terça-feira, março 29, 2005

Algo esta podre no reino da Dinamarca

Desaconselho a leitura do presente post a todos os que se queiram rir pois o que vou escrever é triste mas extremamente simptomatico do que se passa no nosso pais. Hoje 28 de março tive a prova que precisava para fundamentar uma ideia que a dia a dia se foi sedimentandono meu inconsciente. O estudante superior medio é Burro quanto ao mundo que o rodeia não o digo como qualquer tipo de insulto contra mim falo mas como a maneira mais verdadeira de dizer o que sinto. O mundo academico nacional prepara as pessoas para decorar e não para Pensar em quase todas as aulas os nosso prof. dizem nos para o caso X a solução é Y e nós como obedientes Gravadores de Cassetes aprendemos que para o caso X a solução Y sem sabermos em muitos casos o porque de a solução ser essa e não qualquer outra e no dia em que o caso não é X mas sim Z nesse dia aprecebemo nos que apesar de sermos Alunos extremamente bons com optimas notas sobre o caso X nada sabemos sobre o que o rodeia nada sabemos do mundo vivemos alegremente na nossa pequena secção de conhecimento e ai de nos se tentamos sair dali porque senão aprecebemo nos que estamos não no topo mas na parte de baixo da "cadeia alimentar". O que se passou hoje afectou nos mais directamente porque pois foi a honra da nossa casa a ser manchada mas no entanto quem tenha visto com assiduidade o programa pode constatar que outros estudantes que la tem ido têm sofrido do mesmo problema. O ensino superior cada vez mais Isola-nos do mundo em vez de nos dar uma mais completa visão dele aprendemos o que esta nos livros sem questionar ..... Aprendemos ... Decoramos é a palavra mais adequada para o que TODOS fazemos. Aprender aprende-se na escola da vida na realidade dura do mundo que a universidade nos tenta esconder (com algumas excepções). O que torna esta situação grave não é o facto de nós não sabermos nada sobre o mundo para lá das capas dos nosso livros mas o facto de nós não nos interessarmos pelo facto de não sabermos é nos indiferente a ignorancia do mundo esta do lado de lá das portas da FDL.... Ainda mais grave é que muitos de nós (eu excluido) vão precorrer os corredores do poder deste Pais de da Europa onde erros como o que foi dado pela nossa colega pode ser a diferença entre uma boa e uma má decisão entre o respeito e a humilhação internacional de portugal entre o nosso cliente ganhar ou perder a causa ou entre a sentença que proferimos ter ou não fundamentos para recurso ................. a diferença é muita e por muito que agora nós não nos aprecebamos dela. Lembro me agora que escrevo as palavras de um Professor meu "a vida de advogado é andar a discutir copos partidos e quando é que foram partidos e não a falar da lei ela esta lá só para enquadrar os copos partidos". Não culpo a senhora em causa de não saber que desde 1994 a suecia é membro da União Europeia Culpo o sistema por ela ter feito Direito Comunitario I sem o saber.......... Imaginem o que seria se não soubesse o que o Prof. Pitta e Cunha diz sobre algo tão trivial como o modo como se deve beber café na cantina do Parlamento Europeu para verem a disparidade de que falo ..............

3 comentários:

DJ disse...

Permite-me uma correcção: o aluno superior médio não é cromo. Aliás, o critério do homem médio é o do aluno de 12 (Caso da FDL). E já agora, é um paradoxo, mas é a verdade: o aluno médio é mais culto do que o aluno de notas elevadas. Não sei, mas é como se cada um tivesse um Disco rígido em que só coubesse uma certa quantidade de informação. O Aluno médio armazena metade informação académica e o suficiente para se poder desdobrar em todas as vertentes, e a outra metade guarda para a cultura. O Aluno fora de série, guarda o espaço todo em disco para encher de informação que o Aluno Médio tem, mas para incluir mais uns pozinhos, nos quais se inclui muita palha. São as típicas pessoas que se frequentassem alguma igreja, ou fossem de alguma religião, seriam os fanáticos que só viam aquilo à frente, e depois se esqueciam que a água é a também conhecida expressão H2O. Acho que é por isso que os escritórios, muitos deles, preferem gente com médias elevadas: só vivem para aquilo, só vêem aquilo e não se deixam "contaminar" por outras externalidades, que no ponto de vista desses "patronos", são externalidades negativas. Os alunos fora de série, fazem lembrar aquela anedota da loira, que só respira, porque anda sempre com um walkman aos ouvidos, que lhe segreda "inspira... expira", e quando lhe tiram o walkman, ela pára de respirar e morre, porque não sabe como devia respirar, nem para quê!
Eu garanto aqui a quem quiser que, sendo eu um dos casos de aluno médio, consigo fazer igual ou melhor em casos práticos e safo-me melhor na vida activa, do que qualquer um desses cromos que só têm mais valores do que eu, porque sabem doutrina, ou porque se mecanizam a fazer tudo em 50 minutos. No meu caso e no de muitos, a pressa é inimiga da perfeição, e certamente que qualquer cliente que venhados a ter no futuro, se os confrontarmos com a chance de fazermos tudo rápido, mas não termos a certeza de estar TUDO bem, ou demorarmos mais tempo e fazermos bem melhor do que aqueles robôs, o cliente vai preferir aguardar, ainda que precise de soluções para "ontem"!
Eu sou o homem médio, continuo a ser o homem médio, e espero ser sempre!

DJ disse...

Permite-me uma correcção: o aluno superior médio não é cromo. Aliás, o critério do homem médio é o do aluno de 12 (Caso da FDL). E já agora, é um paradoxo, mas é a verdade: o aluno médio é mais culto do que o aluno de notas elevadas. Não sei, mas é como se cada um tivesse um Disco rígido em que só coubesse uma certa quantidade de informação. O Aluno médio armazena metade informação académica e o suficiente para se poder desdobrar em todas as vertentes, e a outra metade guarda para a cultura. O Aluno fora de série, guarda o espaço todo em disco para encher de informação que o Aluno Médio tem, mas para incluir mais uns pozinhos, nos quais se inclui muita palha. São as típicas pessoas que se frequentassem alguma igreja, ou fossem de alguma religião, seriam os fanáticos que só viam aquilo à frente, e depois se esqueciam que a água é a também conhecida expressão H2O. Acho que é por isso que os escritórios, muitos deles, preferem gente com médias elevadas: só vivem para aquilo, só vêem aquilo e não se deixam "contaminar" por outras externalidades, que no ponto de vista desses "patronos", são externalidades negativas. Os alunos fora de série, fazem lembrar aquela anedota da loira, que só respira, porque anda sempre com um walkman aos ouvidos, que lhe segreda "inspira... expira", e quando lhe tiram o walkman, ela pára de respirar e morre, porque não sabe como devia respirar, nem para quê!
Eu garanto aqui a quem quiser que, sendo eu um dos casos de aluno médio, consigo fazer igual ou melhor em casos práticos e safo-me melhor na vida activa, do que qualquer um desses cromos que só têm mais valores do que eu, porque sabem doutrina, ou porque se mecanizam a fazer tudo em 50 minutos. No meu caso e no de muitos, a pressa é inimiga da perfeição, e certamente que qualquer cliente que venhados a ter no futuro, se os confrontarmos com a chance de fazermos tudo rápido, mas não termos a certeza de estar TUDO bem, ou demorarmos mais tempo e fazermos bem melhor do que aqueles robôs, o cliente vai preferir aguardar, ainda que precise de soluções para "ontem"!
Eu sou o homem médio, continuo a ser o homem médio, e espero ser sempre!

Slash disse...

Sim confesso que no momento em que postei isto fiquei com duvidas se haveria de por Aluno medio ou de Media superior mas intendi por Aluno medio porque não queria centrar o meu texto apenas nos perdoem-me a expressão Marrões de Serviço mas a todos pois o Alerta Nacional Geografic EXISTE VIDA FORA DA FAC (nome original do post) queria ser mais abrangente e abrir os olhos a todos os que se deixam fechar no mundo academico sem se preocuparem com saber o que existe lá fora precebes ??? algo que considero não ser apenas exclusivo dos alunos de 14........pelos quais tenho o maior respeito se fizeram por isso que se faça justiça ............ queria que apartir deste exemplo outros se pudessem ser criados com novas situações fazer as pessoas PENSAR .......... Tirando esta pequena explicação concordo em completo com todo o que disseste