quinta-feira, abril 28, 2005

Alerta Nacional Geografic VI

Os homens de esquerda já não são o que eram afirmo-o perante vós assumindo me como um homem e em segundo lugar como sendo de esquerda de facto é incrivel e apenas pode acontecer num blog de estrema direita como este que só 3 dias depois de mais um aniversario do 25 de abril de 1974 ninguem tenha dito absolutamente nada sobre o tema nem a favor nem contra apenas tentando esqueçer o maior feito dos portugueses nos ultimos 100 anos. Num só dia melhor no espaço de breves horas e sem um banho de sangue ou uma monumental guerra civil portugal passou de uma ditadura de 48 anos para um embriao de democracia....... sem duvida um feito historico e mais uma prova de como os portugueses são Lovers not Fighters e tem um pessimo mau gosto fazem um revolução com um cravo nas G3 provavelmente a pior arma do mundo com a flor mais feia ao cimo da terra e nem se quer dão uns tirinhos não tem uma veia muito guerreira...... Mas pronto peço que venham comigo por uns 35 minutos que não tenho tempo para mais e vejam como Portugal seria um pais muito mais tristonho sem a Abrilada como alguns lhes chamam jocosamente.
1- hoje ainda teriamos televisão a preto e branco desde logo uma condição que tornaria impossivel o visionamento de grande classicos dos desenhos animados como o Dragonball, não tem piada ver o dito programa a preto e branco basta imaginar um episodio do dito programa em que 2 personagens lançem uma bola de fogo ou que raio é aquilo um contra o outro hoje vemos claramente que aquilo é amarelo ou roxo ou uma outra cor qualquer se fosse a preto e branco apenas se via dois homens a lançarem jactos brancos um contra o outro que que podia condenar uma geração inteira ao flagelo da Homosexualidade...
2- Não teriamos o prazer de ter conhecido o grande Marco do Big Brother I e a sua mitica frase a gajos que Falam Falam Falam o que impediria o sucesso dos Gato Fedorento o que por sua vez impediria os meus danos psicologicos graves que sofri ao ver o DVD da serie Fonseca o que impediria o facto de estarem a ler um texto de merda neste momento (não é a teoria da "condição sem qual" LINDA) .
3- o benfica ainda continuava hoje a ser campeao a custa do regime mas continuaria a ser uma merda.........
4-não podia estar aqui a beber uma coca cola e a escrever asneiras primeiro porque os produtos estrangeiros eram proibidos e segundo porque escrever asneiras era crime e saber escrever era contra ordenação grave com direito a apreenção de carta coima até 15.000 euros.
5- ter ideias seria crime e expolas seria condenado com uma ida pra prisão do tarafal sem passagem pela casa de partida e sem receber 2 contos.
6- pacheco pereira e marcelo rebelo de sousa não apareceriam na tv ...... espera isso até era capaz de ser uma coisa boa....
7- no inverno e no verão a meninas não podiam usar roupas curtas porque eram consideradas indecentes e merecedor de um leve espancamento na esquadra mais proxima e um Grande Ralhete por parte do Homem da Familia nem que esse fosse um puto de 5 meses, um beijo em publico seria punido por coima o que sem duvida seria interessante.....

Mas algumas coisas boas existiam no passado a emigração não existia porque ninguem queria viver cá nem se quer quem cá nasceu neste momento portugal teria 1.000.000 de habitantes dos qualqueis 999.999 seriam PIDEs e paris teria perto de 9.000.000 de portugueses, a aborto não iria a referendo porque os PIDE's eram todos homens a unica habitante de sexo feminino seria a Zita Seabra que conta como homem, o tratado europeu tambem não iria a referendo nós estariamos aqui como a Albania orgulhosamente só e auto suficiente (Cof......bullshit.....Cof).

Portanto vos digo mesmo amigos que por estas razões que acabo de expor o 25 de abril foi fundamental para este pais.......... Porque sem a liberdade que o 25 de abril nos trouxe não estaria aqui eu a tentar e falhando de modo clamoroso ter piada a custa dele nem voçes estariam aqui a ler este texto claramente infeliz ......



Ass. Militante Honorario do POUS

5 comentários:

Ghostinhas disse...

"(...)texto claramente infeliz..."
Repito : És Grande !

DJ disse...

Os homens de esquerda já não o são! Tens razão. Começa no nosso PM. Ele tem um pé à esquerda e o outro à direita! Mas olha que muitos da Direita também... o ex-líder da JSD o Jorge Nuno, é um tipo de direita, mas com ideais de esquerda (liberalizar a homosexualidade), e deve ter sido por isso que foi de vela. Gajos de Direita que apoiam a homosexualidade, a única coisa que devem ter de Direita, é uma mão!
Quanto ao 25 de Abril, e agora fora de polémicas (ou não): o 25 de Abril´só me irrita, porque continuam a fazer muitos filmes com os capitães de Abril. O 25 de Abril foi do povo. E é injusto glorificar os que tiveram a iniciativa, ainda que boa parte do povo tenha saído cá para fora só depois de estar tudo controlado. Fazem lembrar aqueles gajos que estão a 2km do inimigo e dizem em voz baixinha "segurem-me que eu vou-me a ele... vou vou!", mas depois só vão lá realmente dar uns pontapés e tal, quando alguém já tinha arrumado com eles. Exemplo semelhante ao 25 de Abril, não me canso de o dar: o que se passou na FDL! Toda a gente sempre dizia "epá... isto precisa que alguém faça alguma coisa!", mas sempre que alguém tentou fazer algo, eram sempre os do costume, porque esses que depois diziam "a AAFDL não faz nada", eram os principais prejudicados e os primeiros a mandar os outros irem à luta por eles! Acontece que a AAFDL fez algo, e o povo seguiu-nos logo! Acho injusto, que sejam glorificados os membros da AAFDL pela revolução que se passou naqueles dias, mas apenas porque os alunos sempre estiveram connosco desde o princípio. Curioso é que, estiveram connosco desde o princípio, 90% dos que estavam eram alunos que não estavam "tão" prejudicados pela situação que se passava! As outras centenas, ficaram em casa a ver alguém lutar por isso! Não se deve SÓ glorificar a direcção da AAFDL, porque não estavamos lá só os 15. Estavam lá centenas! E, devemos, sim, glorificar a AAFDL pela iniciativa da revolução e pela sua persistência em não desistir, bem como pela forma como foram dirigidos, todos os acontecimentos e glorificar os alunos que estiveram lá sempre do nosso lado! A revolução foi de todos nós! O 25 de Abril também! Não foi dos milhões de portugueses, mas sim de alguns milhares, dos quais os capitães de Abril tiveram iniciativa, mas não estavam sozinhos!
Quanto ao comentário da TV a preto e branco, peço desculpa, mas a televisão a cores só chegou aos EUA e Inglaterra no final dos anos 60, enquanto que nos outros países europeus, só chegou em finais dos anos 70, inícios dos 80 (como foi o caso de Portugal). Portugal esteve uns bons 6/7 anos sem tv a cores, e já havia a chamada democracia! Assistimos a muita coisa boa, mas a muita alarvidade também! E durante o Estado Novo, também assistimos a programas de categoria, verdadeira cultura.
Refiro-me ao verdadeiro desastre da liberdade atribuída aos portugueses, com a metáfora "não se dão pérolas a porcos", no sentido dos portugueses não saberem aproveitar a liberdade. Para muitos, é um direito do qual se pode abusar. Tratam a liberdade como um direito, e não como um privilégio que é para todos nós. Prova disso, começou a ser a liberdade televisiva, da comunicação social e darem direito de antena a quem não o merece: hoje em dia toda a gente acha que tem direito de opinar sobre tudo e faz-me sentir arrependidissimo por o 25 de Abril ter acontecido entre nós! Exemplo: Herman José indicado arguido num processo de crime homosexual com um adolescente. Perguntaram a uma senhora se achava que ele era culpado, ou inocente, e ela responde "Ele?! Culpado?! Não pode ser! Tem uns olhos tão bonitos!!!". Fora outros casos mais grosseiros e mais irritantes! É por exemplos assim, ou por assistir a pessoas que acham que têm o direito de se expressar, mas censuram os outros )(FDL por exemplo), que me faz pensar 2x antes de exaltar o 25 de Abril. Talvez se nada tivesse ocorrido, estivessemos independentes ainda da França, Alemanha e Espanha na União Europeia, e dependessemos de nós (isto de se ser como a Albânia, tem as suas vantagens, quando um país é realmente quase auto-suficiente), porém não acredito que fossemos mais um país isolado do mundo. Aliás, existem vários países com regimes ditatoriais e que conseguem ter condições como se fossem países do 1º mundo! Ao menos não andavamos aí a importar o que é estrangeiro e sem qualidade, e a mandar fora o que é nosso e de qualidade. Pagam aos nossos agricultores para não semearem, nem cultivarem, para se importarem espanholadas de porcaria!
É provável que sem o 25 de ABril, jamais assistiriamos ao Marco a dar um pontapé na Sónia, etc, mas ao menos a TVI, 1º, não existia e, 2º, ainda que existisse jamais daria um programa desse género, e logo, jamais as pessoas assistiriam um telejornal com qualidade tão precária e deficiente como o da TVI, em que até aquelas notas de rodapé contêm erros que arrepiariam a minha professora da primária. Se não houvesse 25 de Abril, talvez estas novas gerações viessem brincar para a rua uns com os outros, em vez de se isolarem do mundo com playstations. Não digo que a tecnologia é má, mas certamente a sua entrada na nossa sociedade teria sido gradual, e não aquele boom que tem regularmente, em que as pessoas apagam-se e deixam de existir. Aposto que todos teríamos internet, e PS2, etc... mas de forma moderada. Também atenção: não é que se queira que continuasse o fascismo, mas é possível ter um regime ditatorial "smooth"!
Encontro-me muito dividido com esta questão do 25 de Abril, porque as pessoas não sabem aproveitar e são hipócritas quanto ao tema liberdade! Talvez sem 25 de Abril, continuassem a existir 3 faculdades de Direito públicas ainda... e Modernas, UAL, Independentes, etc ainda nem sequer sonhassem, fazer algum dia, um curso de Direito, e realmente valesse a pena ser aluno da Clássica!

DJ disse...

Só um aparte: este teu post, é um verdadeiro e principal candidato a post do ano! Muito bom mesmo!

Slash disse...

Obrigado pelos elogios Dj mas pronto quando um gajo de direita elogia uma opinião sobre o 25 de abril de um gajo de esquerda é sempre de duvidar porque normalmente tem visões muito diferentes apesar de ambas serem repeitaveis..
Mas depois de ler o teu coment tenho que critica-lo porque não tenho a mesma visão das coisas apesar de como disse serem respeitaveis as opiniões diferentes .... Não existem ditaduras Smooth pelo menos do modo como eu vejo as coisas as Ditaduras são para mim todas a negação mais completa da dignidade humana já que tratam o Homem comum como uma criança que não sabe o que é bom para ele e tem que ser o estado e o grupo de 2 ou 3 sabios a dirigi lo no sentido da "verdade" o mundo não pode ser assim cada pessoa é um ser e a sua dignidade enquanto pessoa engloba tambem a liberdade de errar e fazer as coisas mal feitas de abusar dos seus direitos de deixar que os outros abusem dos seus porque apenas assim se toma a verdadeira consciencia sua natureza enquanto ser humano e dos seus direitos. Usando um exemplo que usaste o Homem precisa de ser uma criança precisa de experimentar coisas novas precisa de se sujar na lama numa briga de jogar a bola com os amigos precisa de experimentar e apenas a democracia permite que o homem aprenda a dar valor aos seus direitos. Disseste que se não tivesse existido o 25 de abril não existiria a televisão de porcaria que temos agora sim se calhar não teriamos mas tambem não tinhamos consciencia que do que é uma televisão de qualidade não tinha termo de comparação se não tivessemos visto o abuso do poder do governo face ao marcelo não tinha tido a consciencia do que é a verdadeira liberdade de expressão ou de modo ela é fragil eu tenho o Direito inalienavel de ser livre de fazer o que quiser mesmo que isso seja mau para mim tenho o direito de dizer o que me apetecer sem medo de represalias tenho o direito de ser um Homem e ser tratado como ser racional individual e não como um mero membro de uma cresce em que o ditador é o director. E mil vezes preferivel termos os abusos que temos agora ao bom gosto e ao bom senso mas termos e saber mos que podemos lutar contra eles sem medo em liberdade apesar de isso por vezes até não ser bom para nós do que apenas estarmos presos as ideias dos outros, achas mesmo que numa sociedade ditatural mesmo smooth seria permitido aos alunos lutar pelos seus direitos aparecer na Tv a dizer o que queriam dizer Não hoje estariam mais quadros na porta da FDL com as caras dos que tinham tentado e falhado opor-se ao status quo porque não seriam levados a serio seriam apenas crianças rebeldes que precisam de um bom espancamento pra entrar na linha. Pelo que li não estas bem Contra o 25 de Abril estas contra a estupidez humana dos portugueses que se recusam a fazer valer os direitos que têm e a resposta na minha opinião não RETIRAR os direitos as pessoas porque não os sabem fazer valer mas sim ensina-los no dia a dia enquanto advogados politicos juizes etc... a faze-lo..... Voltando ao exemplo das crianças quando ves uma criança a jogar a bola muito mal o fascismo é tirar-lhe a bola enquanto a democracia é deixa-lo aprender por si a jogar mesmo que isso demore muito tempo......
Toma consciencia que as opiniões mesmo erradas são permitidas porque temos liberdade se isto fosse uma ditadura não existiriam Opiniões pois apenas os dirigentes tem direito a elas pois apenas os pais da patria tem direito a dirigi la pois apenas eles tem a sabedoria para faze-lo..... não posso crer que uma pessoa que ouvi tantas vezes clamar pela liberdade ao nivel das mentalidades queira mesmo que essa liberdade não exista porque não é a que convem mais.....a liberdade que usas quando escreves permite te que eu apesar de não concordar contigo apenas te possa tentar convençer com argumentos enquanto se isto fosse uma ditadura estarias com a policia a porta neste momento a levar te para um campo para ser executado..... e isto não são apenas palavras é a verdade......






Ass. Militante Honorario do POUS

DJ disse...

E já agora, o Benfica não era campeão por ser a equipa do Estado Novo; era campeão por ser mesmo o melhor. Vê apenas os jogadores que a equipa tinha, e pensa que os teus 5 violinos, jogaram nos anos 40 e 50, ou seja, no apogeu do Estado Novo.