sexta-feira, abril 22, 2005

Penal

Após refrescar um pouco as ideias (ou não), e horas depois de uma desilusão chamada Penal, venho aqui colocar alguns desabafos decorrentes de um pouco de reflexão sobre o assunto: o teste até podia ser lixado e um bocadinho "à porco", feito por aquele troglodita daquele Herr Flick, que como é um puto novo, tem a mania de querer aparecer e como tal, quere dar nas vistas, mostrando que ainda é puto e parvinho. Muito parvinho, já para não o chamar anormal! Não é a 1ª vez que nos aparecem seres vindos do além, como ele. No passado tivemos uns quantos, a saber: David Festas, Geraldes, Nuno Aureliano. Estes, os exemplos mais descarados. Porém, apesar de todos eles serem trogloditas, entende-se o porquê de o serem: a Faculdade paga-lhes e mal, e como não recebem nada até serem doutorados fazem duas coisas: como recalcados que são, vingam-se nos alunos, porque no tempo deles também sofreram a bom sofrer; e além disso, já que se fazem pagar mal, então divertem-se achando que são seres inteligentes e dotados de "Humor", e fazem estas atrocidades, para verem as pessoas a tentarem uma tarefa impossível: desvendar os seus quebra-cabeças anormais, em 2 horas. Garanto que isto com mais uma hora ia lá, mas em 2 era pouco, porque o mínimo deslize e vai tudo ao ar!
São anormais, e são pagos para continuarem a ser. Aliás, têm um salário digno de um anormal. Se fossem docentes a sério, com capacidade e dignidade de tal, certamente seriam uma mais-valia e não os deixavam fugir, pagando-lhes melhor.
Não vou para ali pedir facilidades e não peço num teste de penal, que coloquem "A atirou a B, mas acertou em C. Quid iuris?", mas... façam testes dignos! Mandem-me para casa um caso prático digno de me fazer ficar o fim-de-semana de castigo a desvendá-lo, mas em teste não!´
Apesar de tudo isto, deixem-me dizer que eles são anormais, e são pagos para o serem (como se justifica um tipo fazer pressing sobre os outros, para ser ele a fazer o teste? Um tipo normal NUNCA quereria fazer o teste), e se nós estamos naquela Faculdade, isso significa que aceitamos as CCG (Cláusulas Contratuais Gerais), e como tal, há consentimento do lesado, pois aceitámos passar por isto, ano após ano, e apesar de termos sido avisados. Como tal, a minha obrigação mínima é, em vez de os chamar de anormais, cabrões, etc, procurar ver em mim o fracasso de não ter sido mais normal do que eles, ultrapassando o teste deles. Podia não tirar 20 (sim, pois, na FDL tirar 20... ou até 17 que seja), mas tinha o dever de fazer aquele exame do início ao fim sem me queixar do grau de dificuldade e da anormalidade do mesmo. Podia acabar por ter 1 ou 2 valores no teste, mas ao menos sentir que o resolvi à minha maneira (ainda que errada), e que psicologicamente aqueles tipos não me encostaram às cordas. Aqui não interessa a quantidade (se tenho 1 ou 15 de nota), mas sim a qualidade (chegar ao fim e dizer: este tipo não me assustou). Desgraças de notas, todos nós podemos ter, mas... sensação de frustração e sentirmo-nos perdidos com um teste ou exame, não devia ocorrer!
Foi mais isso que me aconteceu. Eles são anormais e sempre serão (não todos, só alguns), mas eu devia ter saído dali com a sensação de dever cumprido, de não me ter deixado levar pela anormalidade do autor do exame, e pelo contrário, a meio do caminho perdi-me, bloqueei-me e foi um fracasso a nível qualitativo, e a nível quantitativo logo se verá! Como a esperança é a última a morrer (mas morre), mantenho-a sempre relativamente a ter uma nota decente, digna daquilo que eu sei da matéria. Eu sei aquilo tudo, o problema foi só um: comecei a bloquear e a baralhar-me e às tantas olhava para o enunciado e nem as letras via! Só por isso tropecei, e daqui a uns dias/semanas vamos ver se caí, ou resisti!
Ainda assim, gostaria de dar aqui uma palavra de apreço a 5 pessoas: Dora, Delfim, Fred, Paint e Aguilar. Os primeiros quatro, por terem dado uma força para que eu não desistisse (o Delfim mais não fosse a chamar-me Parvo, mas eu entendo, é a forma dele nos desincentivar a cometer erros), e sempre ali a apoiar, e o Aguilar, por ter posto ali um pouco de travão, mandando-me parar um pouco e ver que ainda que não tivesse 15 ou 16, sempre era melhor uma nota média, baixa, fraca, do que uma nulidade (o 0 absoluto), e por me recordar que em 38 minutos que faltavam, ainda podia ganhar uns pontos.



P.S.: Ressalvo aqui o pedido de desculpas ao Diogo e ao Delfim por os ter mandado calar, quando estavam a tentar acertar ideias, para ver se tinham mais um valor, e eu, estava a desconcentrar-me com aquilo e não os deixei progredir mais. Desculpem lá, mas não foi por mal. Fred, não deu mesmo para fazer mais, porque se eu já estava perdido para mim, mais vale perder-me sozinho, do que ajudar os outros a perderem-se também. Eu sei que vocês entendem!

13 comentários:

O_Pombo disse...

Não sei se repararam, quando vocês entraram no anfiteatro, estávamos lá nós, ainda à rasca a terminar o teste de fundamentais. E foi outra do género: o alarve do Martins Claro (quem for de políticas vai conhecê-lo para o ano) fez-nos um teste com 7 (sete!) questões de desenvolvimento médio-grande e grande para uma hora! Isto após uma semana a dizer-nos que a matéria era das páginas tal a tal, para na aula de revisões nos dizer que afinal não era só isso, mas muito mais.

Se vos serve de consolo, aquela faculdade está-se a afundar (prestígio uma ova, quando ia a entrevistas de estágio e me saía com aquele cliché do "sim, porque eu venho da melhor faculdade de direito do país", recebo gargalhadas do lado de lá ou na melhor das hipóteses um sorriso sarcástico) e eles hão-de afundar-se com ela.

Acho que era o Mark Twain que dizia "Quem sabe, faz; quem não sabe, ensina"!

Slash disse...

Gostava apenas de deixar alguns apontamentos sobre o que eu acho sobre essa questão. Prestigio para mim devia ser preparar os alunos que se formam com conhecimentos acima da media e preparadas para todo o que o mundo do trabalho possa lhes atirar..... procurem dentro de vós realmente acham-se preparados para no dia apos receberem o diploma para começar a fazer seja o que for ??? eu não. Apesar das pequenas excepções que por vezes temos a sorte de ter a maioria dos profs que nos dão aulas não sabe o que é o mundo fora das portas da fac a unica coisa que sabe é que o Prof X diz sobre este ou aquele tema e não faz o minimo esforço para se nos dar uma visão minimamente realista de como é que as coisas de facto se fazem.... Prestigio não deveria ser, como parece ser, para o corpo docente da nossa Fac só dar notas até 14 ou até 13 as notas não são sinonimo de ser um curso exigente apenas são numeros que definem um limite. O facto de apenas se dar um 14 a um aluno que DOMINA a materia não quer dizer que o curso seja dificil e ultra exigente apenas quer dizer que o Prof não quer ter um aluno que acabe a cadeira com uma media superior a dele isso não é Prestigio isso é ser Porco. Glorificamos o facto de muitos dos presidentes e membros dos tribunais superiores serem ex alunos da nossa fac mas no entanto quantos de nós da nova geração se acha preparado para seguir nos seu passos quantos de nós acha que estar na nossa fac lhes deu um impulso decisivo na busca desse objectivo....... Eu não. Não me interpetem mal não estou a dizer que a fac não tenha coisas boas e coisas que a distinguem de todas as outras que de facto podem a transformar na melhor do pais mas neste momento NÂO A É esse estatuto tem que ser merecido todos os dias e não o é. Sempre que uma aula pratica é mais uma aula teorica não o é merecido sempre que um prof valoriza mais o falar por falar, às intervenções com conteudo apenas pelo volume de vezes que se abriu a boca não o é. Urge fazer merecer o Estatuto de Melhor do Pais algo que não passa apenas pelos alunos mas que necessita que os prof.s Trabalhem. Parece se ter tornado um motivo de orgulho duvidoso dos docentes ter o estatudo de Bad Boy de gajo que lixado pra os alunos de Mauzão e muitos deles da nova geração parecem querem ganhar uma Reputação na casa assim mas não é por esse caminho que o PRESTIGIO é ganho... Parece ironico que uma esmagadora maioria dos ex alunos da Fac não se junte as fileiras dos profissionais ligados ao direito seja como advogado juiz et... mas nas fileiras da Politica se calhar o estatuto deveria ser FDL a melhor faculdade de ciencia politica do pais um estatuto que segundo os ultimos PM talves até nem seja lá muito bom






Ass. Militante Honorario do POUS

O_Pombo disse...

Slash, a razão pela qual a maioria dos presidentes e juizes dos tribunais superiores ter tirado o curso na nossa fac é porque são pessoas com mais de 50 anos, e nesse tempo só existia a nossa e a de Coimbra.

Vocês não acham no mínimo suspeito que a maioria dos filhos de profes da NOSSA faculdade (falo no filho mais novo do Jorge Miranda, p. ex.) estejam na Católica ou na Nova? Talvez por baixo da retórica oficial do "A FDL é a melhor faculdade de direito do país", eles saibam no seu íntimo - até melhor que nós, porque lhe conhecem os meandros há bem mais tempo - a merda que aquilo é e, como obviamente querem o melhor para os filhos, lhes aconselhem a ir para outros lados...

Slash disse...

Caro Pombo sei que nessa altura de facto fac de direito era apenas na nossa e em coimbra mas no entanto é uma tradição que podia ser continua agora se tivesse mos continuado a evoluir na qualidade e partir dessa plataformade prestigio mesmo que conseguida em condições de previlegio..... algo que não conseguimos era apenas esse o meu argumento.....
A Fdl esta cada vez mais parecida com SBL em tempos foi uma grande instituição temida dentro e fora de portas hoje só somos grandes da boca para fora e na mente dos fundamentalistas.



Ass. Militante Honorario do POUS

DJ disse...

O Herr Flick habilita-se a que lhe façam o mesmo que fizeram ao Paulo Nascimento há dois anos: um linxamento no Parque de Estacionamento!

Лев Давидович disse...

Caros veteranos, os caloiros partilham do vosso sentimento. Muitos de nós já se vêm e desejam para acabar uma cadeira tão "incrível", como é introdução, tudo, também, devido ao assistente maravilha, Morais.
Pelo quadro pintado, o resto de vida na FDL parece "interessante". Seja como for, vai-se aguentando.

Space Cowboy disse...

O engraçado é q os gajos que superam estas filha putices dos actuais assistentes quando se candidatam à FDL não resistem a fazer o mesmo...ser filho da puta deve ser mesmo divertido!!

Space Cowboy disse...

By the way, Alex és 1 gay mas gosto de ti na mesma :) Para te chamar parvo conta smp cmg ;)

O_Pombo disse...

Tenho que ir para assistente para o ano para pôr aquela escumalha na ordem (os profes, entenda-se)! Era corrido de lá ao fim de um semestre, mas seria um semestre como a FDL nunca viu! :)

Slash disse...

Pombo vai em frente tens aqui a tua gente .....



Ass. Militante Honorario do POUS

Ghostinhas disse...

iÇu iÇu, bora lá amigão!! E para o ano lectivo seguinte lá estarei eu para continuar a tua Obra !! Tah a puta armada !

Slash disse...

Mas que triste destino ser Assistente na FDL mil vezes melhor é ser virador de batatas no Macdonnalds precebo como eles são todos um bocado Frustados e libertam o seu dark side em nós ................
quero iniciar o fundo de apoio psicologico pra assistentes da Fdl que realmente deve ser incapacitante do ponto vista mental assim que assinam o contrato para dar aulas nunca mais conseguem somar 2+2 sem terem um vontade incontrolavel de humilhar alguem para se sentirem melhor com a sua vida triste....porque será ???



Ass. Militante Honorario do POUS

O_Pombo disse...

Convido todos a irem ao site http://www.blurofinsanity.com/, a clicarem em "College" e a lerem um texto genial (e hilariante) chamado "Why college is a waste of time". Explica em grande parte porque é que há tantos assistentes e professores frustrados (que, pelos vistos, não é um problema exclusivo nosso cá em Portugal).

Além disso, o site tem muitas outras coisas bonitas, como instruções sobre como construir um bong a partir duma garrafa de coca cola e as melhores receitas contra a ressaca (o que dá imenso jeito. A minha vida mudou depois de conhecer esse local sagrado!)