, após um exame, falar do mesmo a fundo. Gosto de trocar uma ou outra ideia, mas nada de grandes pormenores, senão já sei que alguém vai ter mal. Agora, que gosto de trocar uns tópicos sobre o que cada um pôs no exame, isso gosto. Foi com essa intenção que ontem à noite vi a "Grelha de Correcção do Exame Final de Direito Processual Civil II - 2005" no site da FDL, e decidi consultar, esperando que fossem os mesmos tópicos. Aquilo que vi, é qualquer coisa de surreal. Comecei a gelar, quando vi uma abordagem à Competência Internacional, algo que sempre nos foi dito como não interessando durante o semestre e naquela aula de dúvidas em 10/15 segundos arrumou-se a questão, tendo ele inclusivamente dito "não percam tempo com isso". O meu espanto continua, quando vejo que na resposta, o assistente que fez a correcção coloca como ÚNICA hipótese de resposta, os Juízos de Execução de Sintra! Ora, sempre nos foi dito e é de conhecimento público que só existem Juízos de Execução em Lisboa e Porto! E foi o que nos foi confirmado no decorrer das aulas. Que se esperam, NO FUTURO, vir a abrir mais, mas que só existem esses dois! Se vão ser abertos no futuro, como é que podem ser já competentes Tribunais que, segundo a correcção, já existem, mas não têm instalações? Os processos vão para onde? Gostava de saber... E se os alunos estão informados que não existem Juízos de Execução em nenhum outro lugar que não sejam Lisboa e Porto, não devia haver uma 2ª hipótese de resolução, que foi aquela que eu e muitos adoptámos, no sentido de dizer "Como não existem Juízos de Execução em Sintra, o Tribunal competente, caso existam Tribunais de Competência Específica, serão as Varas Cíveis de Lisboa. Se não existirem, será o Tribunal de Comarca de Sintra". A Grelha de Correcção nem fala nisto sequer! Depois, temos a questão de ter saído a Acção de Reivindicação como possível de Oposição à Penhora de um DVD. Nunca falámos disso durante o ano, e se existem vários meios, não vamos dizer às pessoas para tentarem todos, podendo incorrer as pessoas em gastos desnecessários com processos. Não serão suficientes os embargos de terceiro? Além disso, temos ainda a questão dos Privilégios Creditórios. Temos a regra geral do 733º CC para todos Privilégios Creditórios, mas depois temos regras especiais, como por exemplo o 749º e o 750º. Ora, o Prof. Lebre de Freitas e o Código referem os artigos por algum motivo. Lá diz que os Privilégios Gerais são satisfeitos em último depois de todas as outras Garantias! São os últimos da Hierarquia. Mas a correcção diz que os Privilégios Creditórios Gerais serão satisfeitos 1º, e só depois a Penhora! Ora, fica um recado a quem fez aquela correcção: regra especial prevalece sobre regra geral. Aprendi isto em Introdução ao Estudo do Direito. O Prof. Teixeira de Sousa dá essa cadeira ao 1º ano, por isso deve ter a matéria ainda fresquinha! Logo, 1º é satisfeita a Penhora e só depois os Privilégios Mobiliários Gerais! Além destes pontos, vemos ainda que na correcção constam diversos artigos 600º e picos do Código Civil (nós só falámos num e foi logo na primeira aula prática... que foi o 601º como sendo a base da Acção Executiva). Nós nunca falámos deles, nem os abordámos e de repente exigem-nos os mesmos.
Para terminar, dois pontos: 1º gostei bastante de ter tido o Dr. Rui Pinto como assistente. Daquilo que ensinou, ao menos fiquei a saber e aprendi. Mas vendo este exame, vejo que muito ficou por dar e aquilo que ele fez foi limitar-se a dizer "leiam muito bem isso", já para nem falar as notas de Avaliação Contínua e de testes, que ainda hoje não se sabem os critérios! Mas além de ser um sujeito simpático, com quem se pode conversar fora das aulas, o que ensinou, ensinou bem. Mas ele fez-me lembrar uma Assistente do 1º ano: Alessandra Amolly. Ensinou o que ensinou e bem, mas faltou muito por ensinar, e chegaram muitos alunos aos exames e caíram por completo. Espero que ele perceba bem o que aconteceu e que, por uma questão de dignidade, atribua as notas como fez durante o semestre: em vez de analisar os testes e os trabalhos, atribui a nota que acha que tal pessoa devia receber. Sempre é mais justo ele fazer isto, e ignorar tudo aquilo que se esqueceu de dar, do que agora no Exame Final se fazer de moralista e começar a corrigir os exames como se realmente tivesse cumprido o programa todo. É uma questão de dignidade.
2º ponto: já mailei o Dr. Rui Pinto indicando estes pontos e esperando que aquela Grelha, seja do outro assistente e seja uma possibilidade de resolução, não a única! Porque se assim for, ainda que saiba o resultado de um recurso para o Teixeira de Sousa (nem vale a pena darem-se ao trabalho de o fazerem que ele diz logo que não sobe nem um aluno que seja), vou interpô-lo, porque sei a nota que me cairá em mãos. Mas garanto uma coisa, assim como nós, alunos da FDL, nos barricámos à volta da FDL para que a mesma tivesse condições de ensino, entre as outras questões todas, eu também tomarei medidas, ainda que sozinho e pessoalmente, contra esta vergonha que foi o Exame de Executivo. Porque eu recebi uma nota de 13 para aquilo que aprendi no semestre, e tendo em conta o que aprendi, realmente mereço o 13. Mas de repente aparece-me um exame, onde à partida, 8 valores vão quase desaparecer, porque em vez de ter sido dada a matéria, foi-nos aconselhado "leiam bem isso". Nem todos são autodidactas. E eu sou um dos que não o é! Pelo menos a Executivo. Como tal, sobram 12 valores, os quais nunca temos por inteiro, porque na FDL, podemos lá colocar um acórdão do STJ completamente glosado, ipsis verbis, que mesmo assim está sempre incompleto ou muito incompleto. Logo, destes 12, se tivermos TUDO certíssimo, levamos aí uns 8 ou 9 valores. Por isso, se eu vejo que terei forçosamente que ir a oral, por causa de matéria que não foi dada, e por causa de Grelhas de Correcção surreais, assim como nós enquanto alunos tomámos as medidas que tomámos, eu tomarei as minhas, até que me atendam dignamente. Sim, eu sou aluno, mas sou pessoa também! Tenho a minha dignidade e espero que a respeitem! Não me passam por cima, e garanto que tomarei as medidas, esperando que as pessoas me dêem razão. Já agora fica o recado à Aninhas: se eu fosse a ti, não engolia em seco aquilo que te fizeram a Família. É de uma completa ordinarice que dá vontade de partir o focinho a alguém, mas fazia qualquer coisa, porque quanto mais as pessoas se calarem, mais eles vão continuar todos os anos a comerem os alunos por trás e de forma brutal! O Paulo Nascimento há 2/3 anos já teve um presente de um pessoal com quem ele se armou em esperto. Os outros parecem que estão a pedi-las também! Mexam-se e não se deixem ser comidos!
Admiro o Prof. Teixeira de Sousa e respeito-o como professor. Como pessoa não sei como é. Mas apesar de o respeitar, ele também tem que me respeitar a mim e a todos os alunos da FDL. Como tal, vai ter que começar a rever os recursos! Dignidade ainda temos!

quinta-feira, junho 23, 2005

WANTED DEAD OR DEAD (IN AZORES)


"Os Tribunais da Regiao Autónoma dos Açores não pertencem à República Portuguesa. Aliás, pertencem, foi um lapso, mas não a respeitam" - by Ministra Xuxa cheia de cultura e sabedoria de... Geografia portuguesa!

Rescaldo do Torneio de PES4 de 22/06

Um justo vencedor verificou-se ontem, na FDL, do já mundial torneio de PES4 realizado entre Fred, Alex, Bruno, Diogo e Delfim. Apesar de apenas aos 83min a vitória ter sido assegurada, Frederico Gayzão repôs justiça ao vencer Alezão, pois este último teve uma sorte do mundo durante todo o torneio, com golos nos últimos minutos, sortes incríveis e com um futebol ultra-defensivo. Ainda bem que não ganhou, porque senão então ninguém o aturava.

Quanto á minha participação, ficou caracterizada pelo azar, perdendo dois encontros pela margem minima e tendo tido flagrantes oportunidades de golo que não foram concretizadas, mas fica o prazer de ter empatado com o vencedor do Torneio, Fred.

Até à próxima!

terça-feira, junho 21, 2005

No coment



Militante Honorario do POUS

Fosse a solução para todos os nossos problemas assim tão facil.........



Militante Honorario do POUS

Now For Something Completely Diferent


And
Militante Honorario do POUS

Quando...

Quando a Esquerda tiver um Primeiro-Ministro, que em bicos de pés, aos saltinhos, e com o braço todo esticadinho, e com a unhaca do dedo mindinho consiga tocar nas palmas dos pés deste GRANDE HOMEM, então aí talvez, me possam vir falar mal dos da Direita. Mas posso citar outros grandes nomes da Direita: Cavaco Silva e Diogo Freitas do Amaral (antes de se tornar incapaz)

segunda-feira, junho 20, 2005

Olha que dois


Para nunca que nunca mais nos esque?amos de quem nos governou........

Militante Honorario do POUS

AVISO DA POLICIA JUDICIARIA


��Cuidado a perigosa familia maozinhas acabou de se evadir do Estabelecimento Prisional de Coimbra onde cumpria penas perpetuas consecutivas por ter deixado o esta sem tanga.... a Lider desta familia a perigosa Manuela "Unhas de Fome" Leite conseguiu converter um defict de 4% em 5% em 2 anos deve ser considerada Armada e extremamente perigosa quando secundada por Durao "pernas para que vos quero" Barroso testa de ferro desta organizacao que ultimas informacoes do SIS colocam algures em Bruxelas onde segue diligentemente as ordens do seu guru espiritual Osama Bin Laden....... Esta quadrilha ainda e composta por Paula "submarinos e que e bom" Portas ,,,,,, um conhecido apreciador de tudo o que e objecto falico preto com formato de sepositorioa que possa chama "submarino" e que ultimas informações colocam nos EUA e Celestre "medusa" carmona a gaja mais feia da curta historia das ministras portuguesas e qua tem como fetishe lixar a vida aos juizes de execussao mal mostra a verruga...... Oferece se como recompensa de 6.83 % do PIB por informações que levem a captura destes senhores

Militante Honorario do POUS

Filme em exibição num Mandato perto de si



É esta a base inspiradora de mais 1093 nomeações... ops, filmes, em cerca de 3 meses. Como será daqui a 1 ano? Se lá chegarem...

domingo, junho 19, 2005

Tiago Monteiro





Pois é! Uma pequena mini-homenagem ao piloto português Tiago Monteiro, que hoje ficou em 3º no GP Indianapolis-EUA. Tudo bem que eram só 6 a correr, mas um 3º lugar e 6 pontos, são sempre de louvar, e não é qualquer um que os consegue. Depois de Lamy ter ganho 1 pontinho, quando foram 5 a acabar a corrida e ele como foi o último a desistir, lá ficou com o ponto, temos um português que apesar de começar sempre dos últimos lugares, de vez em quando lá aproveita deslizes alheios e hoje ficou à frente de 3 pilotos, chegando ao pódio! De certa forma é cómico e deprimente, mas... é um 3º lugar e é fazer história na F1!

sábado, junho 18, 2005

Pensamentos da semana

"Sou 3/4 heterossexual e 1/4 homossexual" - Sinead O'connor

"Preto roubar é exclusão social e pobreza; Branco roubar é crime" - Esquerda com assento no parlamento (apenas!!!)

sexta-feira, junho 17, 2005

Onde está o Pinóquio?



Depois de "Onde está o Pateta?" protagonizado pelos pseudo-esquerdo-trotski-lenine-marxisto-tertulianos, eis que surge a verdadeira versão "Onde está o Pinóquio?": Sr. Pinóquio, quanto temos de deficit? "Temos 6,83... é urgente agir e tomar medidas, porque esta foi a herança que nos deixaram". Pois é, afinal descobre-se que tudo isto não passa de mais uma estratégia do PS, para dizerem no final do Mandato (que se Deus quiser o Cavaco vai interromper brevemente): "Meus senhores, tinhamos um deficit de 6,83 com o anterior Governo, mas agora, graças à nossa magnífica intervenção, o deficit é de apenas 6,5. No próximo mandato vai descer mais ainda!" Depois, no próximo mandato, se eles ganhassem, já não teriam como dizer que receberam um deficit altíssimo (que ainda por cima nem existe), mas isso pouco importaria, afinal, no final do 2º Mandato, todos eles receberiam reformas por inteiro.




Para os que não conseguiram perceber alguma coisa deste post, o deficit actual é de 6,4 e não 6,83, e os 6,5 é demonstrativo que eles ainda o aumentaram, mas como esta esquerda já nos habituou a muita mentira em pouco mais de 3 meses, ainda iriam tentar fazer com que um aumento do deficit, soasse a redução! O pior é que o povo Povinho, o Bonus Burrus Portugues Familiae ainda se deixa levar por estas cantigas!

terça-feira, junho 14, 2005

Pergunto-me, questiono-me, reflicto.

Todos os elogios (póstumos) feitos a Álvaro Cunhal, até porque temos uma tendência algo hipócrita para beatificar os defuntos, aplicar-se-iam também ao Prof. Dr. Oliveira Salazar, mas quem tem hoje a coragem de os proferir?




Perdoai meus amiginhos da dogmática e cega esquerda, mas Salazar foi um lutador integro e coerente que dedicou, total e absolutamente, a sua vida em prol do país, em prol daquilo que acreditava ser o melhor para o país. Frente a Cunhal teve uma vantagem ainda: teve a oportunidade de tomar as rédeas de um país desgovernado, destravado, feito em cacos e ergeu-o. Saíu vitorioso...

Pelo exemplo que o General Vasco Gonçalves deu quando teve a mesma oportunidade, podemos especular o que teria acontecido se a U.R.S.S. tem apoiado a guerra civil que Cunhal estava disposto a travar para tomar o poder e hoje, abençoariamos a morte de Cunhal como alguns abençoaram a morte de Salazar.



Ainda assim, não sou tão intransigentemente obtuso que lhe não reconheça, a Cunhal, um valor próprio e único, contextualizado, integrado em determinada realidade que em nenhuma outra figura política do outrora e do agora se revela.

Deste modo se marcam as diferenças, na capacidade de valorizar aqueles com quem não concordamos, a capacidade de lhes não termos um ódio cego e manifestamente injusto que nos é incutido como um dogma mais próprio de uma religião que de uma ideologia.

Os Imortais nunca morrem

Urgentemente.

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar

É urgente destruir certas palavras,
Ódio, solidão e crueldade,
Alguns lamentos,
Muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
Multiplicar os beijos, as searas,
É urgente descobrir rosas e rios
E manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
Impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
Permanecer.


Eugénio de Andrade

segunda-feira, junho 13, 2005

Entrevista Póstuma

Bar Velho: - Dr. Álvaro Cunhal, qual é o legado mais importante que nos deixou?

Álvaro Cunhal: Epá, em primeiro lugar eu não sou doutor, sou o Ávaro. Em segundo lugar, vê lá se estudas melhor sucessões para não dizeres disparates, o que fica é uma deixa, não é um legado que é um bem determinável. Ou consegues determinar a Liberdade?

B.V.: - Quer dizer-nos mais alguma coisa?

A.C.: - Até amanhã camaradas?


Podemos não concordar com a sua ideologia, bem como a do camarada Vasco (Força Força companheiro Vasco!) cujas políticas mereceriam aqui tenebrosas críticas, no entanto não duvidamos que este Santo António levou um Homem com H, daqueles que já não se fazem, daqueles que se dedicam à coisa pública séria e honestamente. Esta conduta merece-nos o maior respeito e consideração.


P.S.
Select de Telheiras, 13 de Junho 2005, 8h00

L.M.- Então já sabe quem morreu?
Empregada da Select- Quem?
L.M.- O Álvaro Cunhal!
E.S.- Ah... não sei quem é...

É esta bela merda a instrução pública! Foda-se, como é que é possível? Ás vezes só me dá vontade de distribuir chapadas!

O Triunfo da Coerencia

Hoje 13 de junho acordei com uma das frases que criou em mim a mais profunda tristeza "Acorda minha besta morreu o alvaro cunhal" .... depois do wake up juice que é o café finalmente cai em mim ...... o Cunhal morreu...... o espanto foi a primeira reacção tinha como provavelmente como muita gente a imagem de que os senadores os politicos senior os homens de valor deste pais não morriam apenas não apareciam no jornal mas estavam algures Frozen in time e que não desapareciam como as pessoas normais de um momento para o outro..... Sim pronto la vai o pessoal de direita dizer mal e dizer quer era um revolucionario e que queria tornar o pais numa republica sovietica ..... Digam o que disserem este homem foi um GRANDE HOMEM não por ser comunista não por ser escritor não por ser pintor não por ser uma pessoa com uma intelegencia superior..... Simplesmente porque defendeu as suas ideias contra tudo e contra todos por elas passou 11 anos na cadeia com torturas quase diarias por elas andou fugido durante 4 anos por elas lutou até este dia..... isso para mim torna qualquer homem um GRANDE HOMEM não quero tornar este post num post de Glorificação mas apenas um simples testemunho a um homem que lutou e sofreu para que eu hoje pudesse estar nesta cadeira a escrever este post sem ter medo de ser levado para o tarafal passar umas ferias ao sol ..... ou para a sede da PIDE DGS ter uma conversinha com eles.... Choca me que não exista mais pessoas a dizer Obrigado, quando hoje estamos num regime republicano democratico graças em grande medida aos esforços de homens e mulheres que arriscaram tudo pela luta anti fascista neste pais não só comunistas mas com outras ideologias politicas mas como todos sabemos o unico partido mais militante foi de facto o comunista de que Cunhal foi lider até aos anos 90 ..... Respeito e agradeço a todos esses homens e mulheres na figura de Alvaro Cunhal hoje que dia da sua partida de ao pé de nós apenas queria deixar aqui um pequeno "Até amanha camarada Obrigado por tudo"...
Aos criticos aos cinicos aos que acham que este post não devia ser escrito cito "Olhe que não OLhe que nao" este homem deixa uma marca que muito dificilmente poderá ser apagada da nossa historia apesar de muito o querem fazer , este homem vive nós corações dos seus camaradas e por todos os portugueses como um exemplo a seguir ...... Não do ponto de vista politico como disse atrás porque este não é um post politico mas como um exemplo de entraga total e incondicional a uma causa a uma ideia ao futuro de portugal.... concorde-se ao não com o marxismo leninismo ortodoxo que defendeu, seja-se renovador seja-se de direita ou de esquerda o respeito por uma figura que foi fundadora deste regime democratico que vivemos é bonito e apenas fica bem a portugal ......... Quantos dos politicos portugueses podemos apontar como tendo as virtudes deste homem ....... Quantos dos politicos actuais seriam capazes defender as suas ideias por mais de 1 anos quanto mais uma vida inteira quantos dos politicos actuais, estaram na politica não por serviço mas por proveito, quantos dos politicos actuais tem causas, sem ser a causa do "não sei fazer mais nada a não ser dizer mal e preciso de ganhar dinheiro" quantos politicos portugueses actuais não deixam cair as suas ideias durante anos defendidas publicamente por não serem populares entre os amigos (lei da limitação dos mandatos) e quantos politicos se recusam dizer que sim para manter o seu tacho (voto de louvor Ass. Regional da madeira pela atitude repugnante de alberto joão jardim).
Alvaro cunhal podia ter muitos defeitos como ele proprio disse numa entrevista "ninguem é perfeito" mas no entanto tinha mais valor que metade dos homens que sentam o cu na Assembleia da Republica...........






Ass. Militante Honorario do POUS em Luto

sexta-feira, junho 10, 2005

Hoje





é o dia da RAÇA!


Como estamos em contenção de despesas, o hino segue em formato midi.
Era mais barato...

quarta-feira, junho 08, 2005

Com dedicatória especial



para o Alex e para todos os fans desta série...

segunda-feira, junho 06, 2005





Não percam, na FIL!!!

domingo, junho 05, 2005

"Bartunis"

Fico espantado por ver a forma como os portugueses, perante tantos alertas de mendicidade dos estrangeiros, que chegam a usar as crianças para ganhar dinheiro (sim, eu vejo-os diariamente em Lisboa), ainda não aprenderam, e o exemplo mais recente disso mesmo, é a forma como se deixaram iludir e sensibilizar com aquele puto Indonésio de nome Martunis.
Tudo bem que aquilo que aconteceu em Dezembro na Ásia, foi uma catástrofe, e um desastre e eu sensibilizo-me com isso, mas daí a dar rios de dinheiro e benefícios a uma família só porque vestia a camisola de Portugal... vai muito! Sensibilizo-me com o que aconteceu, até certo ponto. Até certo ponto, porque é uma tamanha hipocrisia, ouvir diariamente os sucessivos governos portugueses, dizerem que temos que apertar o cinto, e que aqui tudo vai mal, e que não há dinheiro, mas depois... inexplicavelmente, surgem milhões de euros para ajudar os estrangeiros! O gesto é muito bonito, e confesso que eu mesmo seria capaz de ajudar essas vítimas com toda a solidariedade do mundo... mas apenas se tiver dinheiro! Ora, se eu nem para comer tiver dinheiro, como é que vou doar rios de dinheiro a outros que precisam mais do que eu? Não posso! Não por falta de vontade! Mas porque é impossível! Se eu estou mal, não tenho como me ajudar a mim, quanto mais os outros! Como é que o Estado português consegue arranjar rios de dinheiro para os ajudar a eles? São pobres, ok... mas nós estamos aflitos, e daqui a nada, quase tão aflitos como Timor, Indonésia, Bangladesh, etc. Ainda assim, o nosso exemplo não me escandaliza tanto, se formos ver outros exemplos mais graves, a saber: Angola e Moçambique. Esses são uns desgraçados e só são mais ricos do que países como Etiópia e Sudão, e mesmo assim é ela por ela. Como é que estes 2 países (Angola e Moçambique) têm a lata de pedir perdão aos portugueses pela dívida (e os burros do governo perdoaram), e mal têm dinheiro para uma garrafa de meio litro de luso, e depois doam MILHÕES de EUROS (sim!!! Milhões literalmente!)?
Depois existe este caso do Martunis. Só porque o miúdo andava com uma camisola de Portugal (contrafaccionada... algo que é crime), vai receber terrenos, casa, móveis e 40 mil euros? Quantos já não morreram com a camisola de Portugal em campo? O guarda Ireneu, que morreu com a bandeira portuguesa, no campo de guerra, teve direito a uma miserável camisola "12" com o seu nome, e a míseros 12.400 euros da Federação Portuguesa de Futebol. E este puto, porque é puto, e é estrangeiro de um país pobretanas, tem direito a viagens, bens, dinheiro, tudo! Hipócritas! O puto faz disto um autêntico Bar aberto, onde chega aqui e se serve como bem quer e lhe apetece! O problema nem é dele ser esperto. É mais dos portugueses que continuam mais burros e estúpidos do que nunca, sobretudo aquele Gilberto Madaíl.
Mais uma vez o que observo é que compensa ser-se estrangeiro, coitadinho e ter alguma coisa relaccionada com Portugal, mais não seja, algo que derive de um facto ilícito e tipificado, como a contrafacção de camisolas da selecção! O pai do miúdo devia era estar preso, por colaborar com a contrafacção, não devia ser condecorado como está a ser! Realmente, o puto e a família, fazem disto um autêntico bar aberto e daí que o nome dele devia ser o Bartunis!
Estou solidário por eles perderem os seus bens, mas quer dizer... o miúdo agora, graças a Portugal, tem mais bens e posses do que mais de 80% dos portugueses, que nunca na vida chegarão a atingir o montante de 40 mil euros em rendimentos, quanto mais ter terrenos e mobílias e viagens de borla!
Voltando ao facto de compensar ser-se estrangeiro e coitadinho, neste país se o formos, o Estado dá-nos subsídios e casas a custo 0. Quando somos portugueses... temos que trabalhar que nem cães a vida toda, e se quisermos casa, temos que a comprar e endividar-nos por mais de 30 anos! Como é possível tratamento tão discriminatório para os que são da própria casa?!?!?!
Com um país assim, não admira que andemos na cauda da Europa!!! E do mundo!!!! Sei que os EUA não são exemplo, e muito menos os brasileiros, mas se pusermos os olhos neles, vemos que primeiro que nada, privilegiam e beneficiam os seus nacionais, e só depois os outros! É por isso que nos EUA muitos dizem de boca cheia "I LOVE AMERICA" e no Brasil se diz "EU SOU BRASILEIRO COM MUITO ORGULHO". Em Portugal? Dá-nos vontade de corar e de nos escondermos, por termos nascido num país que beneficia e privilegia os outros... e os nacionais... ou são amigos do amigo do primo do Presidente e do Primeiro-Ministro, ou são tratados abaixo de estrangeiro, ops... de cão! Não compensa ser-se português em Portugal! Tragam os estrangeirinhos coitadinhos, que eles dão tudo! É assim o burro português! Continuem a dar rios de dinheiro a um puto que já está a abusar com a figura de coitadinho que faz (é pior que o Zé Maria... mas o ridículo, é que as pessoas gostam), e tratem o Ireneu e outros como ele, que dão tudo pela Pátria (vide, por exemplo, os ex-Ultramarinos), como se fossem escumalha!
Ah... não vos vou dizer sequer para andarem por aí com camisolas da selecção, a ver quando vos acontece um infortúnio e vos dão rios de dinheiro também, como fizeram com o "Bartunis", porque se nós somos portugueses, já sabemos o que vamos receber: um "Lamento" e um cheque de 50 euros para ajudar a pagar as prestações das despesas médicas!